14 ideias sobre “Wadih Damous: “Está em curso um golpe de Estado, neste momento, no Brasil!

  1. Vamos falar de corrupção?

    Incapaz de enfrentar comparações entre os governos petistas e seus antecessores, a direita procura deturpá-las com o estigma da corrupção.

    Numa apropriação muito sugestiva do slogan lulista, nasce a ladainha do “nunca antes houve tanta safadeza no país”. Afinal, as ilegalidades hoje repudiadas pela sociedade não apenas foram criadas pelo PT, mas atingiram níveis inéditos sob seu comando.

    Para desqualificar tamanha bobagem, podemos até excluir os famigerados José Sarney e Fernando Collor do retrospecto. Mesmo restrito aos oito anos de FHC, o precedente escandaloso ultrapassa todos os padrões atuais.

    Foi sob administração tucana, por exemplo, que Nestor Cerveró, Delcídio Amaral (então filiado ao PSDB) e outros réus da Lava Jato iniciaram suas articulações diretivas na Petrobras. Uma única transação suspeita, de 2002, teria rendido R$ 100 milhões em propinas. Esse aporte parece modesto, porém, diante da dinheirama que lubrificou as verdadeiras ladroagens da época.

    O viciado contrato do Sistema de Vigilância da Amazônia custou US$ 1,4 bilhão ao erário. O socorro a bancos falimentares, que envolveu aliados de ACM e subornos a deputados da base (citados na “pasta rosa”), levou mais de R$ 13 bilhões (o dobro do caso Petrobrás atual). As fraudes na Sudam e na Sudene atingiram R$ 17 bilhões. A quadrilha dos precatórios do Departamento de Estradas de Rodagem desviou cerca de R$ 130 milhões.

    Mas nenhum desses absurdos bilionários se equipara ao dano financeiro causado pelas privatizações do período: Companhia Vale do Rio Doce, Embratel, Companhia Siderúrgica Nacional, Sistema Telebrás, Embraer, etc. As jogadas para viabilizar os esquemas (injeção prévia de recursos, financiamentos com verbas públicas e moedas “podres”, valores deixados em caixa, dívidas perdoadas) chegaram a R$ 88 bilhões.

    Quase todos os casos foram ignorados pelo então procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, com uma regularidade e um despudor que lhe renderam a carinhosa alcunha de “engavetador-geral”. Basta saber que mais de 450 inquéritos foram engavetados ou arquivados pela PGR até 2001, inclusive contra 11 ministros e o próprio FHC. Hoje parece absurdo, não é mesmo?

    Eis a diferença entre os escândalos de FHC e de Lula-Dilma: até 2003, o Judiciário nunca ousou averiguar, menos ainda punir, as falcatruas envolvendo o PSDB. E continuou seletivo depois, no seu surto de moralismo antipetista.

    Portanto, os desvios não eram menores no passado; eles apenas gozavam da tolerância das cortes e do silêncio da mídia corporativa. E são essas as fontes atuais da narrativa ultracorrupta dos governos petistas.

    http://www.guilhermescalzilli.blogspot.com.br/2016/03/vamos-falar-de-corrupcao.html

  2. Quando você diz “ação golpista da mídia e do judiciário” seria interessante esclarecer que o recurso da DELAÇÃO PREMIADA foi institucionalizado pelo mandato de DILMA em agosto de 2013, não foi inventado agora por Moro ou pela “mídia golpista” para perseguirem o PT. O ex-presidente, sim, é totalmente responsável pelo tipo de relação que estabeleceu em seus mandatos com as 5 maiores empreiteiras do país, bem como com políticos de seu partido já condenados pela Lava-Jato e cumprindo pena.

    • Este recurso não inclui ao que se saiba o vazamento seletivo de delações, como ffeito na Operação Vaza-a-Jato. O próprio Moro já reconheceu que os vazamentos são seletivos.

      Pergunto eu então: qual o serviço público da operação em proteger outros? O que há de politicalha do Judiciário por trás disto? Qual a intenção em não se manter informada a população de tudo que está sendo delatado, contra quem quer que seja?

      E vc disse-o bem, o recurso foi institucionalizado pela Dilma, não haveria qualquer possibilidade de acontecer o que acontece atualmente nos governo FHC, Sarney, Collor ou Lula.

  3. A Condução Coercitiva foi uma grande afronta ao Estado de Direito Democrático, principalmente, no que diz respeito a um ex-presidente de uma República Federativa Democrática. Como disse muito bem o Deputado Wadih Damous, na base de coação, tendo a presença da força de repreensão armada nas primeiras horas da manhã sob ordem de um Juiz civil que a meu ver, arbitrário e autoritário. Mais uma outra lembrança me ocorre nesse momento, é que no período da Ditadura, os que eram pegos na base do “prendo e arrebento”, iam direto a um aeroporto, seja a do Santos Dumont ou da Ilha do Governador (CAN), e de lá sumiam. E detalhe, com o meu olhar calejado pude ver a imagem de um avião da FAB
    Nenhum Filho do Brasil fugirá da luta, seja com que arma for. Resistir é preciso, até que o último tombe.

  4. Você é asquerosa. Rancorosa e conivente. Acaba aqui o respeito de muitos por você, que defende corruptos que tentam destruir o Brasil. O país tem que pagar pelas suas tristezas… Pequena e pueril! O Brasil é mais!

  5. Esse tal de Wadi é um petista que precisa saber, o quanto antes, que golpe é o que o PT deu nos cofres da Petrobras e outras estatais.
    Golpe é o tríplex, é o sítio de Atibaia, é a série inacabável dos assaltos aos cofres públicos.

  6. Tomara que isto seja verdade, pois vamos acabar com esta farra, e vamos nos lembrar destas pessoas que ficam defendendo bandidos, esses Leninistas safados!

  7. Dr. Sérgio Moro, Golpe de Estado é para profissionais e não para amadores… claro, Vossa Excelência fez o estágio, lá nos EUA, no lugar errado, ou seja, em vez do Depto de Justiça deveria ter ido para a “Escola das Américas”, local de onde saíram os maiores golpistas e ditadores que massacraram os povos da América Latina. Tente novamente… quem sabe pelo Programa “Ciência Sem Fronteiras” do Governo Dilma.

  8. Quando vejo as justificativas dadas para as atitudes de juízes de hoje, não sei porque me lembro do pior inquisidor que houve Tomás de Torquemada, que dizia para se justificar, que se a pessoa fosse inocente, o fogo que a queimaria não acenderia, e com essa justificativa esdrúxula , milhares de inocentes foram mortos na fogueira da inquisição. Hoje a justiça atual do Brasil não me da segurança, e sim medo.

  9. Hilde, eu sinto muito mesmo, ouvir o Wadih, a Jandira(os dois daí do Rio), a Luciana Santos presidenta do PCdoB, dizerem nos canais de comunicação que tem um golpe em marcha contra o poder que eles fazem parte, com a Dilma, com os governos das siglas em todo os país, eles dizem isso, eu lamento, parece um abaixo assinado de renúncia de governo por medo da direita ou pior ainda um auto-atestado de incompetência administrativa. Pelo amor de Deus Hilde, vc. que tem credibilidade com essa esquerda chorona, diga a eles e eu se puder direi também, que quando não se segurarem pelo menos dêem nomes aos bois e vejam se num divã de psicoterapia não internalizam os valores da repressão da direita. Abraço ALS.

  10. Se for para restaurar a Monarquia Constitucional Parlamentarista , não será golpe… mas Contra Golpe, porque o Golpe foi dado em 15/11/1889 . Se este Contra Golpe vier, será pela vontade da Nação , para nos livrar de parte desta Classe Política , tanto no Executivo, quanto no Legislativo e até no Judiciário, que, em alguns de seus setores, tem exercido, na falta dele, atribuições do Poder Moderador, que é lembrado, com saudades, pelo Povo Brasileiro De facto, se este Poder ainda existisse , muitos políticos estariam incluídos no caderninho preto, de onde como Dante :” Lasciate ógni speranza, OH voi Che entrate ” .

  11. Pelo andar da carruagem, nesta ânsia insana de aniquilarem o Presidente Lula, uma das próximas fases da Operação Lava-Jato, aliás Vaza-Jato, será a “Operação Doutoris in Cana” cuja missão será prender todos os Reitores, das universidades brasileiras e estrangeiras, que concederam título de Doutor Honoris Causa ao nosso querido Presidente Lula… e eles, os reitores, só deixarão a prisão depois de assinarem uma delação premiada informando que Lula comprou o diploma com dinheiro da Petrobras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *