Quem diria! Acredite se quiser: deputado Bolsonaro homenageia comunista hoje na Alerj!

Hoje, na Alerj, será conferido título “post mortem” de benemérito do Rio de Janeiro a Jorge Guinle.

No convite, ele é apresentado como “empresário”. Uma contradição, pois uma das peculiaridades de Jorginho era justamente nunca ter trabalhado. Disso ele falava abertamente, comentando que os homens de sua posição social, em sua geração, não trabalhavam, por isso ele jamais tinha ido ao Centro da Cidade.

A outra contradição é o agente da homenagem. Justamente o deputado Bolsonaro filho. Do ardoroso clã anti-liberalismo, anti-socialismo, anti-comunismo!

Pois, meus amores, Jorginho Guinle foi o único bilionário que conheci a se declarar comunista convicto. Leitor de Karl Marx, fascinado por sua teoria, Jorge gostava de encontrar quem quisesse conversar sobre o tema.

De fato, Guinle, à sua maneira muito particular, colocou o marxismo em prática na própria vida, tornando-se, de herdeiro bilionário a pobre de marré de si. Queimou uma fortuna que, em números atualizados, giraria em torno de US$ 3,5 bi, conforme cálculo dele.

Passou a vida compartilhando seus bilhões com os que o cercavam. Proporcionando festas, viagens, facilidades. Presenteando, pagando contas caras de restaurantes e boates para todos. Dando “banhos de loja” em mulheres belas nos templos dos grandes costureiros europeus. Gastando e gastando e gastando. Vendendo patrimônio e vendendo e vendendo. Havendo sempre, na intermediação desses negócios, um agente, um amigo interessado, o que para Guinle não era problema, pois gostava de ver seus amigos felizes.

Enfim, um playboy de altíssimo luxo, que teve as mais lindas mulheres do mundo, de Ava Gardner a Kim Novak, e sempre com grande elegância e estilo. Dos homens mais educados que conheci ao longo de minha carreira de colunista social.

Jorge Guinle e Jayne Mansfield no El Morocco, o famoso club zebrado de Nova York
Jorge Guinle e Jane Mansfield no El Morocco, o famoso club zebrado de Nova York.

Adendo em 14/11/2014 Às 12h30m: Segundo Marco Rodrigues, ex-companheiro de Jorge Guinle Filho, em comentário enviado agora a esta colunista, “Jane Mansfield,mais roliça e suculenta que a Marilyn Monroe, chegou a ser sua noiva e ele foi ao Texas conhecer seus pais. Na saída, seu futuro sogro bateu-lhe nas costas recomendando´-“Take care of our little girl”.

14 ideias sobre “Quem diria! Acredite se quiser: deputado Bolsonaro homenageia comunista hoje na Alerj!

  1. Que desencanto. Não se faz mais comunistas como Luiz Carlos Prestes e outros nomes de respeito.
    Hoje, a turma do mensalão e do petrolão come caviar e se diz comuna.
    Assim é muito fácil obrar e viver sob o sol perto do Copacabana Palace.
    Na tumba, Max e Lenin devem estar tremendamente irritados.

  2. Admiro a nossa sociedade brasileira pela generosidade e bom senso pelo desenvolvimento do nosso pais. E que torcem e auxiliam todos os cidadãos para que tenham acesso as oportunidades e solidariedade. Parabenizo a matéria a respeito de Guinle. Podemos ainda ter esperança de uma sociedade mais justa e honesta. Obrigada ( São Paulo – Capital)

  3. Com todo respeito pelo blog e pela blogueira, gostaria de saber se o Mensalão e o Petrolão podem ser rotulados de Mentirões.

    E sobre as relações do PP, PMDB e PT com os presos na operação Lava Jato? O que pensa o respeitoso blog?

    Com a máxima venia, espero uma resposta. Um abraço..

  4. Jorginho Guinle comunista? Quáquáquáquá!. É o mesmo que dizer que Eurico Miranda, ex-presidente do Vasco, virou torcedor fanático do Flamengo.
    Ou que Lula ingressou hoje no PSDB.
    Agora, falando sério, é bem cômodo alguém se julgar comunista morando no Copacabana Palace.

    • Nada posso dizer sobre o sr. Eurico Miranda, pois não o conheço. A única vez em que o vi foi na Copa do Mundo de 1998, num jogo do Brasil, cercado por um grupo de juízes e desembargadores, sendo que um deles me disse, na Primeira Classe da Air France, que aquele grupo do Judiciário carioca viajava a Paris a convite de Eurico. Só isso.
      Jorginho só morou no Copacabana Palace no fim da vida e quando já era pobre, por alguns meses, de favor, por uma gentileza do diretor-geral do hotel, Phillip Carruthers, e de sua relações públicas, Claudia Fialho. Ele morava no edifício construído pela família Guinle na Praia do Flamengo, até precisar vender o apartamento, cujas despesas de condomínio não conseguia saldar.
      Não estou inventando o “comunismo”. Se você se der ao trabalho de conferir entrevistas antigas dele nos arquivos da imprensa, vai encontrar lá tal declaração.

      • Não creio que as pessoas que venham aqui falar de Guinle (nesse espaço saudavelmente democrático) o façam por má fé e, sim, por falta de conhecimento e, talvez, quem sabe, falta de leitura?
        Eu mesmo vim de uma família classe média, sou publicitário, jamais fiz ‘voto de pobreza’ e milito na UJC – União da Juventude comunista desde sempre.
        Dentro do meu contexto Marxista, a coisa é simples: Que todos tenham acesso à educação, esporte, saúde e uma boa faculdade e a coisa anda necessariamente por aí. Porque o filho do “menos afortunado materialmente” não pode ter as mesmas condições que o meu filho tem? No mais, gosto de me vestir bem, morar bem e viajar.. Amo ler Marx, Engels, a dialética de Hegel.
        Abraços. paz e saúde a todos.
        (nem falei de Oscar Niemeyer ..deixa pra próxima..)

  5. Ora, minha cara blogueira-colunista social, vc queria o que? Que o Bolsonaro homenageasse Chavez, Che Chevara, Fidel Castro, Salvador Allende, Hitler, , Lenin?

    Sinceramente, o blog está meio fora de sintonia com a realidade. Quero ver se vão publicar esse meu comentário. Com todo o respeito de sempre, um abraço.

    • Não, senhor Sergio, eu não queria nada, quem quer são meus leitores. Querem estar bem informados. E certamente grande parte deles desconhece esse aspecto singular da personalidade do saudoso playboy brasileiro Jorge Guinle: ele declarar-se comunista.
      Naturalmente muitas pessoas de seu círculo riam e não levavam a sério, pois o próprio way of life de Jorginho, de luxo e riqueza, não condizia com o discurso. Mas quem conversava com Jorginho surpreendia-se ao constatar que, de fato, ele conhecia a obra de Karl Mark. Era um homem culto, de mente aberta.

      Acredito que o senhor não esteja sintonizado com o colunismo social e de comportamento, cujo propósito é justamente relatar e retratar, com um olhar muito próximo, a época que vivemos e suas personagens pontuais.

      • Minha sempre querida Hilde, boa noite!
        Quem pode comentar sobre o ir e vir de uma coluna social é – somente – quem faz parte desse fascinante e cobiçado universo.
        Quem está de fora, não pia – já dizia o popular adágio – pois não sabe o que realmente acontece ali.
        Você discorreu com a mais perfeita propriedade sobre o perfil do inesquecível playboy e homem de sociedade – JORGE GUINLE – um gentleman da mais alta categoria – que sempre amou ver todos que o cercavam felizes.
        Daí sua ilimitada generosidade.
        Li numa antiga “Vogue”(dos anos 80) dedicada a ele – que Eduardo Guinle seu avô e patriarca dessa dinastia de bom gosto e grande elegância deixou qdo faleceu esse valor($ 3,5 bilhões de dólares – mencionados por vc – para Dona Guilhermina(sua viúva) e seis filhos. Que se for devidamente calculado daria muito mais. (NR.: A parcela que coube a Jorge, dos $ 3,5 bi dólares deixados por Eduardo Guinle, corresponderia, segundo cálculos de Jorginho, a aproximadamente US$ 3,5 bi em valores atuais),
        Pois só o Palácio das Laranjeiras construído em 1909 pelo primogênito Eduardo Guinle Filho(onde foi instalado o primeiro elevador – e que elevador – no Brasil) pegaria boa parte desse incrível montante!
        Já que considero o Laranjeiras um mini Versalhes brasileiro.
        Aliás, o Rio de Janeiro e o nosso país deve muito a essa icônica família todas as homenagens possiveis e merecidas – pois tudo o que existe de mais requintado e exuberante na cidade foi construído e doado por eles: Copacabana Palace, Granja Comari, Ilha de Brocoió, sede do Fluminense, edifício Tucuman(no Flamengo) – em cuja cobertura de 4.500 metros quadrados Jorginho recebia com Dolores – nos anos 50 – naquele palacete suspenso que pertencia a seus pais, os elegantérrimos – Gilda e Carlos Guinle – ele aliás construtor do exuberante edifício.
        Os Guinle sem dúvida foram grandes mecenas, generosos e muito atenciosos com todos que os cercavam.
        Eram, realmente, a nobreza brasileira.
        E Jorginho viveu ali naquele contexto onde era proibido mensurar dinheiro – aliás costume natural dos ricos e importantes de então.
        Enfim resumindo essa longa e bela história de família – Hilde está coberta de razão em registrar que Jorge Guinle foi de longe o homem mais educado, refinado e elegante de sua memorável época – já que viveu boa parte do seu importante colunismo ao seu lado!
        Salve Jorge e salve Hilde!!!
        No mais como dizia o imbatível Ibrahim Sued – grande amigo de Jorginho – “os cães ladram e a caravana passa” – bem elegante e tranquila!!!

      • Karl Marx também era capitalista como esse Jorge Guinle! Os capitalistas fizeram o comunismo para os otários chamados de “classe operária”! Por isso que em 1989, os exploradores comunistas foram derrubados na Europa do Leste e na Rússia!

  6. O baixinho era danado. elegante e chamoso não vacilava diante de mulheres cativantes. Soube viver a vida. Com paixão e emoção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *