Papa facilita as anulações de casamento

CIDADE DO VATICANO (Reuters) – O papa Francisco reformulou os complicados procedimentos de anulação de casamento da Igreja Católica, uma decisão ansiosamente esperada por muitos casais de todo o mundo que se divorciaram e voltaram a se casar fora da Igreja.

O Vaticano declarou nesta segunda-feira que o papa redigiu um documento conhecido como Motu Proprio – “de sua própria iniciativa”, em latim – que altera a maneira como os católicos obtêm anulações.

Os detalhes do documento, que deve aperfeiçoar e simplificar o procedimento, serão divulgados na terça-feira durante uma coletiva de imprensa no Vaticano.

papa

Uma anulação, conhecida formalmente como “decreto de nulidade”, é o veredicto de que um casamento não é válido nos termos da lei da Igreja porque certos prerrequisitos, como livre arbítrio, maturidade psicológica e disposição de ter filhos, não foram cumpridos.

A Igreja de 1,2 bilhão de fiéis não reconhece o divórcio. Os católicos que se divorciam e se casam novamente em cerimônias civis são considerados ainda casados com seu primeiro cônjuge e vivendo em pecado, o que os impede de receber sacramentos como a comunhão.

Do Brasil 24/7 / (Por Philip Pullella)

2 ideias sobre “Papa facilita as anulações de casamento

  1. Nobre Márcio Coelho,

    A Síndrome do Pequeno Poder tomou a cabeça dos servidores públicos.

    O delegado tomou medidas desproporcionais.

    A senhora não teve sequer chance de defesa.

    Vislumbro tempos sombrios com a avalanche de intolerâncias noticiadas em todas as cidades do País.

  2. Na realidade não é um comentário. Mas um fato que deixou-me estarrecido. Aliás a toda a população de Roraima. Veja o que um delegado da PF fez:

    “Uma zeladora de 32 anos foi autuada em flagrante após ser filmada por câmeras comendo um chocolate do delegado da Polícia Federal Agostinho Cascardo, que teria entendido se tratar de furto qualificado. O produto estava em uma caixa sobre uma mesa na sala dele. Ela diz ter assinado ainda um documento sobre a apreensão da embalagem do bombom, que serviria como ‘prova do crime’.

    A mulher trabalha para uma empresa terceirizada que presta serviço à Polícia Federal. O caso ocorreu na quinta-feira (30/9) e foi divulgado no domingo (4/10). Em entrevista ao G1 nesta segunda-feira (5/10), a zeladora admitiu ter comido o chocolate que estava em cima da mesa do delegado quando ele estava ausente.

    A assessoria de comunicação da Polícia Federal em Roraima admitiu que a mulher foi autuada em flagrante por furto e o caso enviado ao Ministério Público Federal (MPF). Agostinho Cascardo também é corregedor da PF.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *