Back2Black consagra a supremacia dos setentões

Encerrado o Back2Black, chegou a hora de fazer o balanço do festival e, certamente, a noite mais animada foi a de sábado. Além da diva black Chaka Khan ter botado pra quebrar com o seu vozeirão potente, uma outra atração, “inesperada”, chacoalhou a Estação da Leopoldina

E apesar de eu haver comentado em posts anteriores que Prince, atração principal do evento, não viria, o site do festival exibiu ontem uma informação incompleta e por isso mesmo dúbia (transcrevo: “ATENÇÃO! Hoje é o último dia para a troca de ingressos do Prince na bilheteria da Leopoldina”) causando certa confusão até aqui neste blog…

Prince cancelou sua participação na última hora, sem dar motivo, um desrespeito com o público e com a organização do festival que, a pedido dele, havia montado uma infra especial para receber seu show. Saiu o Prince e entrou Jorge Ben Jor pra tapar seu “buraco” e, vamos combinar, quem é “Prince” perto do “King” Ben Jor, né, minha gente? Por mim, o Back2Black deveria ter incluído Ben Jor na programação desde o início…

Bastou Ben Jor subir no palco no sábado para imediatamente se tornar a atração mais querida do festival. Salve simpatia! O público dançou, pulou e cantou todos os seus hits. Em sua grande maioria gente jovem! O que prova a elasticidade do talento de Jorge, que, há décadas na ativa, com fôlego total, às vésperas de chegar aos 70, ainda conquista as novas gerações. E que venham as próximas!…

Um momento inesperado da apresentação de Ben Jor foi quando Caetano Veloso subiu ao palco para cantar Ive Brussel com o amigo. Pronto, era só o que faltava para a plateia ir ao delííírio. Alguns até faziam reverências com as mãos, igual a Zezé Polessa em Cordel Encantado. Afinal, não é todo dia que presenciamos o encontro de dois mitos da MPB, assim, juntinhos! Caetano, que no ano que vem também emplaca 70, foi ao festival prestigiar seu filho, Moreno Veloso, que se apresentou pouco antes do show de Ben Jor, em um palco menor…

E por falar em mestres na casinha dos 70, só para contar, outro grande que marcou presença no festival, sábado, foi Jards Macalé. Um salve especial para ele, que tocou ao lado de Qinho, menino que tem dado o que falar na cena musical carioca. Fiquem de olho!…

Ah! E sem esquecer, é claro, de Gilberto Gil, que se apresentou no B2B na sexta e, assim como Caetano e Ben Jor, nasceu em 1942 – um setentão a caminho. Abaixo, o vídeo do momento em que Caetano e Ben Jor cantaram juntos Ive Brussel!

 

E por fim, vejam quem circulou pela Estação da Leopoldina, no domingo, último dia do festival Back2Black

Entre as atrações, a cantora nigeriana ASA e Seu Jorge & Almaz

Back2Black 1 Back2Black consagra a supremacia dos setentões

Back2Black 21 Back2Black consagra a supremacia dos setentões

Fotos de Cristina Granato

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *