Compare e julgue: a Barra da Tijuca tem a ver com um ‘Principado’ independente, tal e qual o de Mônaco?

Confiram aqui no quadro comparativo as similaridades entre O Principado da Barra e o Principado de Mônaco. E depois a gente conversa…

grace-de-monaco

Princesa Grace de Mônaco

Nina Kauffmann _MSA_4455_foto Miguel Sa

Nina I, a promoter da Barra

Heliana Lustman

Heliana Lustman Carvalho, a nobreza empresarial da Barra

maria helena peres

Maria Helena Peres, soberana dos Shoppings

solange medina

Solange Medina, mais uma ‘Grace Kelly’ do Principado da Barra

principados

Via EnviouChegouNews

Recomendo a vocês a leitura desses outros posts, nesta página:

Despedindo de Yonita, uma luz entre Todas As Mulheres Do Mundo

Uma noite feliz, noite de amizade, de rasga coração e até da maravilhosa Alice, que chegou para brilhar nos salões

Um almoço nobre, com princesa e tudo, no mais aristocrático dos endereços do Rio

Cuba declara guerra ao Brasil. E a artilharia é pesada: Miss picota vestido da adversária!

Brasil na lista dos 20 países com as maiores fortunas particulares do mundo

Um espetáculo cativante e sedutor, que forma plateias e tem tudo para lotar grandes teatros… com ópera!!!

O Principado de Mônaco e o Principado da Barra, com suas princesas encantadas

14 ideias sobre “Compare e julgue: a Barra da Tijuca tem a ver com um ‘Principado’ independente, tal e qual o de Mônaco?

  1. A Societe´des Bains de Mer não é uma especie de Embratur, é a companhia dona do Casino e do Hotel Hermitage, sociedade por ações que foi controlada nos anos 20 por Sil Basil Zaharoff, o rei dos armamentos da Europa e após a Segunda Guerra por Aristotele Onassis.
    Quanto a comparação com a Barra da Tijuca não sei qual seria, são contextos historicos, sociais, economicos, politicos completamente diferentes.
    Monaco faz parte do contexto da Riviera, região que foi descoberta pela aristocracia britanica por volta de 1850, como refugio do drastico inverno inglês e depois, em torno de 1890, pela aristocracia russa, para fugir do inverso russo, aindo pior que o inglês.
    A região tem portanto uma carga historica que a Barra não tem, tampouco tem uma sociedade comparavel a não ser que seja pela existencia de novos ricos vulgares nas duas zonas, a Riviera de hoje tem muitos milionarios arabes e russos com casas na area. Moaco se distingue de Nice, Cannes, Cap Ferrat e
    Antibes por ser tambem um paraiso fiscal, o que a Barra não é.
    A semelhança que existe e serem ambas a beira mar, nada mais.

    • Leitor André, é preciso ter imaginação e criatividade até mesmo para ler e interpretar uma notícia. Naturalmente que a Societé des Bains de Mer é uma empresa que domina todas as ações de turismo de Mônaco. Mas no Brasil a única coisa que temos que poderíamos chamar de “uma espécie de correspondente a” é a Embratur. Estatal. Boa parte dos interesses da Societé é dos Grimaldi. Quanto à comparação, voltamos ao comentário da primeira frase… há que ter imaginação e criatividade para ler e interpretar a notícia. E também há que ter humor e leveza. Caso contrário a vida fica realmente severa´, literal e, perdoe-me dizer, maçante.

      • HILDE [se me permites, carinhosamente]: para mim tu és a única que se parece com uma dama real. E perceba que não peciso te adularl Não é a beleza em si; é o trato, a delicadeza, o sorriso comedido e educado, a finura no tratamento para não chocar, como a mulher do cunha com aqueles olhos arregalados e frenéticos….Também o brilho doce no fundo dos olhos, repletos de compaixão e muito amor para dar . Gosto quando falas de política, tens muito mais a dar…[minha irmã é pioneira da Barra e é igual a ti].

  2. Duvido que em Mônaco tenha mais mulheres bonitas, exuberantes e elegantes, do que na Barra da tijuca. Fico tonto com tantas formosuras que você publica. Prossiga.

  3. Belo artigo ,Hilde. Lamentavel e constatar aqui textos que ferem – ou melhor – MATAM a lingua de Camoes, como esta fulana “arriba”! Abcs

  4. As pessoas que falam da “realeza” de Mônaco, citando educação e “classe” , parece que não conhece os escândalos dos filhos da finada Grace! Ainda não vi nada parecido na Barra! Grace não era nenhuma “santa”,mas uma mulher linda,muito bem educada de família classe média Americana, porém teve romances com atores casados, antes do Príncipe!.Terminei de ler ” Richard Burton. A life”,por Melvyn Bragg, onde sua vida com Liz, glamurosa, mundana e Globe Trotter,dos anos 60\70,fala muito de Grace – pois eram amigos- em Festas na Europa, umas na Mansão dos Barões de Rothschild, onde Grace age e se comporta como as outras, em cenas hilárias, sem nenhuma arrogância, e diferença de atitudes. Aliás, pra quem não sabe, a maioria dos Europeus, não considera os Monegascos, verdadeiramente REAIS.Principalmente os Britânicos!Quem implica com a Barra sua beleza e luxo,sem nem conhecer as pessoas citadas, tem é inveja. ENTENDI perfeitamente sua comparação, e concordo plenamente.

  5. Muito bem colocado Dina! Comparar uma promoter sem nenhuma humildade com Grace Kelly, parece até matéria comprada! Esse mundo que você citou de princesas da Barra é um mundo de futilidades e educação infelizmente não se compra com dinheiro, ela vem de berço!

  6. Hildegard Angel como sempre texto perfeito. São os novos tempos o século 21. E como você mesma diz é para frente que se anda ,mas se ter referenciais sempre é muito bom ,para não se repetir erros.

  7. Sinto ter que mostrar-lhe, querida Hilde, a diferença fundamental que fez de GRACE, realmente, uma princesa: a beleza, a graça e a humildade, fora do comum. Grace era elegante e discreta, por natureza. Essas senhoras não se parecem com a nobre GRACE; nem ao menos os homens de lá se parecem com os de cá. A única coisa que possuem em comum é o dinheiro.

    • Permita-me discordar inteiramente de você. Um novo mundo, um novo momento, uma nova vida, um outro país, um outro elenco. Comparações, algumas vezes, servem como referência construtivas, não para diminuir. Para a frente é que se anda, dando-se tempo ao tempo. A Barra é jovem. Mônaco tem sete séculos de monarquia Grimaldi. Algumas de nossas princesas barrenses são traquejadas e absolutamente impecáveis, outras estão a caminho de alcançar o ‘padrão Grace’, e pelo andar veloz da carruagem… Boas referências inspiram, querida Dina.

      Beijos e perdoe-me se editei um pouquinho sua tão bem escrita mensagem. Você há de me entender. Quanto ao almoço que inspirou a matéria, foi uma tarde alegre, descontraída, de senhoras muito agradáveis, totalmente conectadas com a moda e muito gentis. Você gostaria de ter estado lá.

  8. Estudei, em Philadelphia,PA,”””””Havenhill Academy o Assumption”””mesmo colegio, dela e da irmã,a qual, ainda estudava,na minha epoca. De, uma familia, finerrima, riquissima,classe absoluta, de uma linhagem, uma princesa…………………..REAL…………

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *