ALMOÇO PARA CONDECORAR JOÃO MAURÍCIO, E MARIA ALICE TAMBÉM MERECIA MEDALHA

Não é a primeira vez que a França homenageia o colecionador de arte João Maurício de Araújo Pinho. Ele já detém a mais alta homenagem do Estado francês que é a Légion d’Honneur. Agora, coube ao cônsul-geral Jean Claude Moyret entregar-lhe a Ordre des Arts et des Lettres, honraria concedida pela França às pessoas vinculadas às artes, que, de alguma forma, prestigiam a cultura francesa de modo importante.

Isso, mais do que sempre, João Maurício tem feito. Por duas vezes presidiu a Casa França Brasil, da qual foi, aliás, o primeiro presidente, como também presidiu sua Associação de Amigos, da qual é presidente emérito.

João Maurício é envolvido com as artes até a medula. Por duas vezes presidiu o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Integra seu conselho, como vice-presidente, e tantos outros conselhos de instituições culturais importantes do país, bem como associações de amigos. Não só as integra, como ajuda a criá-las, orienta, apoia de todas as formas e maneiras.

É um essencial mecenas das artes brasileiras, apoiador estimulante e entusiasmado de quantos o procuram com novas iniciativas, sempre pronto a orientar, aconselhar, ajudar, emprestando seu tempo, sua experiência, seu saber jurídico. Muito não teria se realizado, projetos artísticos, exposições, institutos, fundações, museus, coleções, edições, não fossem os estímulos e conselhos de João Maurício de Araújo Pinho.

Um homem das leis, um tributarista que não se resume às letras frias dos códigos e aos números gelados dos cálculos.  Um colecionador de belezas, refinado, sensível, que transita com felicidade entre seus acervos de arte africana, de esculturas de barro de Mestre Vitalino e outros, de barroco brasileiro, de Vieux Paris, de pratas portuguesas e inglesas, de vidros antigos, a pinacoteca ímpar e uma infinidade de obras, que ele sabe tão bem reunir, expor e discorrer a respeito de cada uma.

A entrega da condecoração poderia ser numa grande solenidade, como pretendia o cônsul francês, provavelmente no salão do consulado ou na Maison de France. Mas o Chevalier des Arts et des Lettres Araújo Pinho preferiu que fosse em sua casa, com tom de intimidade, 20 à mesa de almoço, família e amigos, aqueles cultivados por longo tempo de vida, os mais antigos, num ambiente de grande amizade e fraternidade. Assim foi feito.

Maria Alice cobriu a mesa com toalha de rosas vermelhas bordadas por dona Lygia Mattos e o copeiro da casa encheu as floreiras azuis e vermelhas, de porcelana francesa Vieux Paris, também com rosas. Os copos eram de cristal francês Saint Louis. A França com forte presença nas cores e nos objetos sobre a mesa.

As cozinheiras da casa prepararam o almoço, com trabalhos abertos com coquilles Saint-Jacques, seguidos por cordeiro com farofa de maçã verde e batata baroa e mousse de fruta do conde com calda de goiaba no encerramento.

Entrega de medalha e discursos em português.

ALMOÇO MEDALHA JM - 13João Maurício de Araujo Pinho entre Sergio Chermont de Britto e Humberto Mota

ALMOÇO MEDALHA JM - 4Maria Alice Pinho ladeada pelos embaixadores Paulo Pires do Rio e Marcos César Naslausky

ALMOÇO MEDALHA JM - 3O cônsul-geral da França, Jean Claude Moyret, saúda João Maurício Pinho

ALMOÇO MEDALHA JM - 12João Maurício e Maria Alice Pinho cercados da nora, Luciana, o cônsul da França Jean Claude Moyret, a filha Tina, a neta Antonia, e a filha Anna Luiza, mãe de Antonia

ALMOÇO MEDALHA JM - 15João Mauricio, Yves Ladvocat e embaixador Paulo Pires do Rio

ALMOÇO MEDALHA JM - 11João Mauricio e Carlos Alberto Chateaubriand, presidente do Museu de Arte Moderna

ALMOÇO MEDALHA JM -8O cônsul da França e o condecorado

ALMOÇO MEDALHA JM - 7Ao fundo, à cabeceira, João Maurício de Araujo Pinho Filho, diante de Araujo Pinho pai, na outra cabeceira

ALMOÇO MEDALHA JM - 8O momento da colocação da medalha por Moyret

ALMOÇO MEDALHA JM - 10Jean Claude Moyret e o condecorado Araujo Pinho

ALMOÇO MEDALHA JM - 1Maria Alice também merecia ser condecorada pela beleza de sua mesa, em bleu, blanc, rouge

Uma ideia sobre “ALMOÇO PARA CONDECORAR JOÃO MAURÍCIO, E MARIA ALICE TAMBÉM MERECIA MEDALHA

  1. Tive o privilegio de ter sido aluno do João Mauricio na década de 60 na PUC/RJ. Jovem e dono de uma simpatia contagiante e extremamente competente nas suas aulas e palestras no curso de Direito, conquistava seus alunos pela atenção e cordialidade. O seu imenso e justo sucesso profissional é uma consequência natural das suas qualidades pessoais bem como do empenho e seriedade em bem servir aos seus clientes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *