THE GREAT LUIZ!

Glória Severiano Ribeiro, essa doce young lady de nossa melhor sociedade, abriu a  cabine de cinema de sua petite orangerie no Jardim Pernambuco para a mais esperada avant prémière da temporada: a do filme The Great Gatsby!

Ser convidada para as sessões privadas de cinema de Glória é tipo assim uma condecoração, um prêmio, uma medalha de honra ao mérito social, que garante lugar no pódio das most beloved do high carioca.

Porque ela faz tudo com tamanho amor, se coloca plenamente em cada evento que realiza, com tanta delicadeza e classe, e sempre com um ritual que todas obedecem e respeitam, que ser convidada é uma tremenda distinção.

Glória convidou para uma projeção às 5 da tarde. Elas começaram a  chegar  pontualmente às 4,30 e foram recebidas com aquele clássico coquetel, servido pelo copeiro da casa, com sanduichinhos micro, canapés, sucos de frutas e refrigerantes.

Tolerância de 15 minutos para os atrasos das retardatárias, e não mais que isso.

Elas já estão todas lá, na sala de cinema decorada pelo saudoso Helio Fraga, com imensos posters dos grandes astros e grandes divas do cinema – Greta Garbo, Lauren Bacall, Liz Taylor, Rock Hudson, Gary Cooper, Humphrey Bogart  – poltronas de couro cinza super confortáveis, com direito a rodadas ininterruptas de cestinhas de pipoca que o copeiro traz sem-parar-sem-parar durante toda a exibição…

Duas Jujus: Muller e Almeida Magalhães, Solange Ribemboim, Maria Helena Chermont de Britto, Marcia Muller,  Maria Pia Marcondes Ferraz, Bebel Niemeyer, Cristina Lips, Ana Cecília Magalhães Lins, Angélique Chartouny, Henriqueta Gomes, Cristiane Almeida, Ana Paula Leão Teixeira, Alice Médici, Luiza Prettyman, Eliana Moura, Beth Serpa, Antonia Frering, Mirna Bandeira de Mello e as irmãs de Glória, Clara Magalhães e, vinda de São Paulo, Maria Pia Trussardi, homenageada da tarde.

Terminada a sessão de Gatsby, aplausos, suspiros, comentários, elogios e muitos docinhos e tortas para todas, saídos diretamente da cozinha anexa da chef Raffinha, filha de Glória.

Civilizadas, elas aceitam um pedacinho de torta, mordem um brigadeiro, fazem nhamnham (com sonoplastia da Ana Maria Braga, por favor), reviram os olhos de delícia e contentamento, tomam um cafezinho com dois dedos de prosa, despedem-se de Glória e de todas e partem saltitantes, antes de os maridinhos chegarem em casa do trabalho.

E o mesmo faz Glória, encerrando os trabalhos e retornando para a casa principal ao lado, à espera do amor de sua vida, o seu Gatsby: The Great Luiz, lindo, elegante, trabalhador, sério, apaixonado por ela em todos os dias desses 39 anos de casados, nos quais só tem proporcionado tudo de bom e generoso à Glória (a começar pela família esplendorosa que constituíram juntos), e sem sequer um pinguinho dos defeitos do Gatsby do filme…

Se é que eu posso dizer que o Leo Di Caprio tem algum defeito, não é, meus amores?

THE GREAT LEO / THE GREAT LUIZ / THE GREAT GLÓRIA

the great luiz

 A MANSÃO DO GATSBY / A CABINE DE CINEMA DA GLÓRIA

as jujus

 

4 ideias sobre “THE GREAT LUIZ!

  1. Ah Hilde! Só vc mesma para cultivar todo esse glamour legal dos anos 70 entre nós… Lembro sim do “Grande Gatsby”, primeira versão e houve festa se não me engano no Maracanã qdo vários carros lindos e importantes de época desfilaram. Vi no jornal que antecedia os filmes na época. Nesse período 1974 tinha acabado de chegar a Goiânia vindo de Goiás Velho – com 16 anos incompletos, para fazer o segundo grau e tentar o vestiba de Medicina – que graças ao Bom e Santo Deus não passei… Tomei conhecimento dos belos jovens Glória e Luiz pela coluna do Ibrahim, que lia todo dia numa banca de jornal prox à minha casa… que sem grana, morando em república de estudantes tentava me ver naquele universo lindo de gente chique, culta e bem nascida! Realmente, “querer é poder”… Virei colunista social em 1978, dia 11 de setembro, num jornal super tímido semanal chamado “Sport News”, que saia nas segundas feiras. Antes porém fui informante dos importantes colunistas goianienses passando notas de gente tradicional de Goiás Velho, que não tinham acesso às colunas e merecia demais sair… Os sábados adoráveis e inesquecíveis de “O Globo”, quando descobri Santa “Perla Sigaud” – era o meu verdadeiro deleite de final de semana – quando comprava o jornal e viajava… era a minha droga da época, já que nunca usei esse tipo de artifício!… Depois já entrosado no colunismo frequentando o Copa – do meu futuro padrinho de crisma, José Eduardo Guinle – eis que – Marininha Felfeli moradora do Chopin hiper amiga do “brimo” Eduardo de Sued, da adorável Ana Paula de Almeida Magalhães, da Paula Brenha etc – me apresenta o lindo, jovem e enturmado Luizinho Vidigal que estava descansando na piscina do hotel num dia de carnaval amigo do Barão Turn von Taxis. Ele me deu o cartão de visita dele começamos a corresponder qdo logo ele fica noivo da se não me engano – Christiana Severiano Ribeiro. Recebi o convite qdo logo liguei para a Glorinha Sued, minha grande e super inesquecível amiga e amiga idem da Maricy. Arranjei de imediato para ela hospedagem vip do Caesar Park, da Augusta – o auge da época e fomos juntos no elegantérrimo casório na Nossa Senhora do Brasil. Era a minha grande estreia social em SP, em novembro de 1989, se não me falha a memória. Qdo no final da cerimônia na igreja Glorinha encontra com a elegantérrima Dona Alicia(que conhecia da sua “Perla”, qdo o Rodolfinho deu uma grande festa à fantasia para o belo solteirão Zé de Paula Machado, na ausência dos pais, que viajava) e o grande gentleman Nicolau Scarpa – que nos convida rapidamente para a casa quase ali do lado – na Rua Alemanha – para um pequeno drinque e “retoque das maquiagens” das grandes damas… Daí fomos para o casório em casa dos Trussardi, no Alto de Pinheiros, quando conheci pessoalmente Maria Pia Matarazzo, Eliana Roxo – sua grande amiga – e famosas personagem do imbatível Tavares, na super e atual imbatível “Folha”… Tudo lindo, maravilhoso, inesquecível qdo vi Glória e Luiz lindérrimos de longe e não tive coragem de assediá-los por pura timidez… O décor da festa aliás, foi feito pelo craque arquiteto Rodolfinho Scarpa que estreava em casamentos e grandes festas ali – quando seus adoráveis pais – nossos “transportadores” – convidou Glorinha e eu para almoçarmos em sua espetacular mansão(hj do seu ex-genro, Gilberto Miranda) no dia seguinte, qdo a elegantérrima e sempre amável Dona Alicia foi pessoalmente nos buscar no hotel. Existe coisa mais chique que isso??? … Voltando ao casamento de Luizinho e Christiana … na saída, quem nos dá carona? Os cariocas Solange e Mário Rebemboin – sobrinha de Helóisa Castello Branco Ferreira, primeira mulher do meu saudoso tio, o grande advogado Mário de Alencastro, que morou no Rio vários anos – protegido do muito imporante Napoleão de Alencastro Guimarães, pai das adoráveis primas Therezinha e Mimi. Tio Mário e Helô eram padrinhos mais que corujas de Luciana Ribemboin(hoje Dale) co-sogra de Glorinha e Luiz!!! Eu pergunto pode uma coisa dessas??? Como diz em árabe, MAKTUB!!! … Falar em moradores ilustres do Jardim Pernambuco estou programando ira ao casamento da Nicole, filha da gloriosa goiana Daisy e do Roni Argalji(leia-se Durolen) – vizinhos dos Severiano Ribeiro – dia 06 de julho na Mansão da Heras… MAKTUB novamente!!! Tá vendo Hilde? O bom e verdadeiro colunismo realmente vale muito a pena. Bjs e saudades demais!!! TE AMO MUITO!!!!!!

  2. Essa sessão de cinema na casa da Glória Severiano Ribeiro lembrou-me as sessões de cinema do Harry Stone no Rio na década de 1970. Creio que houve inclusive uma do Great Gastby com o Redford, isso eu li, não vivi. e se eu não estou misturando as minhas memórias, acho que o Gilherme Guimarães ajudou a organizar esse evento. Ele contou com a presença da Carmen Mayrink Veiga, vestida qual estrela de cinema por ele. A Glória, filha de uma mulher que representa a maternidade, a Maricy Trussardi, além de ser uma das principais clientes do Dener. A Glória casou-se com um vestido do Dener, presente dele, e foi capa da revista O Cruzeiro. Publicou-se a um tempo atrás, uma foto desse vestido, segundo declarações da revista, esse vestido fora já usado por outras noivas, inclusive a filha do motorista da família. Porém acho que esse vestido já casou quem tinha que casar, agora ele deveria fazer parte do acervo do ISA, para um restauro e uma conservação necessários para uma longa duração. Esse vestido tem a sua relevância histórica por ser uma criação do Dener e por ter pertencido à uma família importante da nossa sociedade.

    • Boa, Danian, vou falar com a Glória. Quanto à festa do Gatsby no Rio, fui a ela, há 39 anos, pensei até em escrever a respeito, depois esqueci, deletei, mas como vc está falando sobre isso, amanhã escreverei a respeito. Boas colaborações, querido. Abraços, Hilde

  3. Que casal lindo. Adoro este sorrir com os olhos desta linda mulher Gloria Severiano Ribeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *