Feijoada do Amaral ainda fervendo na panela!

Ainda ferve no panelão o feijão preto, e não para de ser servida, a Feijoada do Amaral, no Armazém 4 do Cais do Porto. Christiane Torloni, vestida de caçadora, roupa safari, até com chapéu, me dizendo que não sabe com que roupa vai hoje ao Baile da Oncinha. Não tem roupa de onça. E eu cochichando para o estilista Victor Dzenk o comentário dela, para ouvir em seguida: “Pois diga a Christiane que, para ela, abro agora meu atelier e ela escolhe o vestido de onça que quiser para usar hoje, tenho vários!”. E todos lindos, certamente, pois Dzenk é dos bons. E quem eu vejo au bord du mer? O ator Vincent Cassel. E ele me garantiu que vai, sim, ao baile do Copa hoje. Em seguida, outro internacional: Bob Zagury! E o hign em peso. Os irmãos Marcondes Ferraz, Mariano e Paulo Fernando, o Dudu Gomes com filha linda, o Henrique Cordeiro Guerra, a Tina Prado Lopes. Serginho Figueiredo chegou cedo, almoçou e anunciou sua partida, pois não é de samba. Mesa só de embaixadores: os Leite Ribeiro, Guilherme e Vera Lucia, e os Naslausky, Marco Cesar e Sandra. A condessa Rose de Ganay na fila do buffet. Nina Kauffman, produzidíssima. Ela tem brilhado neste carnaval. No Baile de Gala fez-se acompanhar por uma tripulação inteira, todos vestidos de marinheiros: cabeleireiro, maquiador, costureiro. Afinal, Nina não é uma mulher simplesmente, é um espetáculo completo! Isabela Francisco customizou a camiseta com borddos e um ombro só, ao lado do Luiz Felipe. Eder Meneghine, Marcelo Borges, Belisa Ribeiro. Maria Geyer chegou com sua troupe anunciando que foi especialmente para ver o show de seu amigo querido: o Latino!…

E assim foi fervendo o feijão, que o chef Olivier Cozan me disse que gostou tanto que até repetiu. Enquanto Sandra Naslausky lembrava que o feijão era grifado. Quem fez foi a Regina Carvalho

E sabem o que eu achei a coisa mais simpática nessa feijoada inteirinha? Encontrar o Paulo Fernando Marcondes Ferraz usando a camiseta branca com listras vermelhas da primeira Feijoada do Amaral, com a data pra ninguém duvidar: 1987! Uma peça para ser guardada no Museu do Samba!…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *