Ah, o Brasil terno, que acarinha, envolve, abraça, o Brasil do Rio Grande do Sul!

Ah, o Brasil!

O Brasil terno, que acarinha, envolve, abraça. Aquele Brasil sem afetações, pronto à hospitalidade. Conheci este Brasil aos meus 19 anos, quando me mudei para Porto Alegre e passei lá temporada, mais curta do que pretendia, mais longa do que deveria, mas no tamanho para eu ser totalmente arrebatada pela capacidade gaúcha de bem acolher.

Agora, num único fim de semana de três dias, a mesma sensação de estar em casa, uma volta ao lar gaúcho, cercada de grande e fraterna família, em que todos falavam a minha língua – 50 colunistas sociais de cada cantinho dos pampas! – afáveis, calorosos, cheios de afeto. Foi bom sentar-me diante deles no bem equipado salão de congressos do Wish Serrano para, como convidada da Associação dos Colunistas Sociais do Rio Grande do Sul, discorrer sobre as experiências de minha vida profissional. Carreira pontuada por festas, entrevistas, viagens, surpresas, relatos extraordinários mesmo, que adoro compartilhar, contadora de histórias fora de meu tempo que sou, insistindo na tradição oral, no olho no olho dos que me escutam – quem sabe resquícios do meu lado atriz?

Depois da palestra, a foto com parte do grupo de  jornalistas reunidos pela ACORS, presidida por Eduardo Bins Ely, colunista do Jornal do Comércio de Porto Alegre (o de gola clara ao meu lado)

Minha primeira parada foi em Porto Alegre, no Plaza São Rafael. O único hotel no mundo que tem suas fundações sobre uma fonte de água mineral com teor altíssimo curativo, radioatividade 91,90 Maches, e, na composição química, 98,05 de cálcio, 24,23 de magnésio. Seus índices têm benefícios triplicados aos das águas famosas de Caldas da Imperatriz. Na penthouse do Plaza, há uma piscina para se nadar de braçada mergulhando-se nessa água fabulosa, e ainda outra piscina menor, com Jacuzzi. Se eu me hospedasse lá uma temporada, ficava 24 horas/dia mergulhada naquela piscinona, batendo perna, embelezando meu shape… ai, ai… Mas nas horinhas que passei deu, pelo menos, pra admirar a beleza do Rio Guaíba, do vistão de minha suíte, com direito ao belo estádio do Grêmio e também ao Beira Rio, mais de longe, e participar do almoço com papo ótimo da trinca de louras inteligentes (acima): a jornalista (sósia da Xuxa e tão bonita quanto) Carmen Diehl, a gerente do hotel e sua gerente de Marketing, Cláudia Peixoto Hörbe. A Alemanha é aqui!

Depois, um tour pelo lobby, onde conheci esta senhorinha, maga das pedras, às voltas com a remessa para Dubai destes colares de pedras brasileiras preciosas, encomendadas por uma princesa que, há tempos, se hospedou no hotel, encantou-se com a caverna de preciosidades que ela mantém ali, pedras únicas em colares, pulseiras, lapidações várias, e Sua Alteza não se cansa de enviar pedidos… O Brasil não conhece o Brasil…

Olha nós aqui embaixo, no ônibus, rumo a Gramado, com todos os colunistas sociais e, na primeira fila, conosco, Carmen Diehl e Eduardo Bins. Fomos encontrar a cidade serrana ainda com algumas hortênsias em flor, resquícios do verão, e um frio – brrrrrrrr – de 7º ! Eu, carioca despreparada, não levei sequer um casaqueto…

Na primeira noite, o reencontro com o bom amigo João Vicente Corrêa (ó nós aqui
), no grande jantar em Canela, no Containner Bistrot, fechado especialmente para nosso grupo. Parte restaurante, parte loja de decoração, é um dos ambientes mais charmosos daquela região, com a fachada formada por três andares de portas de containners antigas sobrepostas, em cores várias, cobrindo área de um grande pé direito, criando impacto de muita beleza. E a sofisticação do cardápio não fica atrás.

Degustamos, vejam só, coisinhas gostosas como “pastel de cebola caramelizada e gorgonzola”, “brioche de mortadela e queijo gruyère ao molho de pimenta agridoce”, “palitos de berinjela em crosta de parmesão no gergelim”, “massa salernitana”, “iscas de filé ao molho de ostras, queijo coalho e tomate confit”, “tarte de doce de leite”.

De novo o João Vicente, desta vez com a Fabiana Costa, relações públicas do Wish Serrano Resort, onde todos nos hospedamos em Gramado, e grande organizadora de nosso encontro, no jantar de encerramento, que teve presença do prefeito e sua linda mulher, Bianca, no Restaurante Spazio Duo, no Wish Serrano, com o diretor Operacional Corporativo Região Sul-Sudeste da GJP, Carlos  Marin, como anfitrião. Carlos dirige o hotel da rede no Rio de Janeiro, no Aeroporto Santos Dumont.

Em seguida, todos corremos para os nossos quartos para aparecermos depois na Festa à Fantasia do Burger Hill, montados e emplumados, para concorrer ao prêmio de melhor look da noite, ao som ótimo da Banda Disco Vinil.

Ombrelones brancos, jardim esplendoroso, lago e um casarão de cinema, apenas com oito suítes para hóspedes, no único Seis Estrelas do Brasil, o Saint Andrews, em Gramado.

Depois de todo aquele frenesi, ainda tivemos, no domingo, um brunch de cinema ao ar livre, com mesas dos buffets cobertas com toalhas brancas, sob ombrelones brancos, num jardim de cinema, diante de um lago cinematográfico, dando para uma casa hollywoodiana, cenário do único hotel seis estrelas do Brasil: o Saint Andrews, do Guia Relais et Chateaux.

É pouco ou querem mais?

Com Fabiana Costa e Eduardo Bins, meus novos amigos gaúchos, anfitriões em Gramado do encontro anual da ASCORS – Associação dos Colunistas Sociais do Rio Grande do Sul

A Mesa Redonda foi integrada por Rafael Terra, CEO da agência Fabulosa Ideias e professor de MBAs de Marketing Digital que abordou “Colunas sociais na era das redes Sociais” e o advogado Arlei Dias dos Santos, que falou sobre “Direitos de imagem e responsabilidade de imagem nas colunas sociais, no âmbito impresso e online”. Meu tema foi “Minha trajetória e relevância no colunismo social no Brasil”.

Falei sem limite de tempo, sem hora pra terminar. Acho que gostaram. Vejam aqui no vídeo como a turma foi carinhosa depois…

 

Uma ideia sobre “Ah, o Brasil terno, que acarinha, envolve, abraça, o Brasil do Rio Grande do Sul!

  1. “O Brasil não conhece o Brasil” já cantava a gaúcha Elis!!! Mas conhece Miami ! Fiz o roteiro das Serras Gaúchas hà 2 anos! Fiquei em Gramado, onde não tem sinal de trânsito ; os carros param quando a gente vai atravessar as ruas! Sem barulho, sem lixo nas ruas, sem mendigos!Cidade toda florida, e era inverno!.Fiquei no Hotel Lagheto, onde fiz amigos, e que agora inauguraram um Hotel na Barra da Tijuca, oferecendo a hospitalidade Gaúcha….Amei Gramado, Canela etc..e vou voltar.breve….precisamos divulgar mais o magnifico Brasil!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *