SUSPENSÃO DO LEILÃO DO CAMPO DE LIBRA JÁ, PARA QUE ELE POSSA PASSAR A SE CHAMAR CAMPO DE DILMA!

Vocês sabem e acompanharam meu empenho pela eleição de Dilma Rousseff, e disso não me arrependo. Ela tem cumprido suas promessas de desenvolvimento do país e inclusão social. Porém, não idolatro pessoas. Nutro devoção é por princípios. Sei que o ser humano é falho e sujeito às mudanças de humores e de tempo. Os princípios, não.

Foram princípios que, em foto histórica no tribunal militar, fizeram da jovem Dilma presa uma heroína de sua época, tendo apenas o nariz arrebitado como estandarte.

Pois é em nome desses princípios que hoje eu me mobilizo. Dos princípios daqueles brasileiros patriotas, que nos anos 1950 foram às ruas berrando “o petróleo é nosso!”, e daqueles outros, que nos anos 1960 e 1970 foram às masmorras sangrando “o Brasil é nosso!”.

O Brasil é maior do que partidos, do que projetos de poder, sejam eles de que sigla forem, quantas letras elas tenham, que ideologias abracem.

O Brasil é nossa Pátria, nosso país, nosso solo, é o nosso “para sempre”. Onde nascemos, vivemos e repousaremos. De onde retiramos nosso pão.

O Brasil não é um político. Com barbas ou sem, com botox ou sem, com dignidade ou sem, com mãos limpas ou sem.

Ainda na minha caminha de criança, ouvia meu pai me embalar, com seu sotaque americano e a tatuagem de Mickey Mouse no braço, dizendo das grandezas do meu país, que era o país do futuro, e que seria um país rico e muito próspero. Falava das ferrovias que o cortavam inteiro em suas “dimensões continentais” e, principalmente, do INPS (antes de se chamar INSS), que atendia a todos os pobres, das leis trabalhistas de Getúlio e de outras coisas que beneficiavam o povo e o trabalhador, que em seu país não havia e o encantaram tanto, quando descobriu nosso Brasil.

Norman Angel Jones falava também com entusiasmo da campanha “O Petróleo é nosso”. Acreditava que sob o solo brasileiro corria pujante um rio negro de riqueza. Hoje sabemos que não apenas sob a terra, como sob os nossos mares.

Presidente Dilma, idolatro o Brasil. Como sei que a senhora também. Não lhe perguntarei o porquê do incoerente Leilão do Campo de Libra, contradizendo frontalmente sua promessa explícita de campanha de que não daria a exploração do pré-sal às empresas internacionais, pois “isso significaria tirar dinheiro do país”.

Não lhe perguntarei porque as razões são óbvias: as pressões externas e as pressões econômicas internas.

Mas lhe digo, presidente, esta não é a hora de esconder pressões e de se submeter a elas, é a hora de exibi-las, dividi-las conosco, os maiores interessados, os proprietários do Campo de Libra, a soberana população brasileira.

Não é hora de fazer jogo político, é hora de abrir o jogo. A riqueza do Brasil não merece estar sujeita ao pano verde, rolando feito dados na disputa partidária dos que agora se aproveitam da fragilidade do momento para tirar ‘partido’.

O Campo de Libra junto com o Campo de Franco, ao lado, na mesma estrutura geológica, formam o Maior Campo de Petróleo da História do Mundo, com mais de 25 bilhões de barris! Superando o de Gawar, até então maior do mundo, na Arábia Saudita.

Nosso óleo é de altíssima qualidade, óleo leve, o que o faz ainda mais especial e ambicionado, e o diferencia, por exemplo, do óleo da Venezuela, que tem imensas reservas, mas não tem um campo do tamanho de Libra nem dessa qualidade, é óleo pesado.

Está previsto no artigo 12º da Lei de Partilha que Libra se trata de área estratégica, que deve pertencer à União, em benefício de todos os brasileiros, e explorada 100% pela Petrobras. Está lá escrito. É de lei. E ponto final. Não vamos mudar.

É o nosso futuro, do qual meu pai falava, me enchendo de esperança, em minha caminha de sonhos. Futuro que, enfim e por direito, deverá pertencer a nossos filhos e netos. Lutamos e esperamos demais por ele, para agora vê-lo repassado, assim, a terceiros, na voz miúda, compartilhado sem maiores explicações.

Idolatro princípios, presidente Dilma. Idolatro o Brasil. Não idolatro pessoas, mas a respeito e admiro, presidente, por sua gestão e a intenção da palavra dada.

Em nome da coerência: Suspensão do Leilão do Campo de Libra Já!

E proponho que, após essa suspensão, a quem de direito for, rogo e solicito, que o campo passe então a se chamar Campo de Dilma.

dilma-ditaduraLembrando aquela admirável jovem, que erguia como estandarte de sua coragem o nariz arrebitado, enquanto os juízes escondiam na vergonha os rostos, peço à nossa Chefe de Estado que, coerente com o discurso de sua campanha, reveja a questão do Campo de Libra e suspenda o leilão de amanhã. A população brasileira é soberana e há de passar a chamá-lo Campo de Dilma!

12 ideias sobre “SUSPENSÃO DO LEILÃO DO CAMPO DE LIBRA JÁ, PARA QUE ELE POSSA PASSAR A SE CHAMAR CAMPO DE DILMA!

  1. Hilde, mesmo concordando com a forma como esse leilão está sendo feito, sou obrigado a tirar o chapéu mais uma vez pra vc, acho que nunca li um texto mostrando uma opinião divergente da minha de uma forma tão boa. Mesmo quando divergimos, vc é nota mil!

  2. O Brazil é dos gringos, os brasileiros só estão aqui de passagem. Meus antepassados chegaram ao Brasil no século XVII para construir um país. Foram contra a proclamação da republica e perderam. Foram contra o golpe de 1964 e perderam. E eu me sinto completamente perdido desde 1967 quando minha casa foi invadida pelos verdugos da Ditadura. Nem mesmo a Comissão da Verdade quis investigar o que ocorreu com minha família naquela época. Não ouso dizer que o petróleo é meu. Sei que aqui nada é meu, nem direitos da personalidade. Mês passado representei o Brasil na OEA em virtude do TJSP ter dito num processo criminal eu não cometi qualquer crime ao comparar ISRAEL a ALEMANHA NAZISTA quando da segunda intifada e no outro (de indenização proposto por mim) disse três anos depois que uma Delegada de Policia poderia banir minha revista da internet enviando um e-mail ao servidor porque eu havia cometido crime de racismo contra judeus.

  3. Acredito que o leilão vai ser bom para o povo e economia brasileira, Dilma faz história e sua conduta demonstra que tem lado e não foge a luta pela soberania e interesse nacional.

  4. O Brasil não vai privatizar e sim fazer concessão porque a PETROBRAS sozinha não tem capital pra explorar, a não ser que o governo se endivide externamente. E 73% do que vai ser extraído vai ser do Brasil. Na China é 71% e na Rússia é 69%. Não dá pra ideologizar essa discussão de forma simplista. Dilma sabe o que faz e não é burra de entregar o patrimônio que é nosso. O resto é estatismo neurótico de esquerda velha e corporativismo de funcionários q não kerem ficar subordinados a estrangeiros. Não subestimem Dilma e nem Lula.

  5. Querida Hilde

    Bom dia

    É com um imenso prazer, que eu a parabenizo pelo artigo sobre o ” campo de Dilma ”

    A admiro, á cada nova o artigo ou publicano.

    Que Deus a proteja

    att;

    Adolfo Sampaio

  6. salve ! paz a todos ! bem , não tenho 1 opinião formada ( ao contrário de todos brasileiros ) sobre Libra . mas penso q Dilma não privatizaria , como 1 outro Presidente (sobre empresas estatais ) , assim , sem mais nem menos . porém gostaria q o Petróleo fosse nosso . torço pelo Brasil pois vivo , trabalho e pago os impostos , aqui , neste nosso Brasil ! às vezes acho q há 1 má vontade contra ela . vamos pelo menos exigir 1 transparência maior ( e melhor ) nessa licitação ! isso sim !

  7. Hilde, comecei a ler seu blog na época das passeatas e cada dia te admiro mais. Foi a voz mais lúcida no momento! E essa lucidez, como é moda agora dizer, me representa!

    • Eu acho que o leilão vai ser bom para o Brasil,porque isso não pode esperar muito,quanto a presidente a vida dela prova que sempre lutou pelo Brasil e continua fazendo isso.

Deixe um comentário para Manfre Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *