Dilma deverá visitar Neymar Jr.

Em debate a agressão a Neymar pelo jogador colombiano Zuniga, que aplicou forte joelhada em suas costas, na altura dos rins, partindo-lhe uma vértebra.

Por parte do Governo Brasileiro, cabe o oferecimento, pelos ministros do Esporte e da Saúde, de todas as condições possíveis para que ele tenha o melhor atendimento do Planeta, o que obviamente já está tendo, mas um afago sempre é bem vindo.

Certamente a Presidenta da República há de, ainda nas próximas horas, manifestar sua solidariedade ao jogador, com a expressão de seu orgulho pela brilhante atuação do jovem atleta brasileiro nesses jogos da Copa, não apenas através de uma mensagem nas mídias sociais ou de uma nota protocolar, mas num telefonema pessoal ou mesmo uma visita a ele no hospital.***

Afinal, não nos esqueçamos que o presidente Obama, dos Estados Unidos, ligou pessoalmente para os craques americanos após sua derrota contra a Bélgica, dizendo de seu orgulho por sua bela atuação, rasgando-lhes elogios, como se falasse a heróis americanos.

Quanto à CBF, como bem disse um leitor deste blog, “já deveria ter entrado com representação junto à FIFA, exigindo punição do agressor, ressarcimento de todas as despesas médico/hospitalares e pagamento ao agredido de indenização pelos danos morais e materiais causados pela covarde agressão. A indenização deve ser avaliada como até dez vezes o valor de salário, mais prêmios do jogador como campeão do mundo em 2014”.

Desviar deste assunto para politicagens, mostra falta de entendimento dos fatos reais e falta de sensibilidade diante da dor de um jovem ídolo brasileiro e da angústia de toda uma Nação de torcedores.

*** Posteriormente a esta postagem, leitores no twitter se manifestaram dizendo que isso seria dispensável, pois a presidenta já escreveu duas cartas “e de seu próprio punho”.   Minha opinião: Cartas e mensagens são as primeiras e imediatas providências numa situação como esta, mas, em se tratando de um ídolo brasileiro, como Neymar Jr., que defende as cores do nosso país, faz parte do protocolo de Chefes de Estado sensíveis, elegantes, como Dilma, uma obrigatória visita ao “herói nacional ferido em combate”, entre aspas naturalmente. Um herói do futebol. Presidentes são visitados pelos atletas em seus palácios após as vitórias. É gentil visitá-los nos maus momentos.

9 ideias sobre “Dilma deverá visitar Neymar Jr.

  1. O desempenho melancólico do Brasil na copa do mundo evidente que enseja diversas reflexões. As sensatas, mesmo indignadas e as burras, raivosas e ressentidas. Nestas pontificam parlapatões como Juca Kfoury, o chefão da banda podre da crõnica esportiva e Romário. Jogou muito, mas hoje é um medíocre deputado que nada produz de útil pelo povo do Rio de Janeiro, que o elegeu. A dupla raivosa culpa a CBF, José Maria Marin e Marco Del Polo(presidente recém eleito que assume o comando da entidade em abril de 2015) como responsáveis pela perda do hexa. Colossal estupidez e falta do que fazer. A CBF ofereceu tudo de bom e do melhor para os jogadores da seleção e para a comissão técnica. Não faltou segurança, conforto e tranquilidade para que representassem o Brasil com competência. Se fracassaram é lógico que a culpa não pode ser atribuida ao comando da CBF. Marin não coloca chuteira nem entra em campo para bater penalti ou escanteio. Francamente. Que os asnos mencionados procurem outro Cristo para bode expiatório.

  2. A Alemanha está na final da Copa do Mundo após arrasar o Brasil com impiedosos sete a um, no maior vexame da história do futebol tupiniquim.

    Um placar que demonstrou, com exatidão, a diferença de nível das equipes.

    Mesmo se Neymar estivesse no gramado, os alemães seriam favoritos, embora jamais se esperasse tamanha mediocridade.

    Felipão errou ao colocar Bernard no time, que entrou absolutamente apavorado, em vez de escalar, com mais prudência, antevendo a nítida superioridade adversária, um jogador de contenção no meio campo.

    A Seleção Brasileira começou a partida no ataque, e, logo aos 2 minutos, Marcelo arriscou pela meia esquerda, mas a bola passou à esquerda de Neuer.

    Porem, passada a empolgação inicial, os alemães, no toque de bola, equilibraram as ações.

    Aos 10 minutos, com a Alemanha pressionando, Kross bateu escanteio pela direita e Muller, sem marcação, abriu o marcador.

    Sem alternativa, o Brasil partiu para o ataque, sem muita eficácia, com os alemães armando o contragolpe.

    Não tardou, e, aos 22 minutos, Muller recebeu a bola na área, ajeitou para Klose, que bateu, Julio César defendeu, mas a bola sobrou para o avante brasileiro, marcar o segundo.

    Klose bateu a marca de Ronaldo “Fenômeno”, tornando-se o maior artilheiro da história dos Mundiais.

    Um massacre tão grande, que, nos três minutos posteriores, Kroos, complementando dois contragolpes, ampliou para três, depois quatro a zero.

    Khedira, aos 28 minutos, em troca de passes na defesa brasileira, como se fosse um jogo treino, marcou o quinto gol alemão.

    Desenhava-se o maior vexame da história da Seleção Brasileira, absolutamente atordoada na partida.

    Com o placar de cinco a zero a favor, a Alemanha diminuiu o ritmo, evitando que os brasileiros fossem para o intervalo com um placar contrário ainda mais elástico.

    Fernandinho e Hulk saíram para a entrada de Paulinho e Ramirez, na volta para a segunda etapa, em que o Brasil tentaria, ao menos, manter a dignidade.

    Na primeira boa jogada brasileira no jogo, aos 5 minutos, Fred abriu para Ramirez, que cruzou para Oscar, mas Neuer, percebendo a jogada, defendeu bem.

    Um minuto depois, Neuer fez nova defesa em batida de Oscar, dentro da área.

    O Brasil pressionava.

    Neuer, fantástico, defendeu duas batidas de Paulinho, cara a cara, aos 8 minutos.

    Klose, histórico, saiu para a entrada de Shuerrle, aos 12 minutos.

    Os alemães se poupavam para a final, e, mesmo sem esforço, as poucos, retomavam as rédeas do jogo.

    Muller bateu de curva, aos 15 minutos, para ótima defesa de Julio César.

    Com enorme facilidade, Schuerrle, após receber passe de Lahn, marcou o sexto da Alemanha.

    Na seqüência, Willian entrou na vaga de Fred, que saiu hostilizado e vaiado pelo torcedor no Mineirão.

    Quase sem ângulo, Schurrle fez o sétimo, no ângulo direito de Julio César.

    A torcida vaiava a Seleção Brasileira, mas aplaudia e gritava “olé” a cada toque da Alemanha, um timaço, absolutamente favorita a conquista do torneio.

    Deu tempo para Oscar, aos 45 minutos, em contragolpe, marcar o gol de honra do Brasil.

    No final, espera-se que, ao menos, o vexame dessa Copa do Mundo sirva para sacudir o futebol brasileiro, que se apequena a cada ano, com jogadores medíocres e cartolagem que só pensa em enriquecer, fatores que certamente seriam mascarados com a conquista de um título desejado, possível, mas que seria absolutamente injusto.

    ENTENDERAM?

  3. Estamos tratanto de um ser humano querido no Brasil e mundo. Lamentável que alguns asnos fantasiados de isentos misturem as estações. é a manada dos eternos recalcados e ressentidos. Esperem para votar em outubro. Até lá chupem cana.

  4. Curioso constatar que há leitores que postam comentários apoiando atos do Fernando Collor (de triste memória), Sarney, Lulla, Renan e outros, além, é claro, de Dilllma.
    Não há mais esquerda nem direita no Brasil. Há um jogo de conveniências onde o contra-cheque todo dia 30 fala mais alto.
    Quem diria que o PT (des) governaria o País apoiado por Collor, Roriz, Sarney e Renan?

  5. cara hilde, você tem razão:dilma faria muito bem, marcaria um gol de placa, indo visitar neymar. não em busca de dividendos eleitorais, mas para homenagear e prestar solidariedade a um jovem, humilde, sincero e carismático, que tem dado alegrias aos brasileiros de todas as idades e segmentos. não importa que dilma tenha mandado mensagens pelas redes sociais. vale muito mais a presença pessoal e um abraçõ fraternal e amigo da principal torcedora e incentivadora da seleção. a visita da chefe da nação ajudaria a fortalecer a auto-estima do querido atleta. o gesto desprendido de dilma mereceria destaque e aplausos do mundo inteiro.

  6. A sugestão de visita da presidentE ao Neymar é de um puxa-saquismo exagerado. Se ela fizer a visita, não será, certamente, um ato de solidariedade, mas um ato de propaganda política. Tudo a favor do atleta, vítima de um ataque anti-esportivo, mas chamá-lo de “herói nacional”, ainda que entre aspas, é um imenso exagero. Comedimento, por favor.

  7. Concordo com tudo que você disse e ainda acho que o tal merecia cadeia, já que o que mordeu levou diversas punições.

  8. Concordo com a punição do colombiano, mas discordo que o Neymar Jr. Seja um herói nacional, para os heróis brasileiros são pessoas que fizeram algo pelo povo que não foram pagos para fazer e fizeram, pois acreditavam que era seu dever fazer o certo. Pessoas como o Stuart Angel, Zuzu Angel e tantos outros que foram presos pela ditadura por lutar por um País melhor e mais justo, um país que infelizmente ainda não temos.Sou fã de futebol, mas acho absurdo como a mídia e a política o utilizam para fazer o pão e circo . Ele é um atleta a Lais Souza da ginástica não teve toda essa atenção da presidencia da República e olha que a ginástica é um esporte que o Brasil vem crescendo , mas continua com problemas de locais de treinamento e patrocinios.

Deixe um comentário para vicente limongi netto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *