Em sociedade, pode até demorar, mas um dia tudo se sabe…

Diálogo de dois pilotos de helicóptero:

– Cara, nunca ouvi uma história tão insensata, tão absurda, como é que pode voar assim em condições tão adversas?

– É, tinha mesmo que cair.

– Voar sem condições, com neblina e sem habilitação!

– Não tinha visibilidade alguma, o helicóptero foi cair no mar…

– Como é que pode?

– É que talvez ele fizesse seguidamente esse tipo de vôo e, como nada tinha ainda acontecido…

– Mas tudo tem sua primeira vez, né? Você sabe a história desse cara?

– Ah ele era doleiro e laranja de uma fraudadora famosa aí, acho que era Jorgete… Não, acho que era Josilda…

– Ah, sei quem é. Dizem até que ela já está aí solta.

– Pois é. Aí ele se mandou pra fora do país e depois começou a trazer helicóptero pra vender.

– Não diga!

– Aí, ganhou um montão de dinheiro.

– É mesmo?

– O problema era o irmão dele que também é um completo inconsequente. Detonou seis helicópteros!

– Como?!!

– Isso mesmo, derrubou seis helicópteros que traziam pra vender! Também não devia ter habilitação como o irmão que morreu. Só modelo Robinson foram três que caíram. O último que ele pilotava que caiu era um helicóptero modelo Esquilo, que tinha acabado de chegar. Quando começou a dar problema no voo, o cara se atirou no ar e deixou o helicóptero se espatifar. Foi aí que o irmão empresário, o dono do negócio, mandou ele pra Miami e abriu uma agência de viagem pra ele lá. Ficou com medo de ele acabar morrendo numa dessas.

– Quem diria! Acabou ele mesmo sendo a vítima… E levando muita gente junto… E num Esquilo!

Bem, o diálogo é verídico. E infelizmente, ao que parece, os fatos também. Tirem suas conclusões…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *