BRAHMANES DEVOTADOS PEREGRINAM AO TEMPLO BRAHMA DA SAPUCAÍ

Brahmane, vocês sabem, é um termo que deriva do latim brachmani, que, por sua vez, provém do grego brakhmânes, adaptação do sânscrito védico brāhmaṇa, que significa “aquele que é versado no conhecimento de Brahman – a alma cósmica “.

Segundo o canto do Rigveda “Purusha Sukta”, os Brahmanes surgiram da boca do Purusha, que é o homem cósmico primordial transcendente. Da boca do Purusha nasceu o Brahmane.

No Brasil, o Purusha é o Zé Victor Oliva. É de sua boca que saem, a cada carnaval, os nomes dos Brahmanes que vestirão a camiseta da devoção Brahma, em seu templo famoso: o camarote da cervejaria na Sapucaí.

morenaAqui vemos Sua Divina Graça, o Purusha Zé Victor Oliva, e a atriz Nanda Costa, uma Brahmane debutante, ontem, no Templo Brahma da Sapucaí. Foto tirada por ele mesmo e postada no Instagram com a legenda: “O Branquelo e a Morena”.

Como um Purusha legítimo, Zé Victor mantém a cabeça raspada e um permanente estado contemplativo diante de tudo que é belo

***

Continuando esta dissertação etílico-religiosa, o Brahmane é the top, membro da casta sacerdotal, a casta superior entre as superiores, casta seguida pelos Kṣatrya (guerreiros), que saem dos braços do Purusha, e os Vaiśya (artesãos), que são feitos das coxas. Os Sudra, que se originam dos pés do Purusha, são os trabalhadores braçais. E os Dalit nem casta são. São intocáveis.

Sabrina SatoSabrina Sato é uma seguidora do Deus Brahma da casta Vaiśya, a que derivou das coxas do Purusha, o que esta foto atesta com precisão. A casta Vaiśya é uma casta elevada, mas na filosofia Brahmane vale mais quem saiu da boca do homem cósmico primordial transcendente. Tipo assim a Carla Vilhena, que tem aquela boca poderosa. Não é à toa que hoje as clínicas de dermatologia de preenchimento estão lotadas com clientes mulheres e homens querendo ter a boca Brahmane da Carla

8481357588_7dc3212c7c_zCarla Vilhena. Brahmane legítima, da boca do Purusha Zé Victor, presente ao culto de ontem no Templo Brahma (Foto AG News)

***

Hoje em dia, essa ordem de castas está meio uma desordem, com o surgimento de muitos movimentos contra a hegemonia Brahmanista, tanto no hinduísmo quanto na Sapucaí, onde a cada ano aparecem novos camarotes-templos-mega, de devoções variadas, com multidões de seguidores camisetados…

Mas os Brahmanes são meio assim como o Flamengo: mesmo perdendo campeonato, não perdem torcedor. Ao contrário, a cada ano mais cresce a mancha vermelha na Sapucaí

Sendo membros da casta mais alta, os Brahmanes sempre gozaram de posição social privilegiada – independente de sua riqueza. Por isso, o templo Brahma é frequentado também por muitos Brahmanes duros, mas algumas coisa sempre têm a oferecer. Seja beleza, fama, simpatia ou boas relações. Na ausência desses atributos, há a possibilidade de algum tipo de acesso aos promoters e assessorias contratados para convidar e/ou credenciar para o grande Templo Brahma nos três dias de carnaval…

Marly sampaio e Tereza MacedoNão basta ser famoso e poderoso, precisa também ter boas conexões e presença na sociedade produtiva, para ser um Brahmane. Marly Sampayo, personagem emblemático da night carioca, é mãe da promoter do templo, Carol Sampaio. Tereza Macedo Ortobom é a Rainha dos Colchões

A maioria dos Brahmanes é conhecida por praticar um vegetarianismo rígido, apesar de, neste carnaval, muitos Brahmanes habituais terem sido flagrados em novo templo de devoção: o camarote da churrascaria Porcão, heresia!

A dominância tradicional dos Brâhmanes (com circunflexo) nos assuntos religiosos, administrativos e na política tem sido a causa de fissuras sociais profundas na sociedade indiana. Mas na sociedade brasileira isso não é problema, pois todos sabem que os Brahmanes (sem circunflexo), apesar do vermelho PT da camiseta, estão mais para o azul e amarelo tucano. Vários Brahmanes tucanos confraternizavam felizes e contentes no Grande Templo da Ambev.

Como constatamos na foto abaixo, que reúne David Zylbersztajn, diretor-presidente da ANP no governo FHC, e o jornalista e escritor Guilherme Fiúza, tradicional apologista dos argumentos tucanos na grande mídia.

David  Zylbersztajn r Guilherme FiuzaDavid Zylbersztajn e Guilherme Fiúza, irmãos em Brahmane e em Tucâname

De fato, não foram obtidos flagrantes de Brahmanes lulistas nos cultos Brahma deste carnaval. Não havia lulistas personalidades da vida pública, como David, nem do mundo jornalístico, como Fiúza. À exceção do Zé de Abreu. Mas o Zé de Abreu, todo mundo sabe, é um Dalit, um intocável, ninguém mexe com ele!

ze de abreu 2O Dalit Zé de Abreu e a Brahmane Zezé Polessa, no Templo Brahma, no Sábado das Campeãs (Foto AG News)

Desde a última década começou a florescer na Sapucaí um movimento antiBrahmanista, protagonizado por alguns racionalistas do samba, e também jornalistas, que se insurgiram contra a hegemonia Brahmanista e o que consideravam “rituais sem sentido”, pelo fato de não haver, no interior do Templo Brahma, sequer transmissão dos desfiles das escolas que aconteciam do lado de fora, enquanto os convidados eram entretidos com festas eletro, ignorando completamente o carnaval…

Tal atitude do templo foi considerada uma quebra da hierarquia na Sapucaí, onde, nos dias de Carnaval, o Deus Samba torna-se divindade mais alta do que o Deus Brahma!

O advento das críticas estimulou a concorrência (outras cervejarias, inclusive) e fez proliferar outros Templos-Camarotes-Mega, especialmente no lado ímpar do Sambódromo.

Este ano, com o surgimento das novas frisas no lado par, vieram os mega camarotes com dois andares também neste lado, como o Templo Porcão/Rede Globo, levando a condições mais equânimes de distribuição de convites entre as várias castas da sociedade, da imprensa e dos famosos, que puderam se espalhar entre templos vários,  Rio Samba Carnaval, Devassa, Caras, Porcão etc.

Há, entretanto, seguidores Brahmanes profundamente indecisos entre todas estas outras linhas religiosas, e que saem vestindo as camisetas das várias devoções, peregrinando de templo em templo, de culto em culto, na mesma noite…

Porém, na hora do ora veja, os seguidores habitués não deixam de clamar por afirmar a superioridade da casta Brahmane e o seu direito de acesso exclusivo aos escalões mais altos da hierarquia Sapucaísta.

Como disse hoje a colunista social Hilneth Corrêa, Brahmane do Rio Grande do Norte, em trânsito pelo carnaval do Rio de Janeiro: “Fui a todos, mas o camarote que bomba mesmo, lotado até de manhã, é o da Brahma”. É uma Brahmane convicta, a Hilneth. Praticamente uma Purusha!

Iunete Correa, vice gov RN-Robinson Faria com a mulher Juliana  e Ricardo Bergio Faria A Brahmane Hilneth Corrêa, o vice-governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, e sua mulher, Juliana, e Ricardo Sérgio Faria

Fotos de Marcelo Borgongino

8 ideias sobre “BRAHMANES DEVOTADOS PEREGRINAM AO TEMPLO BRAHMA DA SAPUCAÍ

  1. Gostei das explicaçoes. Nao sei se a Sra sabe, mas BRAHMA vem de “Brauhaus Mainz”, que prosaicamente quer dizer em alemao “A cervejaria de Mainz- Maenza (capital do land alemao Renania-Palatinato).
    Prosit Brahma…,
    Aurelia

  2. Esse Jose Victor Oliva se acha melhor e mais inteligente que os outros. Ja trabalhei pra ele e vi como ele se acha superior.

  3. Todo mundo tem sua turma, suas afinidades, suas preferências. Feio mesmo é quando alguém não se posiciona, não deixa claro em que lado está.

    Os tucanos estão aí e que bom que eles existem! Ruim mesmo seria se não tivesse quem constestar os petistas e seus governos.

    E terrível mesmo é quando alguém boicota ou censura alguém apenas e tão somente porque ela está do outro lado ou pensa diferente.

    Sou fã do Guilherme Fiuza pelos textos corajosos e pelos livros maravilhosos!

    • Concordo com você em gênero, número e grau. Feio é restringir pessoas, olhar atravessado, boicotar, só porque elas pensam diferente e externam isso. Eu, por exemplo, convidei o Guilherme Fiúza com muito prazer para meu camarote no Baile do Copa. Não costumo brigar com amigos por causa de política. Nem pretendo fazer isso. A não ser que se tornem pessoas desagradáveis e ofensivas. Beijos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *