Morreu ontem um homem raro: ele era bom!

Morreu ontem um amigo meu. Não era qualquer amigo. Era daquelas raridades que, se fosse uma figurinha, seria a do Cristiano Ronaldo, a mais disputada do álbum da Copa, se fosse um selo de coleção, seria o Magenta da Guiana Britânica, se fosse um violino, o precioso Stradivarius.

Este meu amigo era raro porque era um Homem Bom. Guardou em si, intocadas, a boa fé, a credulidade, a gentileza, a cortesia, a confiança inabalável nos amigos que escolhia, a pureza de seus princípios.

Meu amigo era talentoso. Era honesto. Confiável. Trabalhador. Era um homem movido a sonhos, e nisso nos identificávamos.

Era ator. Nos conhecemos adolescentes, no tempo de alunos do curso de interpretação do Tablado, com Maria Clara Machado. E a amizade prosseguiu por toda a vida. Sem sequer um arranhãozinho. Às vezes, nos víamos mais, às vezes menos, às vezes nunca. Pois a vida é comprida. Mas nos víamos.

Em várias ocasiões trabalhamos juntos. Ele sempre envolvido com o trabalho de ator, sua paixão, e projetos paralelos que lhe garantiam a sobrevivência. Era um verdadeiro homem de teatro. Da “classe teatral”, como chamávamos. Por isso era divulgador, era colunista, era assistente de coluna, escrevia livros (são dele a ótima biografia da atriz Izolda Cresta – a Zozô – e o livro muito bem pesquisado sobre a TV Tupi). Volta e meia aparecia em algum filme ou numa novela de TV, em participações. A última delas foi Avenida Brasil, como um dos bandidos sequestradores da Carminha.

Começamos a trabalhar juntos na pesquisa de meu livro, “Comédia desumana”, mas a parceria precisou ser interrompida, por injunções pessoais minhas e de moradia dele, vivendo em Araruama.

Era uma enciclopédia viva sobre a Classe Artística Brasileira nos últimos 50 anos. Seu blog O Bucaneiro Prateado, dos primeiros a irem ao ar sobre o mundo das artes, é uma preciosíssima fonte de consulta, sempre alimentada por ele com extrema generosidade. Vamos sentir muita falta.

A “classe artística” o conhecia e estimava.

Ele é, ele foi, ele sempre será o Luís Sérgio Lima e Silva, meu amigo. Uma flor que está brotando hoje no céu, para felicidade da Zozô, da Norma Sueli, da apresentadora Maria da Glória, da Leila Diniz, do Nestor de Montemar e de tantos outros seus amigos de fé do teatro e da TV, que se foram antes dele.

Quem me telefonou para avisar foi Emiliano Queiróz. E com que delicadeza: “Nosso amigo Luís Sérgio fez a passagem”.

Não por doença, nem por acidente.

Cansado de perseguir sonhos como sombras, morreu de tristeza.

Luis Sergio 5090 O top das artes faz fila para lançamento em dose tripla na Travessa

2011 – Luís Sérgio Lima e Silva, com a atriz Glória Pires, a apresentadora Maria da Glória e Cris Grossi, na noite do lançamento de seu livro TV Tupi do Rio de Janeiro – Uma viagem afetiva, que bombou na Travessa em fila tripla, com toda a classe artística presente

7 ideias sobre “Morreu ontem um homem raro: ele era bom!

  1. Não sabia!!! Estou triste… há meses que venho me cobrando uma visita e contato com ele, pois somos vizinhos em Araruama!!! O tempo passou e hoje resolvi deixar a mensagem pra marcar minha ida à casa dele, em retribuição, pois ele veio me visitar… e vi que ele nos deixou há meses 🙁 Ele está na luz, com certeza!!!!! Lamento não termos convivido mais e bebido todas as cervejas que programamos. Obrigada pela homenagem!!!! bj
    Marlene

  2. Ainda sinto tanto por não te-lo conhecido melhor e ao mesmo tempo sou-lbe eternamente grata.
    Quando nos conhecemos senti sua bondade em seu olhar.
    Tomara que suas predições se tornem realidade, tomara Deus.
    Certamente sua passagem está sendo abençoada pelos anos dos Céus e daqui da Terra.
    Amém!

  3. Que lindo seu texto… não conheci esse Homem Bom … mas impressão que tenho é que os bons estão todos indo… e que de repente o lado de lá está ficando melhor do que o de cá!

  4. Hilde querida, bela homenagem, e justa…. era mesmo tudo isso. Um homem bom, um sonhador, amigo dos amigos, fiquei muito triste, ainda continuo triste…. porque perder pessoas raras, nesse mundo em que estamos vivendo, é mais que uma Perda… abre-se um vazio, difícil de preencher. E a causa…. me deixou paralizada.
    Só os muito bons morrem de tristeza. bjssss

  5. Que linda homenagem feita ao meu irmão querido. Muito obrigada. Aproveito para deixar o convite para a Missa de Sétimo dia que será realizada na segunda-feira dia 25, na Igreja Santa Margarida Maria, na Lagoa, às 19 horas.

Deixe um comentário para Terezinha Gonçalves Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *