Uma das mais festejadas princesas do mundo foge de seu sheik em Dubai, se esconde em Londres e pede asilo à Grã-Bretanha

Princesa Haya, filha e irmã de reis, mulher de sheik

Nem a Disney conseguiria criar um conto de princesas tão palpitante quando o affair que se passa na vida real dos Emirados Árabes Unidos, com a fuga de Dubai da linda princesa Haya, deixando para trás o emir, sheik Mohammed bin Rashid al-Maktoum, um dos homens mais ricos do mundo.

O emir de Dubai é adepto do falconismo

Essa história vem sido contada, pelo próprio sheik, que é poeta, em versos como  “Oh querida, não há mais nada a dizer. / Seu silêncio mortal me esgotou” e “você não tem mais lugar comigo”, bem como “eu não me importo se você viver ou morrer.” Todos disponíveis no site oficial do governante de Dubai, em árabe e em inglês, para quem queira ler.

O sheik e a princesa nas corridas em Ascot

Loura, 45 anos, referência da moda e da benemerência, vestindo com grande elegância o melhor da alta costura internacional, Haya é a mais conhecida das seis esposas do xeque, e com todos os motivos para isso. Filha do antigo rei da Jordânia, Hussein, meia-irmã do rei atual, Abdullah II, ela estudou em escolas inglesas, cursou filosofia, economia e política em Oxford, representou a Jordânia nas provas de salto nas Olimpíadas de 2000, presidiu a Federação Equestre Internacional e, junto com o marido, mantém uma relação de amizade com a rainha Elizabeth II.

Com Kofi Annan

O casal com a rainha Elizabeth II

Porém, no início do ano ela fugiu para Londres, onde foi se abrigar numa casa avaliada em mais de 100 milhões de dólares, perto do Palácio de Kensington, onde moram seus dois filhos, de 11 e 7 anos. Haifa já teria solicitado asilo à Grã-Bretanha. Quem conta é uma pessoa ligada à família real. Não são incomuns as fugas nessa família. Duas filhas de outro casamento do sheik Mohammed, as sheikas Shamsa e Latifa, fizeram o mesmo. Latifa partiu num barco no Mar Índico rumo à Índia e aos Estados Unidos, onde foi localizada por um detetive e capturada por agentes do Emirado, sendo levada de volta para Dubai, a maior cidade dos Emirados Árabes Unidos.

A princesa Latifa em fuga gravou vídeo em local não identificado, nos Estados Unidos

Sempre vista, junto com seu marido, no Royal Ascot, no Epsom Derby e em outros eventos top do calendário equestre inglês (ele é dono de um Haras importante, chamado Godolphin), a princesa Haya é uma das celebridades mais cultivadas pela imprensa britânica. A mídia dos Emirados a cobre de elogios por seu trabalho humanitário e por seu casamento “de sonhos” com o xeque Mohammed, 69 anos, que foi celebrado em 2004, com uma cerimônia em Amã.

Princesa Haya e seus principezinhos, Jalila e Zayed

O primeiro ministro, vice-presidente dos Emirados Árabes Unidos, emir de Dubai, sheik Mohammed bin Rashid al-Maktoum, com os filhos

Os maiores escritórios de advocacia londrinos já estão de olho nessa complicada causa bilionária de divórcio, que deverá envolver a tutela dos filhos, o que pela lei islâmica costuma ser do pai, bem como é o controle da educação e das finanças dos filhos. Outro complicador é que se trata de um casamento polígamo. Não seria, porém, o primeiro casal internacional super-rico a se separar em tribunal em Londres, devido às proteções de privacidade do sistema legal. Como o casamento foi na Jordânia e a cidadania do casal é dos Emirados, as negociações de divórcio poderão ter prosseguimento em Londres, caso a princesa Haya estabeleça residência lá.

Príncipe Charles, em Dubai, recebido pela princesa

O rei Hussein, da Jordânia, com a filha, Haya

O sheik Mohammed, governante de Dubai, primeiro ministro e vice-presidente dos Emirados Árabes Unidos, não deverá criar dificuldades para o divórcio. Seus poemas dizem sobre o casamento: “Temos uma doença que nenhum remédio pode curar” e que “nenhum especialista em ervas pode remediar.”

O casal de sheiks Haya e Mohammed bin Rashid al-Maktoum, em foto postada por ela em seu Facebook, assim como as demais aqui

Haia ainda não deu entrevistas, não se sabe o que a levou a fugir de Dubai, mas uma das princesinhas capturadas de volta, Latifa, alegou que sua vida lá é sufocante. Há rumores de que a partida de Haifa está ligada a revelações graves sobre o que levou à fuga de Latifa, que na época divulgou um vídeo nas redes sociais dizendo-se em perigo. Hoje se fala que Haifa também temeria por sua vida.

Princesinha Jalila cavalgando no deserto

Pai e filha em Ascot

O pequeno príncipe Zayed brinca de “amarelinha” nas areias de Dubai

A sheika de Dubai em audiência com o Papa Francisco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *