Ora incrédulos, ora curiosos, ora contemplativos, todos se entusiasmam com a mostra da Pinacoteca em São Paulo

Com a presença, na sua abertura, do secretário de Estado da Cultura de São Paulo, Marcelo Araújo, elogios da crítica e os olhares, ora contemplativos para a beleza das paisagens, ora curiosos pela representação feminina, ora incrédulos diante da força de várias das obras expostas, a exposição “Coleções em diálogo: Museu Mariano Procópio e Pinacoteca de São Paulo” confere especial nobreza à atual temporada cultural paulistana.

Entre as pinturas da mostra encontra-se talvez a obra mais reproduzida em nossos livros didáticos e de arte, uma das mais emblemáticas da arte brasileira: o Tiradentes Supliciado, de Pedro Américo. De tal forma relevante que ilustrou e foi tema de uma das questões deste ano do Enem.

As três salas do segundo andar da Pinacoteca são inteiramente dedicadas às obras do Mariano Procópio. Duas salas do circuito de longa duração da Pinacoteca também receberam acervo, reunindo, de modo complementar, o que há de mais representativo da arte brasileira  destas duas das mais antigas instituições museológicas.

No vernissage,o  diretor da Pinacoteca, Ivo Mesquita, recebia junto com o diretor do Museu Mariano Procópio, de Juiz de Fora, Douglas Fasolato,  e uma das duas curadoras, Fernanda Pitta. A curadora Valéria Piccoli encontrava-se no Quatar, para um importante encontro do ICOM – Conselho Internacional de Museus.

Abaixo, os quadros de fotos ilustram. E eu recomendo com entusiasmo a visita à exposição “Coleções em diálogo: Museu Mariano Procópio e Pinacoteca de São Paulo”, na Pinacoteca de São Paulo.  Aos paulistas, cariocas, mineiros, baianos, pernambucanos, gaúchos, enfim, aos brasileiros que se ufanam da qualidade de nossa produção artística.

PINACOTECApinacoteca 3 PINACOTECA 2Fotos Cristina Rufatto / Pinacoteca de São Paulo

2 ideias sobre “Ora incrédulos, ora curiosos, ora contemplativos, todos se entusiasmam com a mostra da Pinacoteca em São Paulo

  1. Comentar sobre a Pinacoteca do Estado é fácil. Difícil é arranjar tempo para visitar seu grande acervo e, mais ainda, manter-me atualizado com todas as excelentes amostras temporárias, especiais.
    Tenho o hábito de visitar a Pinacoteca pelo menos duas vezes ao ano. Claro que isso não inclui eventuais visitas às exposições temporárias.
    Parabéns e continuem lutando contra todas as dificuldades para manter o mesmo nível artístico!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *