Hospitalidade encantadora da Cantarino

A artista plástica e galerista Susi Cantarino leva a sua arte também para a cozinha. Ela recebeu em sua belíssima casa em Santa Teresa, para jantar, e preparou todo o menu, da entrada ao prato principal…
.
Um dia por semana, depois que ela fecha a Metara, sua galeria em Ipanema, um grupo de cerca de 20 mulheres “invadem” o espaço, exatamente às 20h, para dançar. O ritual dura uma hora e meia e se repete há alguns meses. Elas começaram com samba e agora estão praticando a dança do ventre. Com a chegada das férias, as aulas estão suspensas até agosto…
.
O engraçado é que grupo surgiu por acaso, em dezembro de 2009, quando elas se reuniram pela primeira vez para desfilar na Unidos da Tijuca (e nem sabiam que a escola seria a campeã do carnaval seguinte) e não pararam mais…
.
Além de Susi, única argentina do grupo, todas as outras são mulheres de altos executivos da área de petróleo e norueguesas. Com toda a boa vibração, em meio às obras de arte, elas dançam, cantam o hino da Unidos da Tijuca, riem e, como a própria Susi define, se sentem “verdadeiras brasileiras”…
.
Na véspera, Susi recebeu para jantar, ao lado do marido, Ricardo, e do filho, Iam, Hilde Heggebø, Gina Klavenes, Marit Tønder Rødland, Berit Stige Tjåland, Kari Kaldestad e Grete Hartvedt . Foi uma espécie de despedida da Heggebø, que mês que vem volta para a Noruega. Ricardo, que é DJ e excelente anfitrião, fez as meninas dançarem ainda mais. Susi respondeu pelo menu, inclusive o frango ao curry, especialidade da “chef”, que o deixa cozinhar por 2 dias em panela de barro…
.
Acompanhem nos registros de Hilde e Iam
.
Jantar Cantarino 2011 06 069 Hospitalidade encantadora da Cantarino
Berit, Susi, Kari, Gina, Grete, Ricardo e Marit

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *