O bumbum e os bibelôs de Wilza Carla

Eu conheci a Wilza Carla. E até de pertinho. Era comum eu telefonar para ela para saber informações sobre o seu trabalho. Wilza sempre foi simpática e receptiva. E sempre estava às voltas com alguma briguinha e com algum desafeto. Depois de ter sido uma das mais belas vedetes do Brasil, chegando a emplacar como Certinha do Lalau, Wilza engordou muito e resolveu participar dos famosos Concursos de Fantasias de Carnaval. Quase sempre no item “Originalidade”, em que ela sempre fazia a linha caricata, explorando sua gordura volumosa. Com o rosto ainda muito bonito, ela fazia do limão uma limonada e aproveitava o peso extra para fazer dele uma profissão. Assim, rechonchuda, ela fez papéis no cinema, sobretudo nas chamadas pornochanchadas, e na televisão. Não era uma personalidade tranquila, estava sempre irrequieta, envolvida em disputas, principalmente no mundo do carnaval, que não é fácil, e volta e meia saía algum quebra pau nos bastidores dos concursos por causa dos resultados. Uma vez, visitei Wilza. Como eu já a conheci gordinha, ficava me perguntando como uma mulher com fama de ter sido tão linda se entregava daquela forma à gordura. Na casa da Rua Saint Roman, em Copacabana, tudo cheirava a passado. As fotos de seus tempos de vedete, as cortinas fechadas (era uma casa escura), os bibelôs, os paninhos sobre as mesas, tudo cheirava a um passado rococó de uma ex-estrela do teatro de revistas. Wilza vivia com a mãe. Ela era uma boa pessoa. Talvez vítima de uma franqueza excessiva e de seu pavio curto, sempre disposta a aceitar provocações. Dona Redonda, seu papel na novela Saramandaia, foi o ponto alto dessa segunda etapa de sua vida, na fase pós-magra. Ela sofreu quando Dona Redonda estourou de tanto comer. Wilza queria que a personagem permanecesse na novela até o fim da trama…

WilzaCarla bumbum O bumbum e os bibelôs de Wilza Carla

O bumbum feliniano de Wilza Carla enchia as telas do cinema

A imprensa pouco sabe sobre Wilza, e diz coisas inconsistentes sobre ela. Uma pena. Foi um personagem de uma época…

Quem quiser ler mais sobre ela, recomendo acessar o blog de Luís Sergio Lima e Silva, que hoje lhe faz uma homenagem: http://www.obucaneiroprateado.blogspot.com/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *