VREELAND x WINTOUR: RAINHA MORTA, RAINHA POSTA

A propósito do belo post sobre a mostra do fabuloso costureiro Charles James ( acessar aqui A mostra de Charles James no Met), esqueci de um comentário fundamental:  Quem ajudou a criar e fundar o The Costume Institute e a conseguir introduzir a MODA num museu, contra tudo e contra todos, foi a legendária Diana Vreeland, o monstro sagrado da moda americana do século 20. Editora da Vogue e da Harper’s Bazaar, a deusa, a diva, aquela a quem todos reverenciavam e respeitavam. Ela quis The Costume Institute no Met, batalhou por ele, foi diretora e curadora de uma dúzia de mostras maravilhosas ali, como a de Yves Saint Laurent. Lá houve inclusive uma exposição sobre a própria. Mas, rainha morta, rainha posta. Quem contribuiu para implantar foi a visionária Vreeland, que enxergou além de seu tempo, mas quem vai levar é Anna Wintour, a jornalista poderosa do momento. Afinal, todos sabemos, O diabo veste Prada… e é assim que o mundo gira.

Vreeland não pensou no futuro, vivia o mundo dos sonhos e da beleza da alta costura e morreu pobre, com graves dificuldades. Wintour já é uma milionária, pois vive a realidade deste mundo, em que quem não tem competência financeira não se estabelece.

 vree

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *