Operação Saia Justa

A Saia Justa continua a apertar na Casa Cor. Esta noite, enquanto rolavam no interior do Palacete Linneo de Paula Machado dois coquetéis, os da Imobiliária Coelho da Fonseca e da Todeschini, do lado de fora as patrulhinhas da polícia se entrincheiraram impedindo a entrada dos demais convidados que pretendiam ingressar. Foi um mal estar geral, a ponto de o dono da imobiliária, Álvaro Coelho da Fonseca, e seu sócio, Luiz Carlos Bulhões de Carvalho, irem para a calçada argumentar com os policiais, tentando sensibilizá-los. Explicaram a eles que são os patrocinadores de todo aquele grande evento, que lhes custou enorme aporte de dinheiro, exatamente para poderem fazer aquela festa, e que não seria justo, naquele exato dia de seu evento, a Casa ser fechada. Conversa daqui, conversa dali, os policiais parece que entenderam a argumentação e, apesar de toda a adrenalina que rolou, houve happy end, os coquetéis aconteceram e foram todos felizes para sempre. Mas valeu! Não fosse por isso eu não estaria a essa hora da madrugada sentada diante de meu lap top conversando com vocês, recém-chegada do birthday party da Narciza T., que ainda incendeia, e onde este tema “furdunço da Casa Cor” é um dos pratos principais…

Aliás, quando eu saía da festa da Narciza, vejam quem chegava: Maria Pia Marcondes Ferraz, linda, divina, maravilhosa, dizendo que seu telefone não parou de tocar por causa da nota que publiquei horas atrás sobre seu namoro com o empresário de Brasília Eder Pinheiro. Ela chegava e a Aparecida Marinho saía, e estava uma aparição, toda de onça: o top justo tomara-que-caia, uma onça azul; a saia justa funil, uma onça vermelha, ou seria o contrário? Chegando também, a Georgianna Guinle. De onde ela vinha? Do coquetel da Coelho da Fonseca na Casa Cor, naturalmente. Georgianna, que é uma gracinha, está agora trabalhando com aquela imobiliária paulista…

O apê de Narciza borbulha, balança, incendeia, treme, trepida. Estão lá os Pitanguy todos. Inclusive o professor, que cancelou a viagem para a China. A Maitê Proença. O Gustavo Franco com a mulher. O Jorge Salomão, o Domingos de Oliveira. Está lá o Philipe Amon, que produz o dinheiro para 88 países do mundo, com a mulher linda, Catarina Espírito Santo, e está lá também a mãe dela, Maria João Espírito Santo, lindas as duas. Está a Lígia Azevedo. Está a Fátima Brizola. Diversidade total. Mauro Viegas acaba de sair. Katia D’Angelo, a atriz, acaba de chegar. Rhana Abreu, a legítima, cantatriz, também está, com o filho baterista, de 15 anos. Daniela Dondo apresenta o noivo Fábio. Casamento já marcado. José Ronaldo Müller e Lu Lacerda prestando atenção em tu-di-nho. Sebastião Marinho e Vera Donato fotografando to-di-nhos. Paulo Müller e sua mãe, Marise. Flavia Tamoyo, uma graça. Idem, a Luciana Capanema. Chef Demar está lá, agora sem a barba, o que lhe dá a aparência 20 anos mais jovem. Alice mãe paparicada pelas netas, Nicole e Mariana, e a filha, Alice Maria. Helcio Hime acaba de dar uma canja, cantando My Way no meio do salão, com Narciza, lindona, ao seu lado, embalada num longo azul royal. O namorado, Guilherme Fiuza, observando orgulhoso. Ai, que loucura! A vida, no Chopin, é uma festa o tempo todo, e não é porque se trata do Chopin. É porque a Narciza mora lá…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *