10 boas razões para o Teatro Municipal nunca mais barrar homem de saia na portaria

Em O Globo de hoje, a coluna Gente Boa, da Cleo Guimarães, conta que o bailarino Jaime Bernardes, acompanhante da Deborah Colker, foi barrado na portaria do Teatro Municipal, na estreia do Grupo Corpo, porque usava saia. Precisaram emprestar um par de calças e só assim ele pode adentrar o recinto dionisíaco. O profissional da porta, certamente, cumpria ordens, não sei se da produção do evento (e logo o Grupo Corpo!!!) ou se do protocolo do teatro.

Fato é que, em ocasiões outras, o Municipal já foi mais flexível neste item. Foi lá que, em evento do passado, Caetano e Gil estiveram ambos num black-tie usando saias longas. Causaram certo alarido, mas o mundo não caiu, acreditem. Cleo pode procurar no arquivo de O Globo, que encontrará as fotos.

Homens usarem saias não é grande novidade. O primeiro no país, que se saiba, foi o artista plástico, ou melhor, o multiartista Flávio de Carvalho, no que chamou de sua Experiência Nº 3, atravessando o Viaduto do Chá vestindo um traje com saiote e blusa de mangas bufantes, em contestação ao fato de os homens serem obrigados a usar terno num país tropical.

Saias masculinas não são coisa nova sobretudo em se tratando de show business. Talvez, se o portador da saia em questão fosse um famoso não tivesse sido “barrado no baile” do Grupo Corpo. Quem sabe se fosse um dos bacanas abaixo, teria ele sido obrigado a trocar de vestimenta? O que vocês acham?

Confiram o desfile de celebridades masculinas de saiote e reflitam…

10 razõe3s

 

mick jagger mini

7 ideias sobre “10 boas razões para o Teatro Municipal nunca mais barrar homem de saia na portaria

  1. O que aconteceu não foi bem isso.O bailarino Jaime Bernardes estava de bermuda e por isso foi impedido de entrar, já que bermudas são permitidas apenas em espetáculos diurnos e não noturnos, como era o caso.Ele pegou o xale de uma amiga e enrolou no corpo, dizendo que lá dentro tiraria, por isso foi barrado.No entanto, o teatro tem peças para empréstimo e lhe emprestou uma calça podendo o mesmo entrar e assistir o espetáculo.Cada um pode ter a sua opinião, mas o mínimo que se espera é que uma publicação de uma jornalista séria conte a verdade dos fatos ou ao menos a verdade de cada uma das partes.Nesse caso, foi ignorada a versão do teatro municipal.Lamentável!!

    • A jornalista reproduziu a informação veiculada pelo jornal O Globo, na conceituada coluna Gente Boa, de Cléo Guimarães, com foto publicada. Não houve qualquer intenção de menosprezo ao Teatro Municipal, cuja versão não foi postada porque não foi divulgada para a mídia, mas a divulgaremos caso a recebamos. O Teatro Municipal merece todo o crédito e estamos às ordens para esclarecer o episódio, conforme seu ponto de vista.

  2. Eu não esperaria um segundo, chamaria a polícia e registraria imediatamente um boletim para ocorrer no processo que certamente eu moveria. Que absurdo, a pessoa foi seriamente constrangida por motivo torpe! Aaaa só sossegaria com a indenização em minha conta!

  3. A seguir nessa direção, nós mulheres, logo seremos proibidas de entrar no Teatro Municipal de calças compridas! Não há NADA que justifique a proibição e o vexame a que ele foi submetido.

Deixe um comentário para vicente limongi netto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *