Convivendo com gays no universo da moda, Ruth Joffily descobriu que ‘todo amor merece brilhar’

“Todo amor merece brilhar” é o livro da professora Ruth Joffily  na plataforma da Bookstart para ser editado em papel e em e-book.

 

Ruth Joffily é uma voz a ser ouvida e considerada. Sua sensibilidade é reconhecida. Seu currículo é qualificado. Fez Comunicação na Universidade Federal Fluminense. Trabalhou como estagiária no Globo. Foi editora-assistente na Claudia Moda e editora das revistas Desfile e Desfile Coleções, da Bloch. Estagiou nas revistas de fotonovelas Sétimo Céu e Amiga, posteriormente integrou a editoria de moda. Criou o primeiro curso de jornalismo e produção e moda no Centro Cultural Cândido Mendes, em Ipanema, onde. Durante oito anos coordenou a primeira pós-graduação de produção de moda, criada pela parceria acadêmica do Instituto Zuzu Angel (IZA) com a Universidade Veiga de Almeida..

Ao iniciar seu trabalho como produtora de moda, Ruth passou a trabalhar sobretudo com mulheres e com homossexuais, pois os estereótipos que envolvem a atividade eram de tal forma arraigados que a escalação de profissionais de imprensa para cobrir o setor não se guiava pelo saber, e sim pelo gênero.

A escolha recaía invariavelmente sobre as mulheres e os homossexuais.

As editorias de moda, desde sempre, constituíram-se no jornalismo brasileiro em “guetos  de mulheres e gays”. Enfoque preconceituoso porque, se um gay ou uma mulher tivessem, digamos, pendor para cobrir o futebol, a editoria de polícia ou a economia, isso seria ignorado pelos editores, prevalecendo a moda.

Foi convivendo com homossexuais que Ruth percebeu que na maioria eram muito cultos, conviviam em harmonia, não existia homofobia, nem preconceitos. Havia produtores gays, maquiadores gays, cabeleireiros gays, alguns modelos eram gays, assim como havia estilistas gays.

Trabalhando com profissionais homoafetivos, Ruth Joffily aprendeu que ninguém escolhe ser gay. A pessoa nasce gay. Na moda, ninguém fica dentro do armário, a atividade promove a liberdade de ser quem se deveras é, e a felicidade de criar. Ninguém tem vergonha de se mostrar. Às vezes até exagerando nos tons.

No mundo da moda e do ensino de moda, Ruth jamais ouviu falar em crítica aos gays da atividade, discriminação, bullying ou homofobia. Diferenças são respeitadas, pois professores e alunos empenham-se em criar, não em copiar, e lutam para não serem submetidos a uma uniformização.

Foi dessa convivência enriquecedora que nasceu seu livro, verdadeiro guia de respeito às diferenças, com a colaboração de Laura Oldenburg e Marco Antonio Gay, com depoimentos de:

– Caetano Gusmão, cabeleireiro

– Luiz de Freitas, estilista

– José Bernardino Cardoso Júnior, bancário

– Carlos Tufvesson, estilista e militante de direitos humanos

– Jane Di Castro, cabeleireira, atriz, cantora, transexual

Agora, vamos aos detalhes importantes, para tornar esta obra uma realidade, com nossa participação (minha e sua):

Contribuindo com R$12, você recebe a obra em formato e-book.

Contribuindo com R$30, você recebe:

– o livro impresso

– o livro em versão e-book

Contribuindo com R$80, você recebe:

– uma camiseta exclusiva

– o livro impresso

– o livro em versão e-book

Contribuindo com R$120, você recebe:

– uma sessão de Skype de 2h com a autora, que lhe dará uma consultoria sobre moda

– o livro impresso

– o livro em versão e-book

Contribuindo com R$300, você recebe:

– seu logotipo estampado na contracapa de todos os livros desta tiragem, atingindo um público qualificado

– um exemplar do livro impresso

– o livro em versão e-book

2 ideias sobre “Convivendo com gays no universo da moda, Ruth Joffily descobriu que ‘todo amor merece brilhar’

  1. Ruth, é uma jornalista competentíssima , Hilde Estou na torcida para que ela consiga publicar seu trabalho !!!! Bjs !!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *