FESTA DOS 90 DO COPACABANA PALACE TEVE RECEPÇÃO À LA DOWNTON ABBEY

Os 90 anos do Copacabana Palace não são uma data qualquer. Porque o Copa é o Rio e o Rio é o Copa. Quando o Rio de Janeiro vai bem, o Copa vai bem. Quando o Rio está mal ou está triste precisa da boa performance do Copa para elevar sua auto estima. Ontem, em sua bela festa, o Copacabana Palace esforçou-se para apresentar seu melhor, e isso faz bem, muito bem, à Cidade Maravilhosa de São Sebastião do Rio de Janeiro.

A parte de que mais gostei de tudo, tudo tudo, tudinho mesmo, foi ver a brigada de funcionários uniformizados, cada um com a farda de seu ofício cotidiano, fardas impecáveis, engomadíssimas, empregados de todas as graduações, do mais humilde à diretoria, perfilados no corredor da entrada, à la Downton Abbey, recebendo os convidados.

Isso foi lindo, inspirador, democrático, moderno, valorizou a força de trabalho. Foi importante. E Andréa Natal, a diretora-geral, recebendo a todos à entrada do salão, muito bonita e bem vestida, feliz e acolhedora.

Em segundo lugar, o que mais me tocou foi ver todas as paredes do Golden Room vermelhas, em tom quase grená. E a multidão de candelabros de cristal iluminados no teto, fazendo companhia ao lendário candelabro central de Baccarat. Ficou teatral, encheu a vista, criou impacto, aqueceu o ambiente, fazendo do Golden Room um enorme e luxuoso cabaré dos anos 20/30.

Bem eu até achei que o capitonné cobrindo a frente do palco fazia o datado pretendido, mas soava como excesso. A ideia das plumas no décor do Golden Room, repetindo o Salão Nobre, foi boa, porém, com o vermelho das paredes, creio que arranjos de rosas harmonizariam melhor do que plumas pretas e branco neve. Mesmo no caso de se usar plumas, que sempre conferem glamour, eu optaria por uma cor única, no tom pérola das velas, e não o branco total.

Enfim, Simples e dispensáveis comentários de uma observadora minuciosa, que não tiram de forma alguma o mérito da beleza e do impacto da decoração, concebida com muito apuro pelo Daniel Cruz, que agora somou ao seu currículo o notável feito de ter decorado a festa dos 90 anos do Copacabana Palace, multiplicando elogios a noite inteira.

Foi no palco do Golden Room, o show dos 90 anos do Copa,apresentado pelo entertainer Claudio Botelho. Todos estavam bem em cena. A morena Totia Meirelles repetiu Liza Minelli em Cabaret e foi sensacional, cantando e dançando, de paletó de smoking, pernas de fora e vários acessórios de strass. Estava muito bonita e mostrou presença cênica poderosa e rara. Gostaria de tê-la visto também como Carmen Miranda. Mas A Pequena Notável foi apenas mencionada no texto de Botelho. A loura Alessandra Maestrini cantou New York, New York, exibindo sua voz impecável, potente e cristalina. Aplausos gerais para todos no final.

No Golden Room, foram distribuídos os vips, os chamados top de linha da sociedade, em áreas delimitadas. Num desses espaços estavam, inicialmente, Mariza e Jair Coser, Nélida Piñon e o sempre amigo Roberto Halbouti, Christiane Torloni, Bethy Lagardère, Luiz Fernando Coutinho e Liège Monteiro. Depois, alguns nomes saindo, outros entrando, o espaço foi ganhando em trepidação e animação. Vieram o Lázaro Medeiros, embaixador dos chiques de Fortaleza, a Kiki e o Renato Garavaglia, a elegantíssima embaixatriz Laís Gouthier, a Liliana Rodriguez e o Nestor Rocha, a Regina Martelli, a família Danemberg, a Yara Figueiredo e o Louis Albert de Moustier,  enfim, o nosso cercado vip foi recebendo the best of the best do party e ficou absolutamente ótimo!

Outro ponto positivo foi a exposição de “memorabilia” do Hotel, contando sua história, fragmentos da passagem por ele de hóspedes importantes, rastros de famosos, como Carmen Miranda e Walt Disney, vestígios de tempos passados, tudo arrumado com muito gosto pelo Zau Olivieri. Deliciei-me, visitando e vasculhando as vitrines. Pena que não vi muita gente fazendo isso.

No Salão Nobre, havia grande, imensa ilha, onde os quatro chefs internacionais escalados disputavam seus talentos gastronômicos e, ao final da noite, todos saíram campeões.

A festa foi muito bem servida por copeiras e copeiros, ao estilo bufê volante, em pequenas porções. De qual mais gostei? Das porções miúdas de porquinho à pururuca na casquinha crocante. Quantos viessem eu não conseguia recusar. E agora que os cientistas descobriram que carne de porco faz tão bem à saúde quanto a de peixe, nhamnham,,,

Celebridades não são problema para a escalação de elenco do hotel. De Ivo Pitanguy a Luana Piovani, de Christiane Torloni a Nélida Piñon, os famosos não negaram fogo. Sem esquecer que la Piovani estava com a perna imobilizada pela cirurgia recente (vide aqui).

E bom mesmo foi rever o Phillip Carruthers, ex-diretor-geral do hotel, cercado pelos sete lados, todo o tempo, e cercado e cercado e cercado, como se fosse a maior celebridade da noite. Partiu do posto da casa, levando com ele toda a sua majestade, por isso permanece reverenciado.

Mr. Samba Haroldo Costa sempre com sua Mary Marinho. Apresentei o casal à Teresa Ortobom, a grande dama dos colchões. Na hora, me deu um clique: Haroldo é quem produz o show sensacional dos 100 anos de Vinicius de Moraes, autor das poesias e parcerias musicais com Tom/Toquinho, que nos fazem sonhar sempre românticos. A família de Teresa produz os colchões, que nos fazem dormir e ter bons sonhos. Não seria perfeito uma parceria entre eles? Foi combinado ali que o projeto “Vinicius 100 anos” será encaminhado à família Ortobom, super patrocinadores em potencial. E que tenham todos bons sonhos…

Naquele exato momento daquela minha apresentação de Mr. Samba à Madame Ortobom, o Copacabana Palace cumpria seu papel e sua vocação. Pois o Copa desde sempre é isso: um ponto de encontro permanente e em alto nível do Rio, pelo Rio e para o Rio!

 Copa-PJ 101 Lirio Parisotto - Luiza Brunet

Lirio Parisotto e Luiza Brunet

Copa-PJ 147 Ivo Pitanguy - Andrea Natal

Ivo Pitanguy e Andrea Natal

Copa-PJ 191 Luana Piovani - Pedro Scooby

Luana Piovani e Pedro Scooby

Copa-PJ 114 Mariza e Jair Coser

Mariza e Jair Coser

Copa-PJ 089 Luiz Fernando Coutinho - Liège Monteiro - Christiane Torloni

Luiz Fernando Coutinho, Liège Monteiro e Christiane Torloni

Copa-PJ 159 Suely e Ricardo Stambowsky

Sueli e Ricardo Stambowsky

Fotos de Paulo Jabur

8 ideias sobre “FESTA DOS 90 DO COPACABANA PALACE TEVE RECEPÇÃO À LA DOWNTON ABBEY

  1. Cara Hilde, os sapatos da Suely Stambowsky serão os homenageados da SEMANA CHIC ok, ela merece.
    Marcos

  2. Cara Hilde, os sapatos da Suely Stambowsky serão os homenageados da SEMANA CHIC ok, ela merece.
    Marcos

  3. Cara Hilde, os sapatos da Suely Stambowsky serão os homenageados da SEMANA CHIC ok, ela merece.
    Marcos

  4. Gostei muito de ver la grande festa que organizaron,en homenagem dos 90 anos do copacabana Palace do Rio de Janeiro,me sinto orgulhosa,de ser de ai ,apezar de viver 30años en Europa,mas amo o Rio e mas meu bairro copacabana,que es maravilhoso,como a cidade maravilhosa.,beijos de uma carioca que vive en las Ilhas Canarias beijos a todos de Rio de Janeiro Ivone muau muau muau

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *