Não adianta quem não foi à festa espernear: o Melindrosas Magic Ball foi absolutamente insuperável!

Não adianta quem não foi à festa espernear, fazer pouco, desfeitear.  O Copa é o Copa, não precisa falar mais nada, e o Melindrosas Magic Ball foi absolutamente insuperável. Assim como foram os bailes anteriores do Copacabana Palace.
A decoração em preto e branco, evocando os anos 20, transpirando elegância por cada poro de cada coluna do Salão Nobre do hotel, em que as esculturas só faltavam falar… Ou melhor, não faltavam, elas falavam!!!! Isso mesmo, pela primeira vez, o cenógrafo Zéka Márquez usou recursos de 3D e máscaras faciais humanas imensas moviam-se como se falassem. Impressionante. Tudo era mágico, fascinante, hipnotizava. Até a música tema da festa deste ano, “Alô Kiki”, composição de Eliana Pittman e Zéka Márquez, várias vezes tocada, tinha uma métrica hipnótica, daquelas que fazem cobra de faquir levantar de balaio.
E de vez em quando grupos de acrobatas com malhas rajadas em preto e branco passavam pelos salões, fazendo evoluções, uns sobre os ombros dos outros, inspirando encantamentos circenses. Bailarinos, modelos homens e mulheres, lindos e lindas. Todos cantando a letra da música, e os foliões acompanhando, fantasiadíssimos. Muitas transformistas, super montadas, dando o tom do capricho feliniano. Muitas mulheres bonitas. Muitas. O tema Melindrosa foi altamente inspirador. OS homens estavam elegantérrimos, sobretudo os de summer. Era carnaval, era circo, era conto infantil, era tudo junto e misturado, era Mistinguette, era Salvador Dalí, era Josephine Baker, era Great Gatsby. Mélange beleza pura.
Poder em todas as direções. Do presidente do maior banco do país, o Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, à ninfeta número 1 da TV, Marina Ruy Barbosa, eleita Rainha do Baile. Da maior cantora sertaneja do momento, Paula Fernandes, ao maior sambista de todos, Martinho da Vila. Da diva da contracultura de todos os tempos, Elke Maravilha, musa eterna do Velho Guerreiro Chacrinha, prestando homenagem ao Abelardo saudoso, em meu camarote, ao Stepan Nercessian, que leva as plateias ao delírio com seu desempenho magistral no musical “Chacrinha”, no Teatro João Caetano. E vocês não podem perder, meus amores, recomendo com louvor!
Da grande dama da elegância brasileira, Lourdes Catão, outra em meu camarote, ao mentalista mineiro radicado na Alemanha, Thomáz Green Morton, que foi convocado ao Brasil para fazer chover, e mal chegou, dois dias depois a chuva começou a cair sem parar, e a Cantareira já começa a subir de nível. E depois  tem gente que não acredita….
Nomes top da moda como Heckel Verri,  Amir Slama, Alessa Migani, o bijoutier e decorador Zau, a joalheira Lúcia Lima, a estilista das noivas Lucília Lopes, Dudu Bertholini, Cris Pitanguy, Felipe Velloso, Victor Dzenk.
Os atores Diogo Villela, Zezé Polessa, Fabiana Karla, Totia Meirelles, Leo Bahia, intérprete de Chacrinha jovem no musical. A primeira bailarina Ana Botafogo, em meu camarote com seus pais. A condessa Rose de Ganay.
Os antiquários Arnaldo e Katia Danemberg. Ovadia Sadia, presidente da Associação Nacional dos Colunistas Sociais. A decoradora Brunette Fracarolli, uma graça, com touca à la Zelda Fitzgerald, foi me dar um beijinho em meu camarote e a apresentei à Lourdes Catão. Ela fez uma reverência: “Quero ser igual a você”.
Também no recheio de meu lodge, Beth Winston com seu filho gato, o Kid, vestindo smoking de Armani, e a mulher cinematográfica, Kelly. Sem esquecer a dupla de amigos from Los Angeles, grifados “Grammy”. Também da Califórnia, o PhD e empresário, Manuel Barroca. O Cônsul-Geral do Canadá, Sanjeev Chowdury. Giovanna Deodato e Santo. O jornalista paraibano Gerardo Rabello com a linda Patrícia.
Tânia Caldas com Sergio Carvalhal e Waleska Carvalho. Gabriela Matarazzo Itagiba e as amigas de São Paulo. Katia Spolavori e Edmar Fontoura. Hilneth Corrêa, colunista do Rio Grande do Norte. Suzana e Bruno Armbrust, da CEG.

Bem, vou parar de falar. Que tal as fotos da homenagem a Angélique Chartouny, no palco do Golden Room, já às 3 da madrugada, quando o baile incendiava geral?

melindrosas ball 3
Melindrosas ball
  1. Fotos de Verônica Pontes e Marcelo Borgongino

4 ideias sobre “Não adianta quem não foi à festa espernear: o Melindrosas Magic Ball foi absolutamente insuperável!

  1. Lendo a matéria acima, muito bem detalhada, descobri que existe a Associação dos Colunistas Sociais do Brasil. Pronto! Tem-se a solução para todos os problemas e angústias que atormentam milhares de brasileiros. Essa associação deve reunir eleitores do Collor, Maluf, Lulla, Dillma, Sérgio Cabral, O finado Pita e Agnelo Queiroz. Como patrono da associação, o finadissimo Adhemar de Barros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *