O CASAMENTO DE JOSÉ WILKER QUE A IMPRENSA NÃO CONTOU E VOCÊ NÃO SOUBE, AQUI COM FOTO E TUDO

No dia da morte de José Wilker, meu antigo companheiro de elenco na peça A mãe, em 1971, escrevi sobre ele aqui: O JOSÉ WILKER QUE EU CONHECI DE PERTO

Falei sobre a noiva psicanalista, noivado à moda antiga, aliança no dedo direito, almoço nos finais de semana com a família dela, num cenário totalmente burguesia Zona Sul, a antítese do Wilker transgressor daqueles anos, na vida e nos palcos.

A noiva era a mítica “Elzinha”, nome cochichado discretamente, pois poucos no meio teatral a conheciam e sequer a haviam visto. Até que um dia, no auspicioso ano de 1974, depois de um longo noivado, eles enfim se casaram.

Foi tudo dentro dos padrões burgueses da época, conforme vocês podem constatar na foto histórica abaixo. Os pais convidando, da noiva e do noivo, ambos vestidos de branco no altar da Igreja Nossa Senhora da Conceição, transpirando felicidade.

A mãe de Wilker chamava-se Santinha, mas santa de fato aparentava ser a noiva, a jovem Elza Rocha Pinto, linda e angelical, como eram as noivas daqueles anos.

O único toque inusitado foi o lay out do convite, evocando o de um programa de teatro (o formato era bem o dos programas teatrais daqueles anos) como se “O Casamento” fosse o título de um espetáculo e se, além dos noivos, houvesse um “grande elenco”. Ah, e a entrada era “franca”.

Wilker e Elzinha não chegaram a ser “felizes para sempre”, uma pena, porém o matrimônio durou uns bons e longos 12 anos, até se separarem e ele contrair novos laços de casamento com a atriz Renée de Vielmond, posteriormente com Mônica Torres e por fim com Guilhermina Guinle, de quem também se separou.

Por mais que desejasse se enquadrar em parâmetros convencionais, a inquietude estava impregnada em sua alma.

Volto ao tema porque não li em qualquer dos muitos obituários publicados referência a este que talvez tenha sido o mais longo e planejado dos casamentos de José Wilker, e aquele que, seguramente, foi o único precedido de noivado, iniciado com ele jovenzinho, na flor de seus 20 e poucos anos.

 

CASAMENTO ELZA MARIA ROCHA PINTO  com JOSÉ WILKERCONVITE CASAMENTO ELZA MARIA e JOSÉ WILKER ALMEIDA 29março1974 2

11 ideias sobre “O CASAMENTO DE JOSÉ WILKER QUE A IMPRENSA NÃO CONTOU E VOCÊ NÃO SOUBE, AQUI COM FOTO E TUDO

  1. É bom demais conhecer fatos que não entendemos porque são ignorados…
    Parabéns!!!

  2. Hilde,
    Quero agradecer sua delicadeza comigo.
    Estou emocionada com seu texto.
    Conheci Wilker em 64, casei em 74, e o divórcio foi em 77. Portanto, você tem razão. Foram vários anos através dos quais tive o privilégio de conviver com ele. Poucas pessoas sabem disto, e fiquei surpresa com sua memória.

    Ainda não estou em tempo de escrever sobre Wilker. Espero chegar lá em breve.
    Por enquanto estou apenas recuperando as memórias perdidas ao longo destes anos. Através dos amigos dos tempos difíceis, como você.

    Fiquei feliz por ver como você se lembrou do lado brechtiano de Wilker, tímido em relação às próprios sentimentos. Suas emoções muitas vezes eram enigmas que a gente precisava adivinhar por outros meios, não verbais. Um gesto de carinho, um olhar maroto, o jeito do corpo se expressar sem palavras. Flores e poesias…

    Foi muito bom relembrar “A Mãe”.
    Acompanhei todo o processo de aflição/criação de Wilker naquela época.
    Lembra como ele foi parar no hospital, no dia da estreia? Plateia cheia, e ele passando mal. Seu corpo emocionado expressava uma angústia sobre a qual ele não conseguia falar. Vocês quase não estreiam.

    Um abraço, com muito carinho e saudades.

    Elza Maria

    • Oh, Elzinha,
      Que delícia sua manifestação.
      Nada como uma boa psicóloga, sobretudo uma mulher que foi realmente apaixonada como você, para traçar um perfil complexo como o do Wilker com tamanha clareza.
      Quem me lembrou do episódio angustiante da estreia foi Francis, meu marido, que na época era meu namorado. Foi ele quem socorreu, levou Wilker para o hospital, onde um primo seu, o médico Levon Bogossian, estava atendendo. O diretor Claude Régy literalmente deixou o elenco “pirado”, como se usava dizer. Quase não estreamos, mas estreamos, e o Wilker esteve absolutamente fantástico.
      Beijos e esteja bem e feliz,
      Hilde

    • Que lindo …
      Estava pensando … quanto Amor …
      Sou da geração “Garotas Apaixonadas por Wilker “ .
      Beijos

  3. Li a reportagem sobre o casamento da Elza Maria,eu moro em Lorena ,SP sou muito amiga da prima irmã dela me lembro perfeitamente do casamento doa dois ,passaram um carnaval aqui nós todos juntos.A prima dela se chama Sonia,são muito ligadas.Nós estávamos impressionados como o primeiro casamento foi esquecido.

    Helena Maria

  4. Hilde, só vc prá gente saber das coisas. Um casamento de 12 anos e a imprensa nunca falou nisto. E a moça não sendo do meio artístico então …Adorei ver a foto e saber de mais este capítulo da vida do Wilker.

  5. Hilde,
    Vc, procurando , sempre, com IMPARCIALIDADE, colocar brasileiros e brasileiras a par da nossa VERDADEIRA história q é da maior importância, inclusive, para futuras gerações.
    Assim, o casal de noivos ELZA MARIA ROCHA PINTO e JOSÉ WILKER, faz lembrar “VALSINHA” música linda do Chico Buarque!
    Tem tudo a ver!
    Emociona!
    Valeu!
    maria edna

    • Hilde, tambem recebemos aqui em Fortaleza o convite do casamento, pois sendo “diferente” dos convencionas, guardo ate hoje em minha memoria. Vale dizer que minha familia e de Juazeiro do Norte, terra natal do wilker. Nao entendi por que nao falaram neste casamento tao planejado! Regina Bezerra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *