UMA CICOGNA POUSOU NA PRAIA DE COPACABANA

Quem está na cidade é a condessa italiana do mundo do cinema Marina Cicogna. Como sempre, se hospeda com o amigo Paulo Fernando Marcondes Ferraz, na Avenida Atlântica.

Na segunda-feira, Cicogna, que em português quer dizer cegonha, ganhou jantar mínimo de Dino Trapetti, com presença, obviamente, do casal Paulo Fernando e Callíope Marcondes Ferraz, e mais Gisella e Ricardo Amaral, o príncipe Giulio Durini e Henrique Mollica e Elsa Gardenghi.

O Oscar foi o prato principal das conversas porque diz a lenda que Cicogna é a grande pitonisa do assunto e sempre acerta os vencedores. Ela foi discorrendo sobre cada categoria do prêmio, mas o que valeu mesmo é saber que o filme preferido da produtora do magistral  La Classe Operaria Va in Paradiso é o Philomena, com Judy Dench.

Outra revelação que a condessa Marina Cicogna fez foi a de sua idade. Porém ninguém acreditou. Ela aparenta 10 anos menos.

Marina Cicogna Exhibition Press Preview At Villa Medici Neta do conde Volpi, Marina nasceu em uma família nobre italiana, cresceu rodeada por estrelas do cinema e jet setters. Nos anos 60, tornou-se produtora de cinema, de clássicos como C’era Una Volta Il West, de Sergio Leone (1968); La Classe Operaria Va in Paradiso, de Elio Petri (1971); Fratello Sole, Sorella Luna, de Franco Zeffirelli (1972), e Mimi Metallurgico, Ferito Nell’Onore, de Lina Wertmuller (1972)….

Uma ideia sobre “UMA CICOGNA POUSOU NA PRAIA DE COPACABANA

  1. Não a conhecia nem por fotografia, porém me lembro de ter ouvido falar desta senhora italiana de nobre ascendência. Por algum motivo, sei o que a liga ao Brasil, um amor que creio eterno… Bela presença, sendo que a mim pareceu que ela aparenta ser 15 anos mais nova, Hildegard. Presença que nos enobrece. Transmita-a meus préstimos! Te sigo no Twitter, prazer! Márcio…fui!!! Voltarei…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *