Gaultier mergulha na vida carioca

Em se tratando de cicerones, Jean-Paul Gaultier está muito bem servido no Rio. Ontem, sua amiga Betty Lagardère o levou para almoçar num restaurante que é um achado, dentro de uma floricultura, no Itanhangá, e que ele achou “super”. Liège Monteiro e Luiz Fernando Coutinho o apresentaram ao samba, também ontem, na quadra da Mangueira, onde ele se acabou até as três da manhã ao trepidar da bateria verde e rosa, junto com Farida Khelfa, diretora do filme sobre ele, Quebrando as regras, e da Lagardère...

Simpático e atencioso, Jean-Paul jogou charme para as passistas que requebravam com seus corpos esculturais, que ele chamava de “trés jolie”. Chegou a ensaiar passos de samba com a bateria nota 10 da escola e ficou encantado com os rapazes bonitos que lotavam a quadra e o cumprimentavam, deixando claro que ele é, realmente, uma figura popular…

A ferveção de Gaultier continuou neste domingo, com ele no carro principal do Grupo Arco-Íris, na Parada Gay, da qual o estilista irreverente e transgressor fez questão de participar, ao lado de Liège e Coutinho. Logo mais, às 20h, vão à avant-prémière do seu filme, no Estação Sesc Botafogo...



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *