CORONEL USTRA E O LUSTRA MÓVEL

Pelo que vi ontem nas TVs e li hoje nos jornais, como se dizia na minha infância, o coronel Brilhante Ustra deve fazer a barba todo dia com LUstra móvel. E ficar mais brilhante, né? É cara de pau mesmo!

O lado positivo do seu depoimento é que, ao dizer que a ordem de torturar foi dada diretamente pelo presidente ao Exército, deu à Comissão da Verdade razões  para arrolar “in memoriam” os presidentes ditadores dos governos que torturaram. Bem como arrolar os comandantes militares da época. Os que permanecem vivos podem ser convocados “in vivoriam”  mesmo, pois há muito já deveriam ter sido responsabilizados oficialmente por suas crueldades.

Um país não pode ter seus pilotis fincados sobre o lodo da impunidade. Pois impunidade gera impunidade, leniência gera leniência. E o resultado é o que vemos hoje: a gente não sabe mais onde começa o certo, onde o errado termina.

Quem fechou um Congresso e subverteu a Constituição foram eles, mas se deram ao direito de chamarem os que se insurgiram contra essa truculência de “subversivos”.

Quem torturou, matou, torceu bicos de seios, costurou vaginas com insetos vivos no seu interior, arrancou unhas, línguas e dedos de pessoas vivas e acorrentadas foram eles, e se deram ao desplante de chamarem suas vítimas de “terroristas”.

Quem, na calada das noites, aterrorizou famílias, invadindo suas casas, sequestrando pais, mães, filhos e até crianças, foram eles, para jamais entregarem os corpos, e ofendem chamando de “terroristas” os nossos heróis trucidados.

Quem deu um golpe de estado no Dia da Mentira, 1º de Abil, foram eles, e anteciparam a data para 31 de Março, numa falácia, mudando também o nome do Golpe para Revolução, repetindo isso tantas vezes até parecer verdade, e ainda hoje há pessoas que, ingenuamente, chamam aquela usurpação do poder do Estado constituído pelo voto de “Revolução”. Incrível!

Desta matéria de Cara de Pau é feito esse Ustra. Porém de madeira da pior qualidade, bichada, com cupins, à qual sequer lustra móvel, verniz ou medalhas conseguem dar brilho…

 

6 ideias sobre “CORONEL USTRA E O LUSTRA MÓVEL

  1. Curiosamente, a turma que sempre aparece para defender a ditadura e as teorias de conspiração de que os comunistas malvados estavam prontos para invadir o Brasil em 64 ou tem ligações famlíliares diretas com os militares ou passou algum tempo sendo endoutrinado, reprogramado e servindo de capacho para os mesmos em algum quartel.

    Ironicamente, nunca vi um filho, sobrinho ou neto de alguém que foi preso, torturado, ou assassinado por engano pelos militares defendendo os mesmos ou dizendo que a ditadura foi um mal necessário.

    Prova de que a teoria que diz que pimenta no esfincter alheio é Q-suco saboroso geladinho é totalmente válida.

    E viva Zuzu Angel!

  2. PALMAS, HILDE !!!
    É ISSO MESMO : foi um período de brutais atrocidades no país !!!
    E esse ULTRA tem cara de pau de falar da DILMA !!!
    TORTURADOR, FACÍNORA !!!
    Viva a Comissão da Verdade !!!
    Tem que ser esclarecido tudo deste negro período da nossa história !!!
    JORGE SALOMÃO RIO 2013

  3. Cara Hilde e todos nós,
    Compartilho a indignação contra o cinismo desse cara de pau, mais que isso, repudio a cara de pau Brasil nessa e em tantas outras ocasiões. Inclusive agora com os desmandos políticos.

  4. Hilde querida,obrigada pela. Materia do Terço e Missa. Linda… Porém, esta do Ustra é perfeita. Nem óleo de capivara, que resolve tudo, dá jeito nele. Uhhh,cara de pau… Beijos, Isis

  5. O coronel Ustra comandou o Destacamento de Operações de Informações do Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi), do 2º Exército, em São Paulo, entre 1970 e 1974. O nome dele é um dos mais citados em denúncias de violações de direitos humanos no período.
    É bom lembrar que o órgão que ele comandava era o principal centro de repressão do regime e que nesse período morreram ao menos 50 pessoas no DOI-Codi.
    Coronel Ustra é um lixo humano!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *