JACOB BARATA PASSA MAL DEPOIS DO CASAMENTO DE NETA E VIAJA PARA SE TRATAR

A saúde do empresário Jacob Barata não reagiu bem às fortes emoções provocadas pelo casamento de sua neta, Beatriz, ontem, e da recepção, que se estendeu pela madrugada de hoje. Ele embarcou hoje para Cleveland, nos Estados Unidos, padecendo de fortes dores na coluna. Cleveland é um grande centro de excelência no tratamento de doenças cardíacas.

O casamento de Beatriz, conforme relatei aqui, foi motivo de grandes manifestações de protesto e forte comoção, que se estenderam por toda esta madrugada de 14 de Julho, culminando com a ação de dois batalhões do BOPE, com bombas de gás lacrimogênio atiradas contra a multidão, gás de pimenta e balas de borracha.

Os convidados ficaram confinados dentro do Copacabana Palace durante horas, sem conseguir se retirar, com todas as quatro saídas do hotel bloqueadas pelos manifestantes, que gritavam bordões contra Barata e o governo do Estado. Assim como contra os próprios noivos.

Os manifestantes eram muito jovens e aparentando ser da classe média da Zona Sul. Bem como eram jovens os convidados que reagiram, atirando da sacada bolinhos de bem-casados e aviõezinhos de notas de R$ 20 sobre os manifestantes. Um deles atirou um cinzeiro que feriu um manifestante, obrigando-o a ser atendido em hospital e levar seis pontos na cabeça.

Foi um casamento lindíssimo, como raramente acontece: hildegardangel.com.br/?p=25127

 

 

54 ideias sobre “JACOB BARATA PASSA MAL DEPOIS DO CASAMENTO DE NETA E VIAJA PARA SE TRATAR

  1. Hilde ai vai a informacao da Band.
    Houve troca de ofensas entre os convidados da cerimônia e os manifestantes. Mais tarde, ela chegou à agressão física, segundo informações da Band Rio. Um convidado, Francisco Feitosa, filho do ex-deputado federal pelo Ceará Chiquinho Feitosa, teria atirado um cinzeiro no grupo de manifestantes.
    Escreva algo e fale tambemo nome desse finese convidado, vc falou da vitima, vale a pena falar do agressor.
    Bjs!

    • Olha, Jorge. Eu acompanhei o desenrolar dos fatos até quatro da manhã e não soube de embate entre convidados e manifestantes. Quem conta um conto aumenta um ponto, você sabe. O que houve é o que contei: jogaram um cinzeiro ferindo um rapaz. Se foi o Francisco Feitosa, que aliás se trata do NOIVO, não sei, porque o noivo provavelmente devia estar muito ocupado nos salões, em sua festa, para sair até a varanda e ir lá fora jogar cinzeiro. Mas não sei, não vi, você também não. Deve estar sendo feita uma investigação, acredito. Isso há de dar panos pra mangas. Foi um 14 de Julho, uma revolta popular. Curioso que muito disso teve origem no fato de relacionarem Barata a um parentesco fictício com a família do governador, parentesco inexistente, originado num boato. E a noiva, conforme se apurou no Facebook dela, é eleitora do Marcelo Freixo. Ironias.

      • Corrigindo, alguns poucos o fizeram aqui, mas isso não foi a motivação do movimento do qual faço parte

    • O autor do “disparo” do cinzeiro já está identificado, inclusive pelo Globo: trata-se de Daniel Barata, provavelmente irmão ou primo da noiva, pela idade. ele inclusive é réu confesso, pois faz questão de alardear o que fez.

      • Daniel Barata é filho do falecido Daniel Barata (filho do Jacob Barata morto em um sequestro). Na época, a mulher do Daniel estava grávida. Então nasceu este primo da Beatriz que tem o nome do pai Daniel.

  2. Hilde obrigado pela resposta, ate em suas respostas curtas ou longas, amo ler e amo tambem saber de sua atencao com os leitores, realmente nao estava ai, moro em Washington DC, eu li na Band e ate postei a foto dele no face, e acho que foi bom esta postagem pra vc nos dizer se realmente e o noivo ou se foi mais uma noticia erronea.
    Bjs!

  3. Oi, Hilde. O parentesco, fictício ou não, não foi o principal motivo do protesto, e sim o fato do avô da noiva, Jacob Barata, ser um dos principais empresários do ramo de transportes urbanos, primeira causa da onda de protestos iniciada pelo MPL.
    Quanto à identidade do convidado, realmente, não pode ser confirmada ou negada, já que a Polícia Militar SE RECUSOU a entrar na festa e averiguar o caso, crime flagrante, ocorrido na frente de seus agentes e transmitida a milhares de pessoas ao vivo (pela mídia independente – salve, salve!). Crime de prevaricação com milhares de testemunhas? Bobagem! A PM já mostrou que não tem mais qualquer relação com o cumprimento da lei, e sim, com a segurança particular de festinhas de casamento e afins. Aliás, alguém tem o contato?
    Temos um batizado na família para acontecer em breve, bacana ter um caveirão na porta da Igreja, hein? Tendência BAPHO!
    Ironias…

    • A população brasileira cansou. Não aguenta mais esses “ricos” que ganham dinheiro oferecendo um serviço péssimo, no caso os transportes. A família da noiva deu uma festa maravilhosa, fazendo questão de mostrar seu poder e sua riqueza .Riqueza conquistada com o suor dos mais pobres que são os que usam esse serviço. E o fosso social continua. Ter como padrinho o ministro do Supremo Gilmar Mendes só mostra as relações ambíguas entre empresários e o poder nesse caso o Judiciário. CHEGA, NÉ?

  4. Hilde vc deveria se informar melhor!!! Essa sua postagem não procede! Ele viajou hoje sim! Mas o motivo não tem nada a ver com o casamento! Esta viagem estava marcada há meses! Por favor se informe melhor! Obrigado.

  5. só uma correção: os manifestantes não eram todos da zona sul, apesar de, para desavisados, parecerem. inclusive, o menino que levou o cinzeiro na testa é do Alemão.

  6. E o que adianta fazer isto? E ainda dizer que Adriana Ancelmo é filha do Barata, muita ignorância! Ela é uma moça humilde, vinda de um subúrbio do Rio. Aí é ser vândalo demais! Quer brigar, briga, mas mentira… Só os desavisados é que acham que a primeira-dama é filha do Barata. Acordem, conheçam as pessoas antes de falar, droga! Vândalos, delinquentes soltos na rua.

  7. E nem eram tão novos…Garotos… Muita gente mesmo acima dos 30 anos. E sim, uma convidada de vestido rosa se estapeou com uma manifestante. Chacota total.

  8. Os manifestantes não eram exclusivamente da Zona Sul, tinha gente da cidade inteira, de vários bairros. O rapaz que foi covardemente ferido mora no Complexo do Alemão, por sinal.

  9. O garoto que recebeu o cinzeiro, estava apartando a briga. Vários convidados trocando ofensas, e também não eram novos. Inclusive, Um senhor já bem idoso ficou fazendo gestos obscenos da varanda. Hilario. Da porta do hotel também um outro fez gestos obscenos pra mim. Conforme bebiam ficavam mais abusados. Chegavam na varanda fazendo menção de brinde com suas taças de champagne. Foi muito surreal ver aqueles magnatas sitiados. E o motivo do ato foi Político, nada pessoal exatamente.

      • EU QUERIA PELO MENOS CONHECER A FRENTE DO COPACABANA PALACE… MORO AQUI NO INTERIOR DO NORDESTE… SOU MESMO É MATUTO… CONHEÇO MUITO BEM A SECA, FOME, SEDE, JUMENTO……

  10. Hildegard Angel,gostei muito da sua descriçāo do casamento(no texto do casamento).Ha tempos nāo leio a sua coluna e fiquei impressionado com seu uso das palavras,de forma tāo lúcida e explicativa.Só um detalhe,parece pequeno mas acho relevante,nāo era o bope que estava lá,era o choque.O choque (batalhāo de choque) é o utilizado no confronto com multidāo .Certeza que era o choque.O bope é mais utilizado em confronto armado com traficantes,nāo era o caso,rsrs.
    Obrigado pelo belo texto.

    • Deveria ter sido o Choque sim, Marcelo, mas, de fato, foi o BOPE! Mais uma dessas arbitrariedades surpresas deliciosas das nossas autoridades

  11. Hilde vc viu a foto que enviei a vc pelo face, procede ou nao o que vc respondeu que nao poderia ser o Noivo, aguardo resposta.
    Bjs!

  12. Hilde pelo que li ele vem passando mal a meses, pq a viagem ja estava programada muito antes do casamento.
    Bjs

    • Se o baratão tem grana, o Brasil tem também; se o baratão tem grana pra ir se tratar em Cliveland, nós, brasileiros da periferia, temos também, pois somos brasileiros, filhos de um País que tem muita grana.

  13. Hilde,

    infelizmente, se os governantes e empresários respeitassem mais a população, nada disso aconteceria. Os brasileiros estão saturados. A cada dia, infelizmente, vejo que moro num local e época que não me adapto, me sinto uma ET (de Marte)… Será que um dia o nosso país vai melhor um pouquinho só????

    PARABÉNS pelo seu site… Fiquei encantada com a sua foto e o painel de araras… LINDAS fotos e belíssima composição… e uma delicadeza o som de pássaro… Na hora que abri, achei que havia entrado um pássaro na minha sala… rsrsrsrsrsrsrs…

    Abraços
    Sandra

  14. Dear Alex obrigado pela resposta, claro que ele deve estar alardeando, sabemos que ele nao sofrera nenhum tipo de justica ou castigo pelo ato, acho ate que e capaz da vitima sofrer alguma consequencia por isso.
    Obrigado! Abracos!

  15. Tendencioso…rotulou os manifestantes, rotulou os convidados que agrediram: todos jovens, todos da Zona Sul (pra quem sabe ler nas entrelinhas: vândalos inconsequentes e sem razão, se manifestantes; hormoninhos focfuchos descontrolados, se convidados).
    Tadinhos dos convidados, Baratas e afins – só estavam utilizando do público com motivo privado, a burguesia tem seus direitos, né?!! Averiguar o crimizinho do playboy é despropósito, descer o pau nos manifestantes é obviamente o certo…Ridícula a atitude que alguns convidados tiveram ao tripudiar do povo. “Volta Figueiredo, o povo dá um nojinho…”

    • Inicialmente era um protesto light, mesmo com as irreverências, os protestos e os palavrões. Depois é que a mão pesou, e não da parte dos manifestantes. E isso foi dito no texto. Se você não quis entender, problema seu. E pelo visto tendenciosa é você, que acha ser da Zona Sul um defeito.

      • Não acho ser um defeito ser da Zona Sul…não há problema nenhum, nem da leste, nem da norte, nem de lugar nenhum. Muito pelo contrário, como disse, achei estranho o rótulo. Só fiquei pensando no que você quis dizer com isso…Existe uma mania de deslegitimar manifestações dos menos abastados (como o garoto da alemão).

        E não, não acho linda uma festa onde há a polícia fazendo um serviço notoriamente particular e em que os convidados tripudiaram de uma manifestação legítima…não acho lindo um grupo se julgando superior, atirando objetos e fazendo deboches sobre a condição de outro seres Humanos.

        • Cuidado, Hilde, para não perder o controle. Quando vc escreveu estes dois textos não sabia que viriam críticas? Achou que conseguiria impor a sua visão do mundo como verdade absoluta? Lamento. Vc fez uma escolha, o resto é consequência. Tenha pelo menos fair play, pois não estamos no Maracanã. abs

  16. “Os manifestantes eram muito jovens e aparentando ser da classe média da Zona Sul.”
    Incomoda essa insistência em afirmar (ou supor) a origem dos manifestantes. Como se essa origem tirasse ou diminuísse a legitimidade ato. Já foi dito várias vezes nos comentários que o rapaz atingido, apenas para contrapor, é do Alemão (comentários que dona Hilde ignora solenemente). E, por fim, se “aparentavam”, querida Hilde, isso não é informação, é impressão sua, opinião, subjetividade. Claro, é seu blogue, faz e escreve aqui o que quiser, só não diga que é jornalismo.

  17. O que mais chama atenção nesse barato de 14 de julho é o seguinte: o povo está no seu limite de tolerância, enquanto a vida fica mais cara dia-a-dia, políticos e empresários vivem na opulência, gastando dinheiro do povo em festas, passeios e exibicionismos. Isto é uma violência, uma intolerável agressão ao povo honesto e trabalhador! Vai ter muita porrada, logo ali na próxima esquina. Pode crer!

  18. Os ricos brasileiros, em sua grande maioria, são pessoas sem nenhuma classe e muito pobres de espírito. E eu não estou me referindo ao preconceito com o nouveau riche.

    Falo de ricos de qualquer origem que sua “noblesse oblige” só até os que estão ao seu redor. “Ele ajuda todo mundo.” “É uma pessoa muito boa, cordial e amável.” “É um pai e avó maravilho.” “Os vizinhos adoram ele.” “Ela é muito caridosa.” “Quem conhece, gosta muito dela.”

    É uma bondade, uma “nobreza”, uma cordialidade filha do nepotismo, muito restrita, limitada e hipócrita.

    Essa bondade e cordialidade dos ricos some quando descobrimos as origens de sua riqueza. Aí a nobreza não manda mais nada. Enriquecer com pessoas pagando caro e sendo tratadas iguais gado dentro de ônibus horríveis, chacoalhando como se gente não fosse. O brasileiro é muito destratado e vilipendiado no ônibus, na fila do banco, quando pede ajuda a um policial, comprando uma geladeira ou qualquer outro tipo de serviço ou produto que fazem os nossos ricos cada dia mais ricos.

    A cultura da prestação de serviços no Brasil é essa. Até empresas como a Apple, notórias pelo seu serviço impecável ao cliente, aqui no Brasil não tem o mesmo nível, porque o brasileiro está acostumado (e felizmente cansado!) a ser tratado muito mal e a não ter direito a nada.

    Esse rico que recebe seus convidados com toda amabilidade no Copacabana Palace vive às custas dos maltratados em no ônibus lotado, no Call-Center que não resolve nada entre muitas outras mazelas.

    Os ricos brasileiros estão mais presos à senzala do que os próprios escravos. Ele não se livram desse velho ranço e deprezam os pobres porque os pobres usam os produtos e serviços toscos que suas próprias empresas oferecem e que custeiam o seu casamento de 2 milhões.

    A grande maioria dos ricos no Brasil é formada por pessoas sem nenhuma grandeza, sem nenhuma visão, incapazes de olhar além do próprio umbigo, dos sobrinhos, dos netos, filhos, babás, amigos, funcionários diretos… Isso quando são muito amáveis.

    Aqui não tem Bill Gates nem Warren Buffet. Aqui tem Barata, Sarney, Eike e, na melhor das hipóteses, um Antonio Ermirio de Moraes.

    Enfim, os ricos no Brasil estão precisando de rehabilitação para entrar no século XXI. Dá muita vergonha ver essa gente…

    • Alejandro, você fez a ressalva “na grande maioria”. Há ricos e ricos. Conheço vários. E hoje há muito mais ricos com consciência social do que você pode imaginar. Os tempos são outros. As novas gerações estão aí. E nos movimentos que levantam cartazes e batem panelas nas ruas contra a corrupção e contra a injustiça social há muitos daqueles das novas gerações desses ricos, acredite-me. O Brasil mudou para muito melhor, está mais consciente, Alejandro. Não dá mais para ser sectário e pensar de um jeito só.

      • A consciência social dos ricos, dos poucos que a têm, é muito supérflua, muito branda, muito mantenedora do seu status quo. Ou é distorcida. O candidato da neta do Jacob Barata é o Marcelo Freixo. Ela pode não concordar com o que o avô faz, pode até votar ou ir para as ruas contra isso. Mas é financiada pelo avô. É o vôzinho, né?…

        Isso é uma questão que transcende o lado pessoal. É a forma como a Justiça, a economia, a saúde, a educação, como o País está organizado e corrompido em favor de uma classe e em detrimento das outras, principalmente das mais pobres.

        O exemplo do rapaz com a testa aberta por um cinzeiro de cristal atirado do Copacabana Palace é um singelo, mas terrível exemplo. Vergonha para o Copacabana Palace (como você bem frisou) e confirmação de como a polícia é classista e se diminui a ser capanga de uma festinha do que a averiguar uma tentativa de homicídio flagrante. Isso é o Brasil…

        O fim da plutocracia dos ricos, da corrupção dos políticos e do judiciário não vai ser fruto de uma consciência social melindrosa dos poderosos. Vai ser fruto de muita pressão da sociedade civil organizada. E é isso que está começando a acontecer.

        Muita vergonha alheia do mesquinho e retrógrado high society de republiqueta das bananas que ainda temos aqui no Brasil. E o modelo dos vestidos, as joias, o buffet ou os arranjos florais não ajudam muito a adornar esse quadro tão grotesco.

        • Muito lúcido o seu comentário, Alejandro. Talvez o que melhor sintetiza e explica os acontecimentos em torno deste “baile da ilha Fiscal”.

      • Hilde, você é alguém muito além (ou era) desse comentário tão simplório e copiado que acabou da fazer ao responder o Alejandro. Seu sobrenome tem peso nas lutas sociais contra um sistema autoritário e violento como foi a ditadura portanto, não consigo vê-la defendendo esse sistema atual que além de autoritário, é cruel, descriminatório e corrupto.

  19. Hilde falta por a foto e o nome do agressor que atirou um Cinzeiro no manifestante, vc falou da vitima , postou foto, mas omitou o nome e a foto do agressor, nao entendi ate agora, ontem mesmo te mandei a foto e o nome ja confirmado por varios meios de comunicacao.
    Bjss

  20. O sr. Barata tinha que procurar os serviços do SUS para ser atendido e não ir para Cleveland. Conheço inclusive bons médicos na área de coluna que atendem em hospitais públicos no estado do Rio de Janeiro. E de preferência deveria chegar a um serviço do SUS em um de seus ótimos e confortáveis ônibus, muito apropriados para quem sofre de problemas de coluna!!!

  21. o menino ( 17 anos) que jogou 2notas de 20 reais pediu desculpas ontem pelo facebook que eu li… não foi ele que tacou o cinzeiro… alias ninguem sabe ninguem fotografou quem jogou o cinzeiro que pode ter sido jogado por um hospede do hotel que nem estava na festa…. Alias na festa não tinha cinzeiro de vidro…. então as pessoas deveriam se informar mais um pouco antes de sairem acusando os outros… fora que agora tb estão dizendo q jogaram varios bem casados…eu fui dormir as 5 da manhã assistindo o ninja e lendo as barbaridades que escreviam e lá ninguem falou em bem casados… eles fotografaram o menino que é ou o irmão da noiva ou um primo que foi quem jogou os avioezinhos de 20 reais mas ninguem viu de onde caiu o cinzeiro!

  22. Ola Hilde,
    a ligacao da Adriana Ancelmo nao e de parentesco, ela defende as empresas de onibus do Sr Barata (conflitos de interesses com o gov estadual), cujos onibus foram o estopim das manifestacoes. Aparentemente o gov nao foi, mas certamente o casal seria convidado de honra – havia um boato de que seriam padrinhos – se nao estivessem ocorrendo as manifestacoes.

    Os tempos sao outros mesmo!

  23. O chato Nisso Tudo e Que,o Cara E Rico E Pode fazer A Festa Dos sonhos para Sua neta Certo.porem Vcs Sabem De onde Vem Esse Dinheiro?
    Das Empresas De Onibus Dele Que Ele Administra Muito Bem ja Que os Empresarios Falam Que Tem Mais Gastos Que Lucros Certo?
    Agora Preste Atencao……..
    Os Fucionarios Dele nao Recebem Hora Extra….lucro
    Os Funcionarios Dele Muitos Ja Receberam contra Cheque Ou Olerite Zerados E Quando Vao Reclamar Recebem Vales Como Cala Boca….lucro
    Vcs tao duvidando? Pesquizem Na internet Quem Ja Trabalhou Nas Suas Empresas..transurb….verdan….normandy….util….sans pena Essa Mudou De Nome A Pouco Tempo, Tem Mais Acoes na Justica que Formiga No Formigueiro.
    QUEM PAGOU AFESTA ELE OU SEUS FUNCIONARIOS,E O POVO TAMB3M POIS OS FUNCIONARIO FICAM REVOLTADOS E DESCONTAM NOS PASSAGEIROS,QUE NAO TEM CULPA MAIS SAO TAO VITIMAS COMO OS FUNCIONARIOS. E Ai Tirem Suas duvidas Antes De Responder Pesquizem Antes……..aiai Esse Brasil So Tem Safado……..

    to?

  24. Os dois erros foram cometidos pela parte nobre, porque ao que se sabe, uma pessoa de dentro da fest agrediu fisicamente um manifestante e os seguranças apenas colocaram essa pessoa de volta par festa, ou seja, tentaram protege-lo como se essa pessoa estivesse com razão. Como nao bastasse, mostravam taças num gesto de arrogância, depois alguem atirou notas de 20,00 reais, simbolizando a burguesia. E ainda nao satisfeitos, resolveram arremessar um cinzeiro de vidro na multidão, o que ocasionou um corte grande na testa de um dos manifestantes. A policia, a segurança nao entraram em ação em defesa do jovem ferido, mas na na defensiva da burguesia que na sua grande maioria enriquece sugando o sangue do trabalhador, que nao faz nenhuma questão de fazer festas dessa magnitude, apenas quer trabalhar e ganhar seu ganha pão com DIGNIDADE, se deslocando para trabalho em transportes com qualidade. O brasileiro nao mais agüenta ser SUGADO, tendo apenas o dever de pagar os impostos. Irônico ver que pessoas que na sua grande maioria estudaram em excelentes escolar particulares, dêem exemplos dessa total falta de educação. Vergonhosa essas atitudes partindo de nobres cavalheiros da nata da sociedade.

  25. Nao acredito que o patriarca Barata tenha ido a Cliveland para tratamento de saude, afinal o Hospital Sírio e Libanes esta ai para isso, atender aos magnatas e políticos. Embora em hospitais públicos existam excelentes ortopedistas.

  26. Foi um casamento lindíssimo, como raramente acontece… Resta saber se este tipo de espetáculo promovido por empresários notoriamente comprometidos com o que de mais condenável existe, como estas concorrências fajutas e este permanente domínio de prestação de serviço público (que deveria ser estatal) à custa do sacrifício dos tralhadores, usuários de sofrível (péssimo, na verdade) sistema de transportes coletivo, dos mais caros no planeta, é moralmente aceitável. A apropriação indevida dos recursos populares torna estas festanças miliardárias indecente e imoral, quase que pornográfica mesmo. É um escárnio contra a população e foi uma manifestação digna e justa dos corajosos jovens combatentes do Rio de Janeiro. Que se moralize as concessões públicas e se acabe com esses lucros desproporcionais, quase que, praticamente, roubo da poupança alheia

  27. Ah, e independente de quaisquer discordâncias, Hilde, parabéns pelo primor de texto jornalístico que foi a sua cobertura do desastroso e desastrado casamento.

  28. Moro ao lado do CopaPalace, os manifestantes não eram jovens da zona sul, eram jovens que chegaram de ônibus e de metrô de vários cantos da cidade. E a provocação jamais veio dos manifestantes. Pelo contrário, era uma garotada alegre, divertida e simpática com as pessoas. O pessoal da festa sim, apareciam na varanda de forma agressiva.

  29. O pior de tudo é que eu e a Hildegard pagamos o casamento da neta do Barata – o dinheiro usado vem da corrupção com o dinheiro publico, meu e seu – e nem fomos convidados hehe

  30. Singela homenagem a Jacob Barata e toda sua gang:

    Stuart Edgart Angel Jones (Salvador, 11 de janeiro de 1946 — Rio de Janeiro, 14 de junho de 1971) foi um integrante da luta armada contra a ditadura militar no Brasil e militante do grupo guerrilheiro revolucionário de extrema esquerda MR-8,1 preso, torturado, morto e dado como desaparecido político brasileiro.2
    Índice [mostrar]
    Biografia[editar]

    Stuart era filho do americano Norman Jones e de Zuleika Angel Jones, mais conhecida como Zuzu Angel, figurinista e estilista conhecida internacionalmente. Bicampeão carioca de remo pelo Clube de Regatas Flamengo na adolescência,3 ele foi estudante de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Possuía dupla nacionalidade, brasileira e americana.

    Na virada das décadas de 60/70, passou a militar no MR-8, grupo de ideologia socialista que fazia a luta armada contra o regime militar, onde usava os codinomes “Paulo” e “Henrique”. Preso, torturado e morto por membros do CISA (Centro de Informações de Segurança da Aeronáutica) em 14 de junho de 1971,4 aos 25 anos de idade. Foi casado com a também militante e guerrilheira Sônia Morais Jones, presa, torturada e morta dois anos depois e também dada como desaparecida.

    Morte

    Preso próximo a seu “aparelho”, no bairro do Grajaú, perto da Avenida 28 de Setembro, na Zona Norte do Rio, Stuart foi levado pelos agentes do CISA à Base Aérea do Galeão para interrogatório. Dele, os militares queriam a informação da localização do ex-capitão Carlos Lamarca, chefe do MR-8 e então o grande procurado pelo regime. Negando-se a falar, Stuart foi então barbaramente torturado no pátio da base, vindo a morrer em consequência dos maus tratos.

    Documento do SNI sobre Stuart, 1971
    A versão mais conhecida e difundida de sua tortura e morte foi dada pelo ex-guerrilheiro Alex Polari, também preso na base, e que assistiu da janela de sua cela as torturas feitas contra Stuart, presenciando inclusive a cena em que ele foi arrastado por um jipe militar, com o corpo completamente esfolado e com a boca no cano de descarga do veículo, pelo pátio interno do quartel,4 o que causou sua morte por asfixia e envenenamento por gás carbônico.5 Polari escreveu uma carta a Zuzu Angel, contando-lhe o ocorrido com o filho. De posse dela, a estilista denunciou o assassinato de Stuart – que tinha cidadania brasileira e americana – ao senador Edward Kennedy, que levou o caso ao Congresso dos Estados Unidos.4

    O livro Desaparecidos Políticos, de Reinaldo Cabral e Ronaldo Lapa, aponta duas versões para o desaparecimento do corpo do guerrilheiro: ” A primeira é de que teria sido transportado por um helicóptero da Marinha para uma área militar localizada na Restinga de Marambaia, na Barra de Guaratiba, próximo à (então) zona rural do Rio, e jogado em alto-mar pelo mesmo helicóptero. Mas, de acordo com outras informações, o corpo de Stuart teria sido enterrado como indigente, com o nome trocado, num cemitério de um subúrbio carioca, provavelmente Inhaúma.”5 Os responsáveis, segundo eles: “os brigadeiros Burnier e Carlos Afonso Dellamora, o primeiro, chefe da Zona Aérea e, o segundo, comandante do CISA; o tenente-coronel Abílio Alcântara, o tenente-coronel Muniz, o capitão Lúcio Barroso e o major Pena – todos do mesmo organismo; o capitão Alfredo Poeck – do CENIMAR; Mário Borges e Jair Gonçalves da Mota – agentes do DOPS”.6

    Pelos anos seguintes, a mãe de Stuart, Zuzu, peregrinou pelo poder militar tentando conseguir explicações e informações sobre o corpo do filho, oficialmente dado como desaparecido. Sua campanha chegou ao mundo da moda, na qual tinha destaque, com desfiles de coleções feitas com roupas estampadas com manchas vermelhas, pássaros engaiolados e motivos bélicos.7 O anjo, ferido e amordaçado em suas estampas, tornou-se também o símbolo do filho. Zuzu chegou a realizar em Nova York um desfile-protesto, no consulado do Brasil na cidade.

    Usando de sua relativa notoriedade internacional, ela envolveu celebridades de Hollywood que eram suas clientes, como Joan Crawford, Liza Minnelli e Kim Novak, em sua causa,8 e durante a visita de Henry Kissinger, então secretário de estado norte-americano, ao Brasil, chegou a furar a segurança para entregar-lhe um dossiê com os fatos sobre a morte do filho, também portador da cidadania americana.7

    Zuzu morreu em 1976, num acidente de automóvel no bairro de São Conrado, Rio de Janeiro, sem jamais conseguir descobrir o paradeiro do corpo de Stuart Angel.9 Em 1998, a Comissão Especial dos Desaparecidos Políticos julgou o caso sob número de processo 237/96 e reconheceu o regime militar como responsável pela morte da estilista.10 11
    Cinema e literatura[editar]

    Em 2006, a vida de Stuart e de sua mãe foram levadas ao cinema, com o filme Zuzu Angel, dirigido por Sérgio Rezende, com Daniel de Oliveira e Patrícia Pillar no papel do militante-guerrilheiro e da estilista.

    O escritor José Louzeiro escreveu o romance “Em carne viva”, com personagens e situações que lembram o drama da morte de Stuart Angel.12

    De Wikipedia
    —————————————-
    Jacob Barata seus convidados, amigos e apoiadores, representam em 2013, todos aqueles civis que, apoiando e financiando a ditadura militar de 1964, ajudaram a matar Stuart Angel Jones em 1971.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *