Operários em protesto contra falta de pagamento: os responsáveis pelo caos na Vila Olímpica da Rio 2016

Não entendo por que os envolvidos não revelam o motivo da vila olímpica estar nas péssimas condições em que os atletas a encontram. Mas, já que ninguém fala, eu digo o que escutei, na quinta-feira passada, em um coquetel, de uma fonte com trânsito nos bastidores olímpicos:  um grupo de operários, revoltado com o atraso de seus pagamentos, danificara apartamentos, quebrando vidraças, entupindo canos e emporcalhando inúmeras unidades.  A fim de deixar as unidades em condição de hospedagem, o Comitê Olímpico precisara bloquear um terço dos apartamentos para realizar reparos de emergência.

Bem, isso eu soube na quinta-feira, dia 21, mas, pelo visto não houve tempo hábil de consertar o estrago, pois, no dia 24, desembarcou aqui a delegação australiana entornando o caldo para a mídia internacional.

Esperei que a mídia informasse a verdadeira razão da situação caótica da vila olímpica, que não foi atraso, que ela ficou pronta a tempo e a hora, que o motivo foi a retaliação do operariado. Isso não aconteceu… hummm…

Como vemos, a Lava Jato lavou tanto que sobrou para a vila dos atletas, com as grandes empresas de Construção Civil sem condição de cumprir seus compromissos sequer com os operários dos canteiros de obras.

7 ideias sobre “Operários em protesto contra falta de pagamento: os responsáveis pelo caos na Vila Olímpica da Rio 2016

  1. Hilde, há quatro dias estamos desentupindo privadas que, à primeira descarga, enchem ate a boca de cocô, xixi e água, isso já com atletas e integrantes de Comitês Olímpicos morando dentro.

    Motivo: depois de encanadores desmontarem vasos e abrirem tubulações encontram quilos de papel-jornal enfiados propositalmente nos canos.

    Ninguém fala sobre isso, mas é diário. Alguém ai pediu provas pra Hilde: não sou prova, mas sou testemunha ocular. porque trabalho na Vila Olímpica como voluntário há uma semana e diariamente temos q lidar com a verdadeira sabotagem feita lá: não apenas jornal entupindo canos, como fiações propositalmente feitas erradas, chão imundo de pegadas de botas de operários, palavrões escritos nas paredes, peças de chuveiro faltando, aparelhos de ar condicionado colocados como enfeite, sem qualquer instalação elétrica neles (portanto, não funcionam) e por aí vai. Dia e noite, nós, voluntários, e gente de empresas de manutenção, limpeza, hidráulica e eletricistas contratados de emergência pelo Comitê e pela Carvalho Hosken trabalhamos dia a noite para consertar a verdadeira sabotagem que foi feita na Vila de dois meses pra cá.

    A diferença é que nós, voluntários, trabalhamos de graça, não pelo Comitê, pela prefeitura ou pela Rio 2016, mas pelo Brasil. São centenas e centenas de estudantes universitários, engenheiros, professores, matemáticos, tradutores, interpretes, administradores de empresas, advogados, economistas, entre 18 e 70 anos (do Brasil e do mundo inteiro) etc., metendo a mão na merda (literalmente) diariamente, pelo país, em silêncio, dentro da Vila Olímpica…

    Enquanto isso, os vira-latas apenas latem na imprensa e nas redes sociais.

    Abraços gerais.

  2. Não duvido que isso tenha acontecido. Os operários trabalharam em regime de quase escravidão. Taí a prova da presença dos fiscais do Ministério do Trabalho na Cidade Olímpica que foram até barrados pela própria administradora. Não deu pra fazer greve, então, procuraram um meio de mostrar o seu descontentamento pelo bolso vazio. Justo, muito justíssimo!!!!

    Agora, só quero ver, com as empreiteiras e as construções civis em que os magnatas todos presos, por conta da Lava-Jato do Juiz Moro, aonde é que esse pessoal vai arrumar um outro meio de sobrevivência?

  3. Você deveria ter mais responsabilidade antes de fazer uma acusação tão leviana!

    O título da sua nota categoricamente afirma que os responsáveis de uma das nossas recentes vergonhas mundiais são os operários das obras, porém ao longo do texto você não apresenta provas, nomes, fotos, nada que comprove a sua teoria.

    Há que se ter o entendimento de que esses operários não trabalharam sozinhos. Fiscalização e vistoria deveria ser rotina numa obra dessa magnitude e antes de entregar os apartamentos, um protocolo de checagem deve se cumprir.

    Mas é mais fácil jogar a culpa da incompetência no Zé das Couves no que no empresário e no político que superfaturam com as obras!

  4. Já pensou se os médicos enfermeiros e profissionais da saúde resolvessem fazer o mesmo. Estão trabalhando em hospitais públicos sucateados, recebendo com atraso e mesmo assim , tentando ajudar. O brasileiro tem que saber de uma vez por todas que nasceu num país de 3o. Mundo em vias de subdesenvolvimento . Ame-o ou deixe-o!!
    Que vão fazer com esses operários revoltados? Adiantou arrebentar com tudo. Esse tipo de protesto é dar tiro no prop. rio pé! ja que estamos nessa de gastança com as Olimpiadas : que de tudo certo!!

  5. Estranha sua nota, por se tratar de uma PPP custeada pela iniciativa privada. Ou foi a iniciativa privada quem não pagou, ou o estado falido?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *