7 ideias sobre “Daqui a dois dias

  1. A minha auto-estima do depois do Day After me deixou debaixo do lençol sem atrever a mostrar o meu nariz por alguns dias. Atormentada e sobressaltada, esperando que algo de mais sinistro está por vir. Tenho pesadelos com o ortodoxo Gilmar Mente presidindo o STE O fatiamento que ora surpresa, mas que me deixa acabrunhada com os votos dos 16 senadores raposas velhas, os autênticos pemedebistas, que atenderam aos rogos do Renan Canalha.

    O Mordomo sem pescoço de filme de terror, o déspota Temerário que foi a China com a comitiva Nosferatu que fecharam vários contratos dentre elas os 23% da Camargo Correa (será que faz parte do acordo da delação?) e a participação de concessões de grandes projetos logísticos e estratégicos, em áreas como ferrovias, rodovias, portos, aeroportos e energia para a China comunista, ora capitalista. Que venham os produtos manufaturados Made in China para alimentar os camelódromos, o terror dos nossos bairros e das classes médias e ricas. Os outros G18, ainda não me informei de qual parte do nosso latifúndio foi subtraído. Sei que o ouro negro é do Tio Sam e o bem hídrico é das megas indústrias, como bem diz os imperalistas: “Nada de protecionismo!!!”.

    Fico a olhar as manifestações das bandeiras vermelhas e pretos mascarados com a proteção dos robocops, prontos para mirar chuvas de balas de borracha e gás lacrimogênio em cima deles, enquanto, os verdes e amarelos comemoram o fim da Democracia e a Soberania Nacional com as suas taças de champanhe, e estes sim,.não terão que reclamar se um de seus olhos forem vazados. Ai ao anoitecer, a presença dos anárquicos e as guerrilhas apaches urbanas. Gerônimo vive!!! Ai meu Deus do Céu, a inveja vem testar a minha fé!!!!

  2. A ambição dos políticos tipo TEMER – jamais ganhou uma eleição (foi eterno suplente…. ). Quando o povo não dá o crédito das urnas é porque jamais acreditou
    nele. O LULA impôs o vice da sua criatura (DILMA) e pouco antes do golpe indicou o “traidor” para fazer composição com o “CONGRESSO”…Aí estourou a
    bomba – carta de chororô (escrita pelo Moreira,etc.etc.)Agora a escolha do filho
    do CÉSAR MAIA como Presidente da Câmara e Presidente da República (?)
    substituto é o fim da picada. SÓ ESPERAMOS QUE O FUTURO SEJA A SEPULTURA DESSES GOLPISTAS. Minha solidariedade a você e a DILMA
    (esclareço que nunca votei no PT!).

  3. EDUCAÇÃO, OBJETIVO MUNICIPAL

    “No momento atual, marcado pela ruptura institucional, por um
    governo sem a legitimidade da soberania popular e sem amplo
    apoio popular, emergem iniciativas e projetos que afetam a
    liberdade do ensino e aprendizagem dos professores e
    comprometem o princípio da autonomia pedagógica.”
    (Sérgio Sanandaj Mattos, Tempos Sombrios: a educação
    brasileira e a lei da mordaça, em Sociologia Ano VII Edição 65)

    O golpe ocorrido no Brasil deu dimensão ainda maior à administração municipal e, em consequência, às questões relacionadas à educação.
    O Município está para a política como a família está para a pessoa: é o primeiro e formador contato de conhecidos candidatos, residentes no mesmo espaço político, com seus possíveis eleitores. No momento que o governo federal se afasta totalmente das prioridades e necessidades brasileiras, com o único fito de servir aos interesses estrangeiros e ao sistema financeiro, a administração municipal ganha máxima relevância na importante missão educadora.
    Convido o caro leitor para reflexão sobre o que, certamente, é prioridade absoluta para a formação de um povo: sua educação.
    Mas o que é educar? Seria adestrar uma pessoa para realização de uma ou mais tarefas? Seria condicionar um jovem a dar respostas conforme os interesses dos demandantes? Ou seria possibilitar conhecer e entender o que lhe cerca em todos os sentidos: físico, material, psicológico, emocional, social, humano, econômico, político, cultural? Ainda há um mais relevante entendimento do que seja educar: dotar a pessoa de capacidade crítica, saber interpretar as ações e manifestações da natureza e dos homens.
    Isto destrói o entendimento da perenidade das ações e de suas compreensões. Há um fato que ilustra muito bem este sentido da mutabilidade dos valores sociais ou humanos. Ele está narrado por Augustin Cabanès (Moeurs intimes du temps passé) e reportado por Norbert Elias (O Processo Civilizador). No século XI, um doge de Veneza casou-se com uma princesa grega. No círculo bizantino da princesa o garfo era usado e ela levou um pequeno garfo de ouro, com dois dentes, em seu enxoval. Em Veneza, como em toda Europa, que denominamos Ocidental, apenas a colher e a faca eram utilizados à mesa. O garfo provocou escândalo e a princesa recebeu severas reprimendas, inclusive dos eclesiásticos, que lhe invocaram a ira divina. Algum tempo depois, ela foi acometida de uma doença e são Boaventura não hesitou em declarar que era um castigo de Deus.
    Há várias lições deste fato histórico, principalmente quando as mais reacionárias forças políticas no Brasil propõem uma “Escola sem Partido”. Este inacreditável projeto vem da família Bolsonaro, pelo ocupante da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, Vereador Carlos, filho do Deputado Federal Jair, que tem outro filho, Flávio, deputado estadual e candidato a Prefeito no Município do Rio de Janeiro. Como vemos, uma dinastia a serviço do obscurantismo.
    Várias questões que nos afligem estão intimamente relacionadas à educação, inclusive a da segurança pública. Um projeto educador é amplo, não se esgota na transmissão de informações curriculares, mas no desenvolvimento físico e cultural. Daí vermos quadras esportivas e auditório ou teatro em quase todas as escolas, nos mais diversos países. Os Centros Integrados de Educação Pública (CIEP), desenvolvidos por Leonel Brizola e Darcy Ribeiro, no Rio de Janeiro, são o exemplo que mais se aproxima de uma escola municipal ideal. Diria que é o projeto a ser desenvolvido e aperfeiçoado para estarmos contemporâneos no mundo da educação pública.
    Por que insisto em educação pública? Porque é a única que merece o nome de educação. As demais são uma forma de comércio ou de doutrinação religiosa. A formação integral, não dogmática, só pode ser fruto do ensino público. Os exemplos estão em todo mundo capitalista ou socialista.
    Verifique se a educação está na pauta principal da campanha eleitoral que se inicia. Não é surpresa que apareça, mais como um slogan, vazio e demagógico, do que numa perspectiva de soberania e construção de um país independente, ou seja, de ação política consciente, nacionalista e responsável.
    Claro que existem exceções e nelas devemos buscar e dar nosso voto e apoio. Mas é triste e verdadeiro constatar que o Brasil empreende acelerada marcha ré, revolvendo o pior da política e das emoções humanas.
    Pedro Augusto Pinho, avô, administrador aposentado

  4. de qualquer forma, a presença dela nesse “julgamento”, fará sim, aqueles senadores de bem, refletiremm o mal que causarão ao país, dizendo sim, portanto o não dessas pessoas, acordará de vez a nossa jovem democracia.
    espero também que, ela olhe bem nos olhos do canalha do lewandowiski e pergunte a ele: ” caso eu tivesse aprovado o aumento salarial que você foi me pedir, esse processo golpista teria continuado?”
    reinaldo carletti

  5. Cara Hilde, uma Câmara que tem como busto o Dr. Rui Barbosa, o advogado mais barato que a Casa Branca já conheceu(quero dizer nosso Senado), derrotado nas urnas e péssimo jurista, que não está na Suprema Corte e nem no Superior de Justiça, eu não espero nada, nem assistir pela TV eu vou, tentei por diversas vezes explicar a D.Dilma como funciona o Estado Nacional, mesmo com 13 anos de PT, mas com toda legislação fiscal e orçamentária ainda do FHC.
    Companheira Vana não me comove mais, desejo boa sorte, porquê sei que não é jurídico e sim político parlamentarista o impedimento que poderá afastá-la legalmente e constitucionalmente armado contra ela porquê não quis ajudar o peemedebista réu suíço(porquê ela não gravou ou filmou o encontro dela com o marido da Cláudia Cruz antes dele voltar revoltado para Câmara e acionar o processo). O tempo da VPR e da APML já passou e teve indenização. Agora devemos pensar mais no presente e futuro, se não corremos o risco de estender a recessão para 2017, quiçá 2018. Espero que a Dilma volte. Grande Abraço ALS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *