Rio 40º, homens de saias kilt, tocando gaitas de fole

Naquela tarde, o Rio de Janeiro deu uma trégua ao calor intenso e providenciou uma brisa, um sopro marinho vindo lá de longe do Atlântico, pra lá do Morro Cara de Cão, da Fortaleza de São João, bem além de Niterói.

Um ventinho leve, que se espraiava pela Urca, ao pé do Pão de Açúcar, vinha contornando a enseada de Botafogo, o Morro da Viúva, até acariciar as copas das árvores do Parque do Flamengo e bater nas sacadas dos apartamentos da Praia do Flamengo…

Assim, o almoço de despedida para o cônsul-geral do Canadá, Sanjeev Chowdhury, e seu companheiro, o chef vietnamita Kiet To, em que os paletós e as gravatas foram dispensados, o único calor foi mesmo o da amizade e o da saudade já previamente sentida.

Verdade que o ar refrigerado forte, nas salas e varanda do almoço sentado, também ajudou, que seguro morreu de velho e ninguém é de ferro.

De Brasília, veio o embaixador do Canadá, Rick Savone. De São Paulo, o cônsul-geral, Stephane Larue, e a consulesa, Karine. A nova cônsul-geral no Rio de Janeiro, Evelyne Coulombe, e Craig, já instalados na cidade com os filhos, também presentes. Assim como a jornalista, correspondente canadense, Stephanie Nolen.

O presidente da Brookfield no Brasil, Luís Simões Lopes. O ex-Motion Pictures e atual Rio Filmes, Steve Solot, com Kate Lyra –  “brasileiro é tão bonzinho”. Da ‘troika’ de assessores de Turismo do prefeito Crivella, o presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Paulo Manoel Protásio. O ex-presidente da ACRJ, Antenor Barros Leal, com Silvia.

O presidente da Rede Copacabana Praia de Hotéis, Aloysio Maria Teixeira, e Joanna. O diretor do Projeto Música no Museu, Sérgio Costa e Silva, com Ignês; os médicos Volney Pitombo, Francisco Barreira (com Alice Tamborindeguy), Rawlson de Thuin e Fabio Cuiabano; a museóloga Vera Tostes; os casais Claudio Aboim, Gilson Araújo, Gilson Araújo Jr. eram alguns entre os 50 amigos de Sanjeev, convidados da tarde.

Houve discursos. Num deles, a anfitriã parodiou letra de canção do canadense Leonard Cohen e leu as palmas das mãos dos homenageados, “adivinhando” que em futuro muito próximo eles passarão seis meses em Paris, aprimorando saberes vários. De fato, é para lá que Kiet e Sanjeev embarcam hoje.  Depois, retornarão ao Canadá, para Chowdhury servir ao seu ministério, com o brilho e a lealdade que caracterizam seu caráter.

Prosseguindo a leitura das mãos, a ‘quiromante’ predestinou a enorme falta que todos sentirão daqueles que se despedem, e previu que o Canadá estará bem representado, no Rio de Janeiro, pela nova cônsul-geral, Evelyne Coulombe, parabenizando o embaixador Rick Savone por ter bem encaminhado a sucessão consular.

Bem, a sobremesa já estava servida e, quando todos pensavam que a festa terminava, eis que – surpresa! – adentrou o salão a magnífica Brazilian Piper Band, músicos vestidos a caráter com seus saiotes kilt, meias ¾ e boinas, tocando hinos e músicas típicas em gaitas de fole, tradição praticada em toda a British Commonwealth de Sua Majestade, a rainha Elizabeth II, da qual o Canadá é parte.

Emoção, frisson, arrepios. Alguns olhos enternecidos, molhados até. Abraços de amizade verdadeira. E assim Sanjeev e Kiet se despediram da cidade.

1 – Na sala de jantar, eram 20 lugares marcados… 2 – Os homenageados, Kiet To e Sanjeev Chowdhury… 3 – Evelyne Coulombe e Francis Bogossian… 4 – Volney Pitombo e Antenor Barros Leal… 5 – Buffet nos aparadores…

Fotos de Mr. A.

4 ideias sobre “Rio 40º, homens de saias kilt, tocando gaitas de fole

  1. Foi relamente um almoço memorável! Obrigado pelo convite e poder ter participado deste momento! Murilo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *