Jantar palpitante, borbulhante, com direito a sequestro no Egito e speech de Lourdes Catão

Em nossa mesa, Kitty Assis contava o sequestro sofrido no Cairo, quando, depois de ser cumprimentada por um sujeito com um amável “salamaleiko”, e replicar com outro, foi empurrada junto com os filhos, por um grupo de bandidos, para dentro de uma caminhonete. Não durou muito, pois logo a polícia os resgatou.

Lembrei: “Pelo menos lá sequestram mas antes falam ‘Salamaleiko’ “. E a Bocayuva: “Aqui seria ‘perdeu, playboy’ ”

Kitty, ninguém imagina, com aquela sua postura sempre impassível e discreta, é praticamente uma Sherazade, em se tratando de histórias de vida extraordinárias. Houve uma vez em Paris, ela nos contou, que um árabe aproximou-se de seu marido, o Jonja, e disse: “Quero ela pra mim. Pago 800 camelos”. Ops!

Intrigada, Kitty resolveu pesquisar quanto valiam 800 camelos. Segundo ela, de alguns árabes, ouviu que era bastante. Outros acharam o preço fraquinho. Zé Hugo Celidônio ponderou: “Depende do camelo”, e aproveitou a deixa para oferecer 50 burros por certa figura da política nacional, cujo nome prefiro não declinar…

Vocês sabem, não brigo com os amigos por causa de política. E agradeço a eles por me aturarem com minhas posições quase sempre contrárias. E la nave vá…

O jantar era sentado, duas mesas de 10, cadeiras de cristal, a louça magnífica pintada à mão por Maria Augusta com geometrias pretas e brancas fazendo fundo a várias orquídeas, uma em cada prato.

Gustavo Gonçalves festejava os 40 anos, ao lado do marido, Wagner Menezes, no apartamento que flutua sobre a  Lagoa Rodrigo de Freitas – que vistão! Menu árabe assinado pela Madeleine Saade e servido por seu dream team a caráter. Sobre a comida de Madeleine apenas elogios, não há reparos. À exceção do maracujá no molho do kebab. Sou mais tradicional.

Do champagne ao poire, a adega de Gustavo abriu-se generosamente para os amigos, com seus melhores rótulos.

Lourdes Catão preparando-se para partir em viagem de Natal com o filho. Lourdes é um de nossos mitos sociais, e que assim se mantenha… A letra G contornava toda a bainha do redingote da Verinha Bocayuva. Perguntei: “É Gucci? É Givenchy?”. E Vera, mostrando a etiqueta “Dressy”, do casaco: “Não, Hilde, é Gustavo Magalhães vintage”.  Só a Vera para se vestir de Gustavo para homenagear outro Gustavo.

Gisella Amaral, tropicalíssima, com folhagens e borboletas estampadas em verdes vários, última a chegar, primeira a sair, pois Ricardo recepcionava um parceiro de seu empreendimento no Peró, o filho do Giscard D’Estaing, que representa o Grupo Med. Depois, ela foi encontrá-los, entre baforadas de charutos, no Esch Café.

Gisella me deu carona, em seu carro-escritório-toucador. Tem espelho pendurado, estojo de maquiagem e tudo de que um escritório precisa. É lá que a Gisella despacha e também se arruma (até troca de roupa!), entre um compromisso e outro. Super Gisella Amaral – a Mulher Maravilha do High!

De preto, Bia Vasconcellos, a dos anéis e também dos óculos espetaculares, exclusividade das óticas Arnaldo Gonçalves, do Gustavo, e da Bergdorf Goodman, em NY, quando ela dá conta de exportar. Ithamara Koorax, a jazz singer, cantou o “Feliz Aniversário” de Villa Lobos, na hora do “Parabéns”. Jonja cantou outra versão de “Parabéns”, do mesmo Villa. Jantar de eruditos é assim.

Outra dama de preto, a Marialice Celidônio, chiquérrima, tafetá, cinturinha, saia rodada, lembrava um YSL 70. Devia ser. Acessórios de strass. Saltos agulha. Marialice sabe tudo de moda.

Ricardo Bruno, belo desde sempre que o conheço, nos anos 70, quando a Verinha Vianna inaugurou sua loja, A Bela Adormecida, e lhe pedi que ele posasse de Belo Adormecido, para ilustrar a reportagem. E ele fez. Foi aí que despertou nossa amizade para sempre. Ricardo decora a casa nova de sua ex, Tânia Caldas, que se mudou da Barão para a Bulhões. A camisa turquoise blue de José Ronaldo Müller falava por ele.

Tânia Caldas, espetacular, num tubo de seda da Alessa, em que tudo dançava. A seda dançava no corpo dela, enquanto a trinca de imensas borboletas estampadas dançava na seda. Muito bonita.

E last but not least, o casal sensação, Almir Ghiaroni e Georgia Worttmann. O oftalmologista das estrelas de todos os seguimentos sociais do Rio e a estrela propriamente dita.

Uma noite cintilante e, por que não dizer? Absolutamente borbulhante!

Happy birthday, Gustavo!

g1

Gustavo Gonçalves, o aniversariangte, Bia Vasconcellos e a louça de Maria Augusta, já o prato de sobremesa

foto

Ithamara Koorax: “Saudamos o grande dia / Que tu hoje comemoras / Seja a casa onde moras / A morada da alegria / O refúgio da ventura / Feliz aniversário!” (Villa Lobos)

g6

A letra G na bainha da Verinha

g4s

Lourdes, Tânia Caldas, Gisella Amaral – as duas borboleteando nos vestidos

g2

Coube a Lourdes Catão falar por todos os amigos saudando Gustavo

g5

Marialice Celidônio sabe tudo de moda

g16

Georgia e Almir Ghiaroni, o casal sensação

g14

O anfitrião, Wagner Menezes, Bia Vasconcellos e o denguinho da casa, que está com os olhinhos machucados e ganhou consulta relâmpago do Almir, já na porta do elevador. Chiquérrima essa mini poodle

g11

Lourdes Mito Catão, Jonja e Kitty Assis

Fotos da Hilde

6 ideias sobre “Jantar palpitante, borbulhante, com direito a sequestro no Egito e speech de Lourdes Catão

  1. Sinceramente, não entendo porque algumas pessoas têm uma obsessão de viajar para países sabidamente perigosos! Hong Kong, Egito, Emirados Árabes, EUA, entre outros, são lugares em que é preciso o máximo cuidado. De preferência, NUNCA sair do hotel. Bem, mas se não for pra sair do hotel, melhor não ir, né?

  2. Hilde, a Kitty deve ser uma santa, muita felicidade para ela. Tenho que comprar um CD da I.Korax. A Geórgia tá mais linda do que a modelo. A Gisela e vcs. no workcar estão típicas paulistanas. Bjs e saudades grandes da BelaCap, ALS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *