Dirimindo dúvidas e desfazendo lendas sobre os gastos com a Copa do Mundo

Esta é uma colaboração do leitor  Eduardo Lopes

Primeiramente é preciso que fique claro que os gastos com a Copa de 2014 representam apenas 1,17% do ORÇAMENTO DA UNIÃO, ou seja, são valores de 25,2 bilhões para um Orçamento da União de 2,14 trilhões.

Portanto, essa conversa de “gastança” com a Copa é “conversa para boi dormir” de quem não conhece os números do Brasil.

Desses 25,2 bilhões de reais, a maior parte foi gasta em obras públicas e não em estádios, tanto em infraestrutura aeroviária como em mobilidade urbana, metrô, VLT’S e BRT’s. Outra coisa!

Essa informação de que a FIFA foi liberada de TODOS os tributos é absolutamente FALSA e já foi amplamente desmentida, mas a gente volta ao tema aqui. Essa informação é LENDA da Internet.

Por exemplo: a receita gerada pela venda dos ingressos NÃO é isenta de tributos. A receita fiscal no evento deve chegar a US$ 7,2 bilhões de dólares, ou melhor, R$ 16 bilhões de reais, nas contas da “Ernst & Young” e da “Fundação Getúlio Vargas” – uma soma muito superior ao investimento público nos estádios.

As isenções fiscais permitidas pela Lei nº 12.350, de 20 de dezembro de 2010, decretada pelo Congresso Nacional, que valem para FIFA e seus associados, referem-se à importação de material e equipamentos esportivos usados nos jogos (como uniformes, carros e ônibus), além de todos os serviços relativos à organização (contratação, hospedagem e despesas com árbitros, por exemplo). As emissoras de TV também trazem muitas toneladas de equipamentos para garantir que as imagens do torneio brasileiro cheguem ao mundo todo e não vão pagar impostos por isso.

O benefício de divulgar o Brasil para algo em torno de TRÊS BILHÕES de pessoas mundo afora vale muito mais do que o custo em renúncia fiscal, porque tem impacto maior do que as campanhas que o governo federal, através da Embratur, poderia fazer com essa possível arrecadação.

Além disso, essas isenções também foram conferidas à FIFA nas copas da Alemanha (2006) e África do Sul (2010).

Erra quem diz que as novas arenas custaram três vezes mais do que o previsto ou de que foram gastos R$ 30 bilhões na construção de estádios. Isso é MENTIRA!

O custo das novas arenas foi de R$ 8 bilhões financiadas, em 4 bilhões, pelo BNDES e pela CEF. O restante dos recursos foi aportado por agentes privados ou governos estaduais. Não há injeção de dinheiro público do Governo Federal nesses empreendimentos. Algumas destas arenas são inclusive privadas, não pertencem sequer ao poder público.

Esse é o caso da Arena Corinthians, da Arena da Baixada e do Estádio Beira-Rio. Ou seja, o ônus é todo do ente privado. O custo de construção das novas arenas sofreu acréscimo assim como, provavelmente, o preço de todo e qualquer imóvel particular no período 2007-2013.

Afinal, as arenas também estão sujeitas aos efeitos da inflação apurado pelo Índice Nacional da Construção Civil (INCC) ou se houver alteração de projeto ou da área a ser construída, como no caso do Estádio Nacional de Brasília.

De qualquer forma, o “Castelão”, em Fortaleza, saiu 17% mais barato. A “Arena Corinthians” já previa custo de R$ 820 milhões no primeiro orçamento, em 2011.

Outras cinco arenas tiveram ajustes baixos: “Arena Pernambuco” (1%), “Arena da Dunas” (14%), “Arena Fonte Nova” (17%); “Arena Pantanal” e “Arena da Amazônia” (24%).

Já o Mineirão, Maracanã, Arena da Baixada e Mané Garrincha tiveram seus orçamentos elevados entre 63% e 88%, por causa de mudanças nos projetos de engenharia.

O único orçamento que dobrou foi o da Arena Beira-Rio, em Porto Alegre (RS), em razão de alterações profundas na planta inicial.

Se houve “roubo” ou “superfaturamento”, e a oposição sabe apontar exatamente quem praticou ou tem fortes indícios de desvios, convém apontar os responsáveis. Caso contrário, estará sendo leviana. Até porque algumas das novas arenas foram construídas, e são de responsabilidade exclusiva dos estados governados pela própria oposição como, por exemplo, Minas Gerais (PSDB), onde está o “Mineirão”, Rio Grande do Norte
(DEM), onde está localizada a Arena das Dunas, e Pernambuco (PSB), onde está localizada a Arena Pernambuco.

Os investimentos em Saúde e Educação de 2010-2013 totalizaram R$ 825 bilhões. Nem um centavo deixou de ser aplicado nessas áreas por conta da Copa do Mundo. Pelo contrário, os investimentos nestes setores têm sido ampliados ano a ano.

Além disso, os investimentos em segurança, treinamento e integração das forças armadas, força nacional de segurança, polícias federal, rodoviária e estaduais e nos Centro Integrados de Comando e Controle (CICC), em cada uma dos doze cidades sedes, ficam de “legado” para toda a população.

Aliás, as demais capitais do país que não terão jogos da Copa também serão contempladas cada com um CICC.

Em resumo, se temos problemas de segurança ou na saúde públicas cobre do ente federado, estadual ou municipal responsável direto pela prestação daquele serviço público para não passar por desinformado. Ok?

Veja em http://democraciapolitica.blogspot.com.br/search?q=FIFA+VAI+PAGAR+AO+BRASIL+R$+16+BILH%C3%95ES+EM+IMPOSTOS e http://tijolaco.com.br/blog/?p=18512 e http://www.youtube.com/watch?v=jiRKvDkGXBw

22 ideias sobre “Dirimindo dúvidas e desfazendo lendas sobre os gastos com a Copa do Mundo

  1. “Desses 25,2 bilhões de reais, a maior parte foi gasta em obras públicas e não em estádios, tanto em infraestrutura aeroviária como em mobilidade urbana, metrô, VLT’S e BRT’s. !”…….querendo ou nao esse dinheiro gasto foi em funçao da copa. Agora sera q educaçao e saude nao sao mais importantes q “obras publicas”???a foi gasto x milhoes em saude em educaçao, entao esta sendo investido pouco ou estao desviando pq o pais no ranking do IDH é ridiculo.

  2. Com a máxima vênia, este blog virou porta-voz do lullo-petismo.
    Roma está em chamas, mas há quem não perceba a realidade.
    Pompéia já foi dizimada por vulcões.
    Todo cuidado é pouco. Pede-se respeito à inteligência dos leitores.

    • Menos, José Solano, menos. O blog publicou a colaboração do leitor porque a considerou bem escrita e ancorada em dados convincentes. Só isso.

  3. É lógico que a Federal Lei 12.350/2010 regulamentada pelo Decreto 7.578,
    o poderia isentar de tributos a venda de ingressos pela FIFA, porque a competência constitucional para legislar sobre esta atividade é do município onde ocorre o evento.só ler a Constituiçao Federal.Em virtude do “acordo com a FIFa” todos os municípios editaram lei de isenção para todos os serviços prestados pela FIFA, subsidiárias e prestadores de serviços – não haverá retenção, recolhimento ou cobrança do ISSQN em razão dos pagamentos, em espécie ou de outra forma, efetuados para a FIFA. Eulália Alvarenga – auditora fiscal de tributos municipais – durante 30 anos

  4. Estarei repassando para as vítimas do elevado de Belo Horizonte, inaugurado às pressas pela “nossa” PresidentA. Quem sabe, de lá do além eles poderão refazer as contas acma apresentadas e beijar seus filhos e esposas enquanto gritam GoLLLLLLLL do Neymar.

    Bom fds

    • Ah, Dodô, você acredita no que está dizendo de fato? Não posso crer.
      Foi o elevado que partiu a costela do Neymar, não foi o colombiano?
      Essa campanha vai ser mesmo de lascar!

  5. E por acaso o BNDES e a CEF deixaram de fazer parte do governo? Então como é que a Sra vem dizer que não houve dinheiro do Governo Federal nos estádios? Deveria ter mais cuidado com as “informações” que presta! Me poupe!

  6. Interessante como um comentário “chapa branca” desses pode ocorrer, mas tanto o papel quanto a internet aceita tudo. De repente, R$ 1 bi para ca ou R$ 1 bi para la deixou de ter importância. Chego nas farmácias e me deparo com pessoas sem R$ 30,00 para comprar um anti biótico para tratar uma infecção urinaria e alguém vem dizer que os estádios não foram caros. Fora a roubalheira, que não importa se foi no PT, PSDB, etc, mas que saiu do bolso de todos brasileiros e foi parar no bolso de poucos desonestos…
    E o pior de tudo é que apesar de R$ 30 bi terem sido investidos e a Copa ser uma maravilha deste pais, a economia em 2014 não vai crescer mais que 1,5%. A divida total do Tesouro Nacional batendo recorde. Percebe a receita do inferno, divida em alta com PIB em queda… De quebra inflação em alta, ainda que mantida a custa das estatais e desonerações. Finalmente, superavit primário insuficiente para pagar juros de nossa divida. Da ate vontade de chorar!

    • Em 2013 fiquei perplexa quando assisti manifestantes ateando fogo nos carros, destruindo vidraças , destilando todo o veneno contra quem não tinha nada a ver com seus problemas ; e também contra os que tinha . Vi ali manifestantes que não queriam um diálogo e sim balbúrdia.
      Já os manifestantes pacíficos queriam mostrar aos nossos governantes que haviam prioridades nas áreas da saúde , segurança, educação e etc.,
      Agora , com a copa acontecendo em nosso país , é hora de mostrarmos esse Brasil tropical ,de um povo acolhedor e ricos em
      belezas naturais , possuidores de uma culinária tão diversificada .
      A copa vai acabar . Chegará o dia de elegermos outros governantes e daí deveremos ficar antenados nas plataformas políticas dos candidatos .Paulo , ficarei ligada nas questões que você tão sabiamente abordou .
      Um abraço Alcione Lima

  7. Eles precisam é aprender a não manipular as informações……..coisa que não vão aprender nunca!!!!!!!!

  8. Cara Hilde, obrigado pelo serviço cidadão de esclarecer pontos importantíssimos sobre a Copa. Se há uma crítica que necessariamente deve ser feita ao Governo é o de ter demorado tanto para divulgar as informações fundamentais para que os brasileiros entendam a Copa e seus investimentos. Transparência e informação nunca são demais.

  9. Boa tarde D. Hilde,

    É um prazer ler a sua coluna, afinal de contas… “A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte”. Mais uma vez parabéns pelo seu trabalho e pelo seu embate na busca pelo esclarecimento político sem paixões. Imagino que não seja fácil ser firme nesse ofício quando a verdade não agrada pessoas próximas, enganado? Embargos de Declaração por conta das informações obscuras, contraditórias e/ou omissas.

    Obrigado,

  10. boa noite. um caso rápidos de como a informação subjetiva, mentirosa ou verdadeira chega ao conhecimento dos cidadãos. lá pelos idos da década de 1960 seu Manoel vendia abacaxis de sua plantação, um pequeno sítio la em Bebedouro, no interior de são paulo, com uma carroça. meu pai chegou a ficar amigo a ponto de um dia visitar o sítio de seu Manoel. conversa vai, conversa vem, ao notar o vasto conhecimento dos acontecimentos meu pai perguntou como ele sabia tudo aquilo enfiado la nos cafundós. resposta de seu Manoel:- eu ouço a voz do brasil….
    o que vemos hoje é que a mídia poderosa consegue se infiltrar nos lares e divulgar o que interessa somente a ela. infelizmente, tendenciosa, conservadora…
    tão poderosa que quando alguém (apaixonada pela verdade) como a senhora usa um espaço para divulgar dados verdadeiros o cidadão “não acredita”. parabéns por sua coragem de informar a situação real.

  11. Respeito e admiro sua coluna. sempre quando posso leio por achar seu trabalho sério e elegante,
    Sei um pouco da sua luta em esclarecer verdades sobre o período sombrio do Brasil durante a ditadura, como também sei que existe interesses de correntes que estão no poder em apurar fatos não esclarecidos.
    Reconheço que os gastos da copa não são o problema do Brasil, pois a coisa é muito mais vergonhosa do que isso.
    O que me deixa surpreso é ver você fazer esse tipo de defesa, e acho estranho porque a mídia comprometida e descomprometida com tudo isso apresentar dados oficiais dos gastos.
    continua a ver e ler sua coluna pois nela vejo pessoas de que gosto e assuntos que me interessam, mas esses esclarecimentos com relação à copa me surpreendo em ver registrados na sua coluna.
    Não tenho bandeira política partidária, apenas faço esse comentário por achar que sua coluna ainda é umas das coisas mais interessantes e tradicionais na parafernália que se tornou a mídia brasileira.
    Um grande abraço.

    • Douglas, a elegância de sua correspondência, me obriga a uma resposta. Vejo-me no dever de procurar esclarecer os leitores quando há um cenário de informações tão desencontradas, tantos subterfúgios, informes obscuros, fatos reais mantidos escondidos, e não acho justo com o cidadão de bem, como me parece ser o seu caso, mantê-lo desinformado ou apenas parcialmente informado, de acordo com o interesse de partidos políticos ou grupos empresariais. Como não sou uma coisa ou outra, sinto-me na liberdade de procurar me informar pelas boas fontes que tenho e repassar o que apuro aos meus leitores. Não me considero parcial. Considero-me apaixonada, sim. Pela verdade. Obrigada por poder contar com sua leitura. Saiba que para mim é motivo de sincera felicidade.

      • Muito legal, por sua resposta só vi agora, me sinto muito honrado, e uma coisa tenho certeza, que pela sua trajetória profissional e por seu histórico familiar, creio que você é uma dos milhões de brasileiros que vem contribuindo para fortalecimento da democracia, semeando idéias, informando de maneira ética, para se Deus quiser, em breve colhermos frutos de um Brasil melhor.Um fraterno abraço.

  12. Me parece que o final do artigo é bem esclarecedor. O governo federal, como de costume, se isenta da responsabilidade em estados e municípios, na área de saúde e segurança. Nos poupem de abóbrinhas por favor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *