O ódio crepita na fogueira do Facebook nesta campanha eleitoral

Sentindo-se bastante desconfortável no ambiente de guerra campal deflagrada nas mídias sociais nesta campanha política, a arguta leitora Yone Kegler, ativa alimentadora deste e de outros blogs com seus comentários opinativos, o que a fez estabelecer algumas relações de amizade e de cordialidade – comigo, no Brasil, com Jane Fonda, nos EUA –  envia-me o email-desabafo abaixo transcrito:

“Hilde,

Estou totalmente chocada com a hipocrisia, a falsidade, a violência, o preconceito, a homofobia e o machismo enrustidos de muitas e muitos de seus amigos colunáveis, nos comentários no Facebook sobre suas escolhas políticas!

É ali que caem suas máscaras, quando sua absurda agressividade vem à tona e podemos conhecer sua verdadeira FACE-book!

Pessoas que posam de “boazinhas, educadas, cultas, esclarecidas, sem preconceitos etc”, mas, ali, ocultas de muitos, extravasam sua verdadeira personalidade!

Pessoas que nunca fizeram campanha igualmente agressiva contra estupradores, assassinos de crianças, assassinos de pai e mãe, ladrões políticos há anos roubando o país, com fortunas incalculáveis na Suíça, ou “donos” de um  Estado, e nenhum desses “justiceiros” do Facebook fala, agride, xinga, deseja a morte ou debocha desses desclassificados tão pesadamente quanto agora fazem, na reta final da campanha política, quando desejam a morte da presidente do país, cujo crime maior é ser mulher, porque a corrupção tem estado presente em todos os governos que eu já conheci e naqueles de ambos os candidatos!

Ao contrário, pela primeira vez vejo alguns dos corruptos serem presos, exatamente neste governo atual, porque nos demais jamais qualquer deles foi!

Muitos são colunáveis que só chegaram ao “status” social que têm através de suas mãos, Hilde, pois sem você não seriam muita coisa socialmente falando.

Gente que com o seu apoio  virou “gente fina”, top do top!

Gente que a abraça em condolência pelas maldades que fizeram à sua mãe e a seu irmão, mas, pelas suas costas, chama de “terroristas” todos os do outro partido e aqui no Facebook clama pela volta dos militares se a “outra” candidata ganhar, e se diz mesmo com saudades da ditadura.

Acusa a presidente de terrorista, assaltante de banco, como deve chamar assim ao seu irmão, pois ele também esteve na luta armada contra a ditadura e por ela foi morto!

Esquecem-se de que, se hoje tem um FBK, onde podem falar tudo o que bem entendem, é por causa de pessoas como a Dilma, que arriscou sua vida para nos dar essa liberdade! E fingem que não sabem que o vice do Aécio era também… assaltante (no conceito deles)!

Postam fotos da Dilma decapitada pelo Exército Islâmico e, aplaudindo, desejam a morte dela, como nunca desejaram a do casal que mata o próprio filho pequeno.

Debocham de Dilma, como “gorda ridícula”, o tempo todo, mas dizem ao amigo (a) importante, na mesma situação, que ele (a) está só um “pouquinho acima do peso”. Falsos que são, pois, pelos seus comentários, com certeza odeiam gordos, coisa que Dilma, perto das outras pessoas, nem é tanto assim.

Usam e abusam da “homofobia enrustida”, quando passam a chamar a maior autoridade do país de “sapatão”, mulher “com fimose” e “de bigodes”. Postam fotos da presidente jovem, com amigas da juventude, sugerindo que são “namoradas”, enquanto, no mesmo FBK, postam suas próprias fotos de juventude rodeadas (os) de amigos e amigas e, se formos julgar pelos seus parâmetros, também podem ser consideradas (os) homossexuais!

Falam com intolerância, tratando de “gays”, de modo pejorativo, a ela e a Jean Wyllys. No caso dela, pela aparência, e, no dele, com posts de conteúdo absurdo e criminoso! Até por ser filha de imigrante, ela foi malhada, com comentários do tipo “eles emigram para o Brasil e aqui ficam ricos”. Já viu maior absurdo?

O que seria deste país se não fossem os imigrantes? Quase todos nós somos descendentes de um imigrante. Por outro lado, milhões de brasileiros (como eu) emigraram para os EUA, Europa etc., e muitos também ficaram ricos lá fora. Outros têm hoje uma vida aqui, que talvez não teriam se não tivessem emigrado para Nova York, e têm o desplante de fazer este comentário.

Pior que a maioria são pessoas formadas, esclarecidas, profissionais de nível, mas que, pelos comentários infantis, ridículos, babacas, que fazem, me deixam tão desapontada, que fico em dúvida sobre “quem é quem”…

Mostram fotos de gente ridícula, dizendo que quem vota na Dilma é igual! Uns ameaçam que, se alguém não for do mesmo partido, a “amizade” está “acabada”, verdadeira ditadura da “amizade”…

E depois reclamam quando torcedores de um time matam inocentes que torcem pelo outro! Imagina se a moda pega?

Desculpa o desabafo, mas estou horrorizada com essas pessoas.

Te peço que faça uma coluna sobre isso e se quiser usar o meu desabafo esteja à vontade!

Yone M. Kegler”

Minha resposta:

Yone, minha estimada Yone, a democracia é uma bela dádiva, que deve ser exercida com gratidão e nobreza, não com revolta e prepotência.

Vamos esperar baixar a poeira desse ódio, que julgo fomentado e instrumentalizado por interesses nem tão legítimos quanto possam parecer.

Na amizade real não existem devedores nem cobradores. Não duvido do amor e da solidariedade dos meus amigos por mim. E espero que eles não duvidem de minha amizade e de minha admiração por eles, mesmo que, neste exato momento, possamos pensar politicamente de modo diferente.

Esse tempo de discórdia vai passar, após as eleições, e o Brasil retomará seus belos dias. Assim esperamos todos.

Hildegard

49 ideias sobre “O ódio crepita na fogueira do Facebook nesta campanha eleitoral

  1. Dirigida a Cristina Reis.

    Prezada Cristina, em 64, unidos e coesos, militares e civis promoveram a Revolução de 64, que livrou o Brasil do comunismo na forma de uma ditadura de esquerda nos moldes de Cuba. Não sei se vc conhece a história pelos livros ou porque viveu aquela época. Respeito o seu ponto de vista, mas afirmo que o governo Goulart estava sitiado por comunistas de vários facções. Se a senhora foi ou é contra a revolução, está exercendo o seu direito de cidadã, coisa que não poderia fazer se morasse em Cuba, na Coréia do Norte ou mesmo na China, onde inexiste liberdade. E há perseguições. A Revolução de 64 foi positiva, mas eu e a senhora devemos reconhecer que houve excessos de ambos os lados porque o clima era de guerra. E, na guerra, ninguém tem o direito de reclamar.
    Agora, vou votar no Aécio, um legítimo democrata.

    • Prezada Selma Laporte,

      Para não gastar o meu vocabulário, coloco um artigo completo da Natália Peixoto pelo IG que fala sobre o Golpe Militar de 1964. A história não mente e que nunca deve ser esquecida. Qualquer semelhança do que acontece hoje com a Presidenta Dilma e com o Partido dos Trabalhadores, não é mera coincidência.

      “Apesar da predominância dos militares no comando da ação que depôs o presidente João Goulart, o golpe de 1964 só foi possível graças à participação da sociedade civil: donos de veículos de comunicação, empresários, setores conservadores da Igreja, o governo dos Estados Unidos, entre outros. Historiadores afirmam ainda que Jango, embora tivesse altos índices de aprovação como presidente, sofria, desde que assumiu o comando do País, uma campanha massiva de desestabilização em rádios, TVs e mídia impressa. A Marcha da Família com Deus pela Liberdade, que levou cerca de 200 mil às ruas de São Paulo contra Jango, mostrava que a estratégia de “ameaça comunista” estava dando certo.

      Um dos principais articuladores da parte civil do golpe foi o banqueiro e então governador de Minas Gerais, Magalhães Pinto, junto ao general Castello Branco, então comandante supremo do Exército Nacional. Dez dias antes da queda de Jango, Castello Branco fez um levantamento entre os quartéis em busca de adesões a uma possível ação de resistência contra Jango. Uma semana depois, no dia 28 de março, o governador Magalhães Pinto deu início ao plano, liberando as tropas do general Mourão Filho para marcharem de Juiz de Fora até o Rio de Janeiro, em um movimento que consolidaria o início da ditadura.

      Antes da tomada militar do poder, entretanto, grupos organizados de empresários, industriais, representantes da Igreja e donos de veículos de comunicação se articulavam desde 1961 em uma campanha intensiva de desestabilização de Jango, com receio de que o governante populista, conhecido pelo aumento de 100% do salário mínimo enquanto ministro do Trabalho de Getúlio Vargas, criasse uma república sindicalista. Contra essa ameaça, empresários fincaram no Rio e em São Paulo as sedes do Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais, o Ipês.

      O grupo, financiado por 95 empresas e 125 doadores físicos, promovia massiva propaganda contra o governo por meio de cursos, palestras, propaganda em revistas e superproduções televisivas contrárias ao governo. “Não tinha a expressão ‘Fora Jango’, mas tinha um discurso de insatisfação fortíssimo contra seu governo”, explica Denise Assis, jornalista e pesquisadora da Comissão da Verdade do Rio de Janeiro. Cinco empresas contribuíram com 70% da receita do instituto: Listas Telefônicas Brasileiras, Light, Cruzeiro do Sul, Refinaria e Exploração de Petróleo União e Icomi.

      O Ipês, que foi comandado pelo general Golbery do Couto e Silva, na época oficial de segundo escalão do exército, existiu até 1972 quando, já esvaziado de doações, fechou suas portas. Sua principal herança foram as cerca de 3 mil fichas que seus mais de 400 pesquisadores fizeram sobre as principais lideranças suspeitas da esquerda brasileira. Golbery levou esse material para o Serviço Nacional de Inteligência (SNI), criado logo após o golpe.

      Denise diz que o Ipês era um “eufemismo para o grupo conspiratório que se formou para tramar a derrubada de Jango”. Em seu estudo, ela aponta que em apenas uma ação, a vinculação de 15 filmes para criar a insegurança na população, entre 1962 a 1964, foram pagos 450 mil cruzeiros semanalmente a 13 canais de TV. “Os jornais e televisões receberam muito dinheiro, mas depois a própria mídia cedeu espaço. Todos os veículos de comunicação apoiaram o golpe, com exceção do ‘A Última Hora’, que foi fechado porque era o único veículo que apoiava o Jango”, explica.

      Popularidade de Jango em alta

      Segundo uma pesquisa Ibope recentemente revelada pelo historiador Luiz Antonio Dias, pouco antes do golpe, Jango tinha apoio de 72% da população. Sua proposta de reforma agrária era aprovada por 70% em algumas capitais. Mesmo assim, o golpe foi vitorioso. “Quem derrubou Jango não foi o povo, foi a elite burguesa”, defende Denise. “Empresários e grandes industriais estavam unidos em torno do projeto de um Brasil mais avançado. Eles defendiam a livre iniciativa e o capital, antes do golpe e durante a ditadura.”

      A advogada Rosa Cardoso, membro da Comissão Nacional da Verdade e coordenadora do Grupo de Trabalhadores, atribui o sucesso do golpe ao bombardeio de propaganda contra Goulart, associando-o ao comunismo. “Utilizando uma propaganda massiva, eles conseguiram cooptar elementos, conseguiram recrutar militantes entre as mulheres, entre as igrejas católica e protestante”, diz.

      Para o historiador Carlos Fico, o apoio dos veículos de comunicação foi “absolutamente determinante”. “Diariamente o Goulart era atacado, criticavam e fragilizavam o seu governo, e a partir do início de 1964, sugeriam o afastamento do presidente”, diz. E isso começou a aparecer em manifestações contrárias a Jango, como a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, apesar dos seus altos índices de aprovação.

      Em seu recém-lançado livro “O golpe de 1964, momentos decisivos”, Fico relata a conspiração que culminou no golpe a partir da campanha de desestabilização de Jango dos anos anteriores. Nela, houve participação decisiva também do governo dos Estados Unidos. “A campanha de desestabilização estendeu-se até as vésperas do golpe de 1964. No dia 20 de março, o United States Information Service (Usis) terminou um relatório planejando gastos de mais de US$ 500 mil com atividades de propaganda em rádio, imprensa escrita e unidades móveis de exibição de filmes, entre outras. Contabilizando-se também os gastos com publicações de livros, ensino de inglês e programas de intercâmbio, chega-se ao valor de US$ 2 milhões”, escreve.

      Fico também aponta o apoio do Congresso como outro apoiador decisivo para os militares. Na época presidido por Ranieri Mazzili, ele declarou a vacância da Presidência com a movimentação militar. “Vários civis deram efetivamente o golpe”, diz.

      Entidades como a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) também contribuíram financeira e logisticamente para a concretização do golpe. À Comissão Municipal da Verdade de São Paulo, o coronel do Exército reformado Erimá Pinheiro Moreira denunciou o suborno do então comandante do 2º Exército, general Amaury Kruel pela Fiesp. Segundo Moreira, que estaria presente durante o suborno, o então presidente da entidade, Raphael de Souza Noschese, teria pago U$ 1,2 milhão (R$ 2,4 milhões, em valores atualizados) para que Kruel, ex-ministro da Guerra de Jango, levasse o 2º Exército à adesão ao golpe. Nos anos anteriores ao golpe, as tropas lideradas por Kruel foram reaparelhadas por industriais para o caso de um possível combate com o 3º exército, articulado com o governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola, um dos líderes da resistência pró-Goulart.

      Henning Boilesen

      Enquanto partes da Igreja e da imprensa que apoiaram o golpe começaram a criticar o caráter ditatorial do novo regime, os empresários que financiaram a caída de Jango se sentiam à vontade com a modernização capitalista em curso no País. Se o banqueiro Magalhães Pinto foi o líder civil do golpe, o empresário dinamarquês Henning Boilesen é o grande destaque entre os civis que patrocinaram a ditadura. Naturalizado brasileiro, Boilesen dividia com os militares o amor ao nacionalismo e o ódio aos comunistas. Ele colaborou pessoalmente para o sucesso na caça aos subversivos. Presidente do grupo Ultra, Boilesen ajudou a financiar, junto com outros empresários e industriais paulistas, uma das mais cruéis ofensivas da repressão militar, a Operação Bandeirantes (Oban). Inicialmente clandestina, a operação militar financiada por civis funcionava na rua Tutóia, na zona sul de São Paulo, e deu origem ao DOI-CODI. Era lá que Boilesen ia acompanhar de perto as sessões de torturas dos presos políticos, sendo reconhecido por diversos torturados. O nome do empresário ficou eternizado no aparelho que importou para garantir a eficácia dos interrogatórios: a pianola de Boilesen, que dava choque elétricos em quem apertasse seus botões.

      Os caminhões da Ultragás eram usados nas emboscadas preparadas pela Oban, e em troca, a empresa operava com um “capital de giro negativo”, como relata o filho de Boilesen no documentário “Cidadão Boilesen”, dirigido por Chaim Litewski, recebendo gás da Petrobrás para pagar no mês seguinte. O empenho de Boilesen em manter o avanço do capitalismo no Brasil e sua proximidade aos militares rendeu-lhe um assassinato violento por membros da Aliança Nacional Libertadora (ANL) e do Movimento Revolucionário Tiradentes (MRT), que o mataram a tiros em São Paulo, em 1971.

      Além do Grupo Ultra, diversas outras empresas, indústrias e construtoras ajudaram a manter o regime militar no poder. “Os empresários participaram sempre, participaram em todos os Estados. Havia uma identificação política significativa com os militares, eles achavam que os interesses econômicos deles eram melhores representados pela ditadura”, diz Rosa Cardoso.

      O jornalista Jorge José de Melo, estudioso da vida de Boilesen, escreve em artigo para a Comissão da Verdade que a forma de contribuição dos empresários à repressão militar ainda é obscura. “Existem muitas lacunas e dúvidas sobre as condições em que ocorreu essa colaboração e que certamente demandarão outras pesquisas, já que se trata de tema ainda protegido, inclusive, pela ocultação de arquivos oficiais, públicos e privados”, escreve. Melo ressalta que muitos dos conspiradores civis da derrubada de Jango colaboraram com o regime em formas que iam além do financiamento, como na participação em organizações anticomunistas violentas, por exemplo, integrando o Comando de Caça aos Comunistas, o CCC.

      O deputado Adriano Diogo, coordenador da Comissão da Verdade do Estado de São Paulo, diz que é preciso pensar na punição das empresas que lucraram com o golpe ao patrocinar ações de repressão violentas, em “uma analogia com a punição aos crimes militares”. “Cada ditador trazia um grupo de empresas para o Brasil. O golpe militar foi um grande negócio, ganhou-se muito dinheiro. Os empresários e as empresas também devem ser punidas”, defende.”

  2. O Brasil tem 50 milhões de beneficiários do Bolsa Família, disse a presidenta de boca cheia no debate da Globo. Isso para ela é motivo de orgulho, quando deveria ser uma vergonha. Orgulho seria dizer que em seus quatro anos de governo metade dos que se beneficiam do Bolsa Família deixaram o programa pois têm renda do trabalho.

    • Quando alguém diz que no Brasil tem 50 milhões de beneficiários do Bolsa Família…, é porque não conhece o seu País e às regiões, como é o caso da seca do nordeste, onde se morre de fome e de sede, animais, homens, mulheres e crianças sem distinção. A distribuição da Bolsa Família, pode não ser o suficiente, e quaisquer programas sociais que suavizem o problema, não amenizarão a curto prazo os desastres naturais e ambientais da imensa área árida provocados pela plantação de cana de açúcar, desde época do descobrimento ou do domínio pela Coroa Portuguesa. O êxodo rural provocou, problemas sociais, ocasionando causas e efeitos com grandes transformações nas regiões centro-sul, principalmente, a do sudeste. As grandes capitais (RJ, SP e MG) que se industrializaram, receberam a população migratória, cerca de 70%, principalmente, do norte e nordeste desde as décadas de 70 e 80, e que não estavam preparadas para tal fenômeno. Com intuito de fugir em situação de penúria extrema, os empregos não foram suficientes e muitos partiram para o mercado de trabalho informal e passaram a residir em habitações como favelas e cortiços. Por ser filha do nordeste não vou ficar falando do que sei e o que vi por lá para as pessoas que não têm o senso de humanidade e de solidariedade. O que mais questiono é a falta de sensibilidade e de conhecimento de algumas pessoas que não reconhecem seus direitos fundamentais como seres humanos, e uma delas é a vida, e com ela, a superação da pobreza e da injustiça. É é isso que a Dilma tem feito. Fez com que o Brasil saísse do mapa da miséria e da fome..

  3. Especificamente para o senhor Josuelito Libanor,

    O GOLPE DE 64, NÃO FOI UMA REVOLUÇÃO. O Golpe de 64 impôs um regime de terror por meio do capital financeiro internacional e uma política de superexploração aos trabalhadores e aos mais carentes, incrementando fortemente os níveis de desigualdade social e de pobreza no país. Formou uma burguesia monopólica associada a grande propriedade da terra. Conservou o latifúndio, restringiu a reforma agrária à colonização de novas terras, o que beneficiou as grandes empresas estrangeiras.

    Quanto “aos que foram embora pra Cuba, China, Bolívia, etc deveriam ter ficado por lá, voltaram”, da qual os que “voltaram” foram recebidos como heróis, tanto lá e cá, enquanto, o senhor nesta época, tenha lavado muito bem a latrina do Tio Sam.

    O BRASIL PARA OS BRASILEIROS!!! É DILMA!!!

    • Essa tal Cristina precisa ir a um médico cubano. Depois, ela vai pra Havana. Bilhete só de ida.

  4. Hilde,

    Um recado para os analfabetos políticos:

    As mudanças do Brasil de hoje, é o retorno da agenda interrompida pelo Golpe Militar de 64, que faria o país se tornar mais justo e desenvolvido: as Reformas de Base propostas pelo então presidente deposto João Goulart. Passados 12 anos de um governo popular, o Brasil conseguiu combinar crescimento com distribuição de renda, obtendo média muito maior do que nos anos de neoliberalismo e até da média mundial, no primeiro caso e, no segundo, passando à referência nacional no combate à fome e na distribuição de renda. Políticas sociais não apenas foram implementadas, como institucionalizadas, o estado voltou a planejar, a massa salarial subiu, o crédito se ampliou, o mercado de massas interno se consolidou e garantiu a travessia por duas crises mundiais, o papel das empresas estatais na indução do desenvolvimento passou a ser determinante, acumulamos recordes em reservas internacionais, as rotas comerciais se aprofundaram. A descoberta do pré-sal, a conquista da Copa e das Olimpíadas e houve a conversão de devedor a credor do FMI. Este processo tornou o Brasil a 7ª economia mundial, líder da integração sul e latino-americana, um dos BRICS.

    Assim, como bem disse Chico Buarque, o Brasil passou a falar grosso com os países grandes e até com a economia global, tanto em matéria econômica, quanto em política.

  5. Merece aplausos a precisão das observações da autora do post. Faltou tratar da causa dessa epidemia de ódio disseminado que, na minha opinião, tem origem no uso abusivo, criminoso e descontrolado dos meios de comunicação concedidos pelo Estado para servir a interesses partidários de grupos políticos fisiológicos, corruptos e corruptores muito bem conhecidos, inclusive em apurações da Receita Federal. Em defesa dos interesses políticos inconfessáveis que representam, com a finalidade explicita de destruir o partido politico inimigo, praticaram durante sete anos o linchamento público das principais lideranças desse partido, até culminar o linchamento em um julgamento farsesco que a Hildegard, com grande felicidade, denominou de “MENTIRÃO” (porque foi baseado em acusação infundada e julgado com base em “provas tênues” e distorcidas, com penas majoradas para superar a prescrição, como admitiu o psicopata que relatou e comandou todo o processo da AP 470.
    Dito isso tudo, a bem da verdade, me cabe humildemente pedir um reparo no texto da Sra. Yone, nesse período:

    “Ao contrário, pela primeira vez vejo alguns dos corruptos serem presos, exatamente neste governo atual, porque nos demais jamais qualquer deles foi!”

    Se ela se referiu aos membros do partido dos trabalhadores réus na AP 470, embora os cães ladrem com grande alegria ecoando o propalado pelo Partido da Midia, fundamentado no teatro rebolado encenado com grande esforço pelas suas eexcelencias do STF, nenhum ato de corrupção contra José Dirceu, Genoino, João Paulo e Delubio restou comprovado. Sobre o Dirceu, especialmente, a acusação de formação de quadrilha caiu nos embargos infringentes, embora todo o conjunto probatório já fosse comprometido na fase de instrução do processo. Tudo não passou de uma tentativa bem sucedida de fraude eleitoral em 2010 e 2012, muito lamentável, porque pagamos o salário daquelas autoridades que colocaram-se de joelhos a serviço da parcela da população que, em vez de pagar impostos, sonega-os por meio de operações offshore sofisticadas, como fez a GLOBOPAR em 2002.

  6. Hilde,eu estou super feliz que com o meu “desabafo” publicado por voce, ter gerado uma corrente de protestos não só no seu Blog mas em outros lugares.Não pode ser coincidência! Até o Chiquinho Scarpa, seu amigo, e tenho certeza, seu leitor, postou um desabafo, sobre esta violência que está rolando, atirando brasileiros contra brasileiros, amigos contra amigos, vizinhos contra vizinhos !! Voce me deu voz e outras vozes vieram e agora eu sei que não estou sozinha !E esta violência está partindo dos “45” !! Algumas ofensas continuam, sempre comparando quem vota 13, as piores coisas, mulheres e homens, achando que com isto vão intimidar as pessôas! A voz do povo é a voz de Deus ! Que vença o que o povo achar melhor ! E que os perdedores, saibam perder com classe !

  7. O PT afundou o Brasil. Dillma e Lulla, apoiados por Collor, Sarney e Renan, implantaram o ódio. Jamais votei no PT por entender que se trata de um partido de oportunistas de carteirinha.
    Mamam nas tetas oficiais, não trabalham, vão presos, saem e fogem para longe.
    Domingo, Aécio de ponta a ponta.
    Fora Dilllllma!!!!!!!!!!!!

  8. Infelizmente, fui chamado de “analfabeto”, de “pobre coitado”, e outras ofensas meio pesadas, por eu ser nordestino e por ter “curtido” a página da Dilma Rousseff e desejado, numa postagem, melhoras para ela depois que ela se sentiu mal após o debate. Meu voto é na Dilma, mas, eu não ataco em nada os que votam no Aécio. A verdade é que por mais que ataquem a presidente e seus eleitores, muita coisa melhorou no Nordeste depois que o Lula e a Dilma entraram no poder. Não é um mar de rosas, como é a ideia que jornalistas sociais vendem em benefício próprio, enquanto comercializam agendas, eventos e livros com endereçamento, sobre a fantasia dos nordestinos que gostariam de ser alguém com sobrenome tradicional e tal. A realidade é muito dura e nada tem a ver com ilusões. Porém, descontando os exageros, o povo passou a ter dignidade. Muitas vezes, os comerciantes, industriais, se juntavam para comprar insulinas para diabéticos, remédios, que eram doados ao povo de suas cidades, aos funcionários, na época do FHC. O salário mínimo aumentava R$ 6,00 no ano. Está bem que o FHC fez algo bom com o Real, mas, na prática, é preciso enxergar as boas mudanças ocorridas desde que o Lula e a Dilma entraram na presidência: qualquer pessoas da Paraíba pode viajar de avião agora, com o Bolsa Família, as famílias moram juntas (antes o marido tinha de ir para o sudeste, de ônibus, 3 dias de viagem, para trabalhar e enviar dinheiro por carta – que muitas vezes se perdia -, pelo Correio, para casa) e podem aumentar o comércio local, comprando comida nos mercadinhos, e roupas. Hoje todos têm uma televisão, uma moto, um carro, seja para o trabalho rural ou para estudarem e, o principal, podem usar água de poços artesianos. O acesso as universidades ficou muito mais fácil. Pessoas que antes pediam comida nas portas e feiras livres, hoje têm filhos universitários e conseguem ter dignidade, isso era algo inimaginável na época do FHC. Eu tenho muita pena do povo pobre, me refiro aos que antes moravam em casas de taipa (madeira e barro), esperando o dinheiro chegar pelo Correio. Mesmo os que são muito ricos deveriam pensar o mesmo, pois, não se sabe do dia de amanhã. Eu voto na Dilma para ajudar a todos que vi melhorarem de vida, para que todos sejamos cada vez mais iguais e apesar das ofensas de ser chamado de “analfabeto” e “pobre coitado” por eu ter “curtido” e desejado melhoras à presidente na página dela, eu não tenho dúvidas de que a desigualdade social diminuiu e que as pessoas, hoje, são mais felizes e têm boas oportunidades para o hoje e para o amanhã, votando Dilma 13. Graças à Deus tenho a sorte de ter bons pais que me deram educação e outros “luxos”, mas, não sou egoísta de pensar somente em mim. Sugiro que a maioria das pessoas, ao invés de irem a NYC para estreia na Broadway, que possam visitar interior nordestino e conhecer, conversando com as pessoas, essas mudanças que eu citei e como o Bolsa Família e outros recursos são bem aplicados para aumentar o comércio local e a produção de cada família. Obrigado pela atenção. Abraço do leitor e fã da linda Carmen, Jamill.

  9. Quando Luciana Genro foi agressiva com o candidato Aécio em um debate não houve criticas, a candidata.Daí vieram os ataques de Dilma a Marina e ao Aécio.No segundo turno o PT faz de sua propaganda eleitoral gratuita, uma arma de guerra, e juntamente com a candidata em seus debates, vemos a mentira sendo difundida contra o candidato adversário.O pior é que eles o fazem deliberadamente e conscientes do que estão fazendo.Então esse ÓDIO, é resultado da propaganda enganosa abusiva que o PT vem fazendo pois ela incita a violência . A falta de respeito a mulher, é mais uma que o PT está querendo difundir. Darei o meu voto consciente e com fé de que a mentira não prevaleça.

  10. Estranhamente a AGU afirma que vai agora solucionar o drama dos assistidos do AERUS……Dizer mais uma vez que vai pagar e depois das eleições é muito fácil! Durante anos o Governo vem mentindo e enganando. Duvido e quero ver pagar ANTES do dia 26! Os trabalhadores da Varig viram a CLT ser rasgada, sentiram no bolso, na auto estima e na pele os reflexos de acões deliberadas e de hipocrisias de um governo do Partido dos Trabalhadores que se beneficiou e beneficiou fortemente o capital e os interesses estrangeiros , promovendo uma corrupcão desenfreada no Estado, num crime de lesa pátria sem precedentes na história do Brasil!

  11. Por favor faça a correção de erros, etc não havia terminado e feito correção, quando sem querer cliquei no publicar .obrigada

  12. Concordo 100% com a carta da sra. YONE. Vivemos em uma democracia, muito graças a Dilma e quem colocou os deles na reta para que hoje tenhamos o direito de escolher em quem votar e aceitar e respeitar o desejo da maioria. Essa baixaria, falta de respeito, chegou ao limite do absurdo, ignorancia de pessoas que se auto proclamam os bem educados que votam nos tucanos. Para mim essa imprensa
    – Veja, Globo, Estadão – passou dos limites de noticias com parcialidade etc, tinha que ser enquadrada e a reforma ser feita, assim como foi feita em UK, USA e, mais recentemente, na Argentina.

  13. Parabéns pela carta da Sra Yone e pela resposta de Hildegard Angel.Concordo com as duas! Parabéns!

  14. BRAVO YONE! BRAVO HILDE! Duas pessoas por quem tenho enorme admiração e respeito, por conhecer de perto o trabalho e a vida de ambas, há muito muito tempo, muito mais que 20 anos. Minha indignação, não é menor, conhecendo o passado de tanta gente como eu, ver essas pessoas com passado negro, sujo, agora se fazendo de paladinos da justiça, apontando sua metralhadora verbal, fazendo criticas vergonhosas e ataques violentos, como se fossem investigadores, contadores, juízes, etc. Tenho orgulho das minhas escolhas e do meu conhecimento. Sou Brizola, sou Lula e sou DILMA como em 2010 e agora em 2014. Cada um no seu quadrado #Dilma13

  15. Yone tem razão. Suas candentes palavras são justas, sinceras e preocupantes. O clima realmente anda pesado. o do calor e o das eleições. Amigos de fé brigam entre si. Briga-se com vizinhos. Poucos tem tato, paciência , sensatez e controle dos nervos para trocar idéias, aguentar até as tiradas mais ásperas. O trãnsito caotico ficou pior. Discussões bobas acabam em pancadaria. As redes sociais estão mais repletas do que nunca pelos ordinários, pelos covardões e canalhas que agridem os outros cm nomes falsos. Patifes apenas valentes na frente dos teclados do computador, do tablet ou do celular. Está duro aguentar tantas sandices. O pior é que o eleitor, o correligionário, o cabo-eleitoral, se esfola, se mata, bate e apanha, para perceber, na segunda-feira diante da ressaca civica. que a maioria esmagadora dos politicos não estarão mais nem aí para todos nós. Espero que pelo menos começem a respeitar e zelar mais pelo bem estar do cidadão. Basta de esgodos e conversa fiada.

    • Yone, seu país de Ipanema não é o mesmo de 150.000.000 de brasileiros. Por favor, vc parece mais aquela elite branca que tanto é condenada pelo partido que vc admira. Aliás, seu estilo está muito parecido com o da nossa querida Hilde! Se fosse clone não seria melhor ! Boa noite!

        • Denise por favor ,esta senhora Dilma é leviana sim!!
          mente e muito e todos sabem disto .. pelo menos quem viaja pelo país que vive (Brasil) então por favor chamá-la de leviana nada mais é que do que a verdade… qual é problema disto?? todos querem ser cegos é isto??

        • Se forem levianas devem ser tratadas como tal, por que não ? isso seria discriminação, afinal as mulheres lutaram tanto para serem tratadas como iguais.

      • Paulo, voce não imagina o orgulho que sinto em ser chamada de”clone da Hilde”.Por isto a admiro tanto.Pensamos igual, mas não sou nem a metade do que ela é!

      • Quem é você para falar de Hilde ? quem dera fossemos todos clones da Hilde. Paulo, Você nao sabe o que é a verdadeira história e as vidas dadas para que eu e vc e todos xinguemos a presidente nos dias de hoje, E se souber a verdadeira história e ignora, infelizmente, só tenho a lamentar sobre sua pobre alma e espírito.
        Ninguém está falando aqui que tudo esteja perfeito, há muito a fazer. Aqui há pessoas coerentes, mas acredito que vc queria em lugar de Dilma a ditadura, reconheça. Em breves dias nao teremos pt e nem psdb, teremos um PSOL. Enfim, a corrupção está nos brasileiros, como doença contagiosa, e não em partidos. A diferença é que alguns partidos dão liberdade de ação a justiça e outros, de outrora, cobria tudo . Será que nunca vão reconhecer isto ? Respeite a pagina da Hilde, cujo irmao morreu para que tivéssemos liberdade de expressão também. Opinar pode, mas com respeito.

  16. Infelizmente temos neste Brasil uma legião de pobres de espírito que adoram dançar ao som de melodias feitas para embalar trouxas metidos a espertinhos quase todos com alto coeficiente de malandragens.
    Para eles, eleições são épocas de tirar alguma vantagem pessoal que geralmente é nenhuma, mas como não têm formação cívica, vale tudo. Prejudicam a sociedade, mas nem isso entendem, são pobres de espírito sem personalidade.

  17. Íone, não sei onde vc mora, mas deve ser bem longe do nosso querido Brasil e numa torre de marfim. Fui eleitor de Lula e de Dilma. Trabalhei por mais de 30 anos a bordo da VARIG, talvez vc não saiba, foi a melhor Cia Aérea desse país. Descontei por mais de 20 anos 10% do meu salário para o meu fundo de pensão,Aerus, pois mal, essa Cia faliu por problemas conjunturais e a D. Dilma Rousseff simplesmente negou qualquer auxílio do BNDES. Claro que milhares de profissionais altamente qualificados tiveram que deixar o país e morar longe dos seus. Como isso não bastasse, o governo do PT em 2006, nomeou um interventor no AERUS que decretou o fim do mesmo. Resumindo o Sindicato Nacional dos Aeronautas, SNA, entrou com uma ação responsabilizando a União pelos desmandos executados pelo já referido funcionário . Ganhamos até a última instância, STF e simplesmente a mesma D. Dilma se recusa a acatar a decisão. 1000 participantes já faleceram e suas famílias encontram-se em penúria. Finalizando, como vc, Ione, se fosse participante desse drama reagiria? Votando nessa arrogante e insensível pessoa? Só se estivesse fora de sua capacidade mental. O que não me parece o caso. Pense nisso e boa noite.

    • Prezado Paulo Emayel
      Eu também trabalhei na VARIG, no Departamento de Cargas Importação\Exportação, no antigo Galeão. Entrei por CONCURSO e adorava o meu trabalho lá.Eu fui a PRIMEIRA Agente de Cargas mulher, pois sempre tive um excelente relacionamento humano,e tradição de família, sempre me importei muito com os menos favorecidos.Bati o record algumas vezes,ao conseguir colocar mais cargas num 707,e era adorada pelos pobres carregadores da SATA, mortos de fome, q só tinham um pãozinho e uma garrafinha de café frio pra comer, enquanto toneladas de alimentos bons e LACRADOS (portanto sem risco) era incinerado, conforme norma da IATA, por causa de contaminação, e sobras da Cozinha Industrial, pontas de presunto\queijo\pãezinhos etc. iam pro lixo! Mas NÓS e as Chefias podíamos comer de tudo e até levar pra casa, como via poderosos Chefões colocando na mala do carro quase todo dia! Mas os meus funcionários NÃO podiam! Então, eu decidi, por minha conta e risco, “roubar” quilos desses alimentos (com a conivência de empregados pobres da Cozinha) e levar para os mortos de fome! Fiz isso sempre, até que um Chefe, velho da quadrilha de ladrões de “cargas” FDP me denunciou por eu ter repreendido suas investidas, numa época em que não se conhecia o “assedio sexual”, 1979!
      Sendo funcionária exemplar, com várias cartas de elogio, fui demitida, sem explicação, e os meus trabalhadores se revoltaram e fizeram GREVE! Fui tachada de SUBVERSIVA, pois protestei e ameacei denunciar o que estava ocorrendo, e a coisa ficou feia! No meio do tumulto e minhas ameaças fui chamada por outro Chefe canalha, que me “aconselhou” que era melhor para mim e meu filho dar um “tempo” em Nova York, onde tinha irmã, já saída daqui por causa da Ditadura.
      Assim, fui embora pra lá, onde vivi até ha 5 anos. Nunca vivi em “torre de marfin”, quem me dera, sempre trabalhei muito e quase tudo que tenho consegui com meu trabalho.
      Sou cidadã Americana e Brasileiríssima! Como já deu pra ver, “capacidade mental” é o que não me falta, e coragem também.
      Best regards..

  18. Cara Yone, não foi o governo de Dilma quem colocou ninguém na cadeia, muito pelo contrário, várias foram as artimanhas para que não fossem julgados. Devemos isso ao grande Joaquim Barbosa.
    E no mais, fooooooooooooooooooooooora PT! Sou ex-militante que foi traída por esse grupo de petralhas.

  19. É lamentável o que temos assistido nas mídias e redes sociais, tanto ódio e intolerância. Hipócritas é no mínimo o adjetivo que usaria para definir as pessoas que que cometem tanta indelicadeza para com o outro.

  20. Obrigada querida amiga. Assim caminha a humanidade….até o Chico Buarque, que ha 1 mês era o maior compositor,maior cantor, mais lindo, mais perfeito, os + lindos olhos de ardósia, o TUDÃO, das mulheres e homens,e tome youtube da suas musicas,sempre seguidas de “trocentos” elogios, em 1 minuto de apoio à candidatura da Dilma virou bandido, ladrão,corrupto, COMPRADO,safado,canalha..you name it..namorada “ganhou” Lei Rouanet que a maioria nem sabe exatamente o que é,nem como funciona! Enquanto isto, o “di Camargo”, debochado, ridicularizado, suas músicas “cafonas” (e outros menos votados) agora virou o TAL….só usando a linguagem do FBK. KKKKKKKKKK e como seria lá fora L.O.L….

  21. Clap, clap, clap !!!!!! \O/ \O/ \O/
    Me deu vontade de chorar…
    Como dá vontade de chorar por cada história de uma preso político.
    E fico pensando mesmo se uma Mirian Leitão da vida passou aperto na ditadura.
    Se passou ela soube muito bem esquecer e fazer-se de algoz eM vez de vítima.
    Sim, pois a vergonha, mágoa, tristeza está do lado das vítimas ainda.
    Não há remorso nos algozes, e talvez por isto muitos estão se tornado algozes.
    Os valores da verdadeira ELITE são estes representados nesta pessoa tão coerente YONE KLEGER, só poderia ser AMIGA de HILD.
    Elite de caráter e não valore$ (?) firmado em status de dinheiro e poder.
    Vcs são Exceções de exceções.
    Eu sou plebe total, mas sei o que é joia preciosa em termos de caráter.
    Não tenho nível superior, mas leio e reflito no que leio, não me ponho como centro, me ponho como todos e assim entendi a verdadeira história do Brasil e de outros países, como a Argentina, que passou semelhante desespero na Ditadura.
    Não há palavras para descrever o que está saindo do íntimo de cada pessoa nestes últimos tempos, aliás, desde a tal copa do mundo, onde não
    caiu nenhum estádio em cima dos turistas, para desgraça dos que torciam por isto. Mas..eu que não fui, orei, sim, orei a Deus e pedi que cada turista viesse e voltasse com sua vida e vendo o que é o povo brasileiro.
    Há um apartheid sendo criado.
    Eu sou pequena, mas não me calo.
    Um abraço.
    Deus vos abençoe.
    Marynha Nordestina.

  22. Hilde ha muito nao comento seus Artigos, mas sempre em alerta e em sintonia, lendo todos os seus Artigos que admiro muito, admiro tanto que ja sonhei almocando em sua Residencia com voce.
    Enfim a Yone escreveu aquilo que venho sentindo com alguns amigos, por causa da Politica, alguns tive que excluir, temporariamente pra nao brigarmos, eles confundem Politica com Amizade e fazem todo tipo de Comentario e ataques, a unica diferenca e que sou Aecio Neves, nao gosto dessa Presidenta, mas os ataques sao os mesmos em relacao aos dois candidatos.
    Bjs!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *